UOL Notícias Internacional
 

22/01/2006

Saab 9-7X 2006: a GM serve uma almôndega sueca

The New York Times
Leonard M. Apcar
Há não muito tempo, uma concessionária da Saab era um local com poucas opções. Os clientes potenciais tinham apenas quatro modelos para escolher: dois sedãs, incluindo um hatch de formato estranho, uma perua e um confortável conversível.

Mas isto não era suficiente para manter uma montadora na primeira divisão; a maioria das concessionárias ganhava seu pão vendendo outras marcas.

De lá para cá ocorreu uma relativa explosão de produtos à medida que a mãe adotiva e geralmente desatenta da montadora sueca, a General Motors, passou a demonstrar novo interesse em explorar a marca. O hatch 9-3 foi descartado por um sedã mais novo. Uma perua esporte compacta com tração nas quatro rodas, a 9-2X, foi copiada da Subaru. Uma perua elegante, a 9-3 SportCombi, já está à venda.

Mais modelos estão a caminho: peruas e sedãs 9-5 atualizados estão no momento chegando às concessionárias; uma perua utilitária para sete passageiros está em desenvolvimento, e uma perua esporte compacta baseado no Cadillac pode estar a caminho.

"Esta é provavelmente a maior série de novos produtos e notícias em nossa história", disse Jay Spenchian, que se tornou o diretor geral da Saab em abril passado, após uma passagem pela Cadillac.

Um destes produtos é o primeiro utilitário esporte da Saab, o 9-7X. Como se a chegada de uma caminhonete da Saab não fosse o suficiente para horrorizar os puristas que amavam a marca por sua antiga proeza em provas de rally, o 9-7X é, no papel, praticamente a mesma coisa que o Chevrolet TrailBlazer. Para pelo menos alguns entusiastas, é como se um chef sueco servisse bagre em vez de arenque.

A Saab tinha motivos para querer algo tão grande quanto o 9-7X em seus showrooms. A empresa diz que 30% de seus proprietários trocaram seus Saabs por utilitários esporte de quatro portas nos últimos anos. Outros 40% mantiveram seus Saabs ao mesmo tempo que compraram utilitários esporte de outras marcas. Se as concessionárias tivessem seu próprio utilitário esporte, prossegue o pensamento, elas poderiam manter tais clientes.

O problema é que compradores de utilitários esporte não são muito leais, disse Ron Pinelli, presidente da Autodata Inc., uma firma de consultoria de Woodcliff Lake, Nova Jersey. As pessoas podem sonhar com carros esporte como um Porsche 911, mas quando se trata de veículos para a família, "não há muita emoção na decisão", ele disse, acrescentando: "Elas procuram preço".

Além disso, a Saab freqüentemente dependeu de incentivos de vendas e leasings subsidiados, atraindo compradores mais preocupados com as prestações mensais do que com a herança sueca. Assim, a pequena base de proprietários leais da Saab pode ser ainda menor do que a montadora pensa.

A Saab disse que vendeu 500 de seus novos utilitários esporte no mês passado, algo de acordo com seus planos, e que o 9-7X atraiu clientes que caso contrário teriam migrado para outras marcas.

De qualquer forma, serão necessários alguns ajustes para a base de proprietários aceitar uma caminhonete grande como um Saab. Para muitos proprietários, os Saabs envolvem interiores minimalistas, motores de quatro cilindros pequenos, mas robustos, performance turbocharged, direção ágil e estabilidade. Resumindo, nada pelo qual utilitários esporte são conhecidos. Assim, o 9-7X, cujos preços partem de US$ 39.240, enfrenta uma dura receptividade por toda parte.

Você pode contar minha própria família entre os 30% que trocaram o Saab por um veículo maior. (Nós optamos por um veículo utilitário com três fileiras de assentos.) Com um carro e dois adolescentes em equipes esportivas, nossa perua 9-5 simplesmente era incapaz de suportar a carga.

Eu me mantive cético em relação ao 9-7X desde o início, apesar de seu nariz escandinavo e uma chave de ignição que foi reposicionada (a um custo considerável) da coluna de direção, onde fica nas caminhonetes da GM, para o painel. Era difícil imaginar um utilitário esporte fornecendo a direção esportiva do Saab a partir de um chassi de caminhonete Chevrolet. Mas, de fato, a tração nas quatro rodas do 9-7X fornece uma experiência diferente de utilitário esporte em muitos aspectos.

Não há turbocharger, mas os motores GM testados pelo tempo (um 6 em linha de 4.2 litros ou um vigoroso V8 5.3 litros) têm bastante potência. (O motor maior é, é claro, o primeiro V8 oferecido em um Saab.) A direção é ágil e o 9-7X mantém sua estabilidade nas curvas. Se algo é diferente, sua suspensão rígida é quase dura demais.

A Saab baixou a altura dos utilitários esporte em uma polegada, uma bênção para a estabilidade e aparência. Ela acrescentou pneus especiais para todas as estações em rodas de 18 polegadas e endureceu os encaixes do motor e a frente do chassi para melhorar a direção e a dirigibilidade. Uma suspensão de ar controlada eletronicamente na traseira compensa carga e oscilação.

Some a isto outros ajustes aparentemente menores e o resultado cumulativo é surpreendentemente agradável.

O 9-7X, que tem um assento traseiro dividido que pode ser dobrado, leva até cinco pessoas. Os equipamentos seguem a tradição da Saab, das saídas de circulação de ar até um painel em um ângulo voltado ao motorista.

Há dois porta copos na frente, incluindo um simples e elegante dispositivo que se projeta para fora tirado do 9-5, e mais dois na parte de trás. O painel não tem nada de especial, há porta-objetos nas portas e bolsos nos encostos dos assentos da frente. O assentos de couro escuro apresentam costuras brancas contrastantes.

A área de carga é típica de um utilitário esporte de tamanho médio. O assento traseiro dobra para formar uma área de carga de quase 1,13 metro cúbico, mas o piso de carga não é plano.

Uma porta traseira em duas partes permite que você levante o vidro para carregar itens pequenos. Eu usei o compressor de ar interno para encher pneus de bicicleta.

O desenho exterior esconde com sucesso as origens do 9-7X. A grade trapezóide reduzida, um toque clássico da Saab, remata um capô bem longo. Atrás, os vidros laterais traseiros são emoldurados por pilares pretos. As laterais apresentam um aspecto simples, sem frescura, sem virilidade exagerada. Não há frisos plásticos, paralamas brilhantes, saídas de ar falsas ou outros adornos inúteis.

Típico da Saab, o 9-7X apresenta todos os componentes de segurança esperados, incluindo air-bags laterais. Há e sistemas anticapotamento e de controle de estabilidade, protetores de joelho ao longo do painel dianteiro.

O motor padrão de 290 cv faz 6,3 km por litro na cidade, 9 na estrada. O motor V-8 de 300 cv apresenta um sistema de deslocamento variável da GM, que desativa quatro cilindros quando não são necessários. Com este motor, o 9-7X faz 6,3 km por litro na cidade, 8 na estrada.

Antes de dirigir esta caminhonete da Saab, eu imaginava que a GM estava corrompendo a marca Saab com outro utilitário esporte desenvolvido para o cidadão comum. Mas o 9-7X provou que eu estava errado. Pode não ser sueco, pode não ser totalmente um Saab, mas está alguns pontos acima do utilitário Chevrolet básico. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h49

    0,46
    3,161
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h55

    -0,33
    68.365,77
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host