UOL Notícias Internacional
 

16/02/2006

Vice-presidente Dick Cheney assume plena responsabilidade por ter baleado caçador

The New York Times
Maria Newman

Em Nova York
O vice-presidente Dick Cheney disse nesta quarta-feira (15/02) que viveu "um dos piores dias de sua vida" no último sábado, quando atirou acidentalmente e feriu um amigo enquanto os dois caçavam codornas.

Em seus primeiros comentários públicos sobre o acidente, Cheney também assumiu plena responsabilidade pelo disparo que deixou Harry M. Whittington, um advogado de Austin, com ferimentos de chumbinho no rosto, pescoço, peito e costelas.

"Afinal, fui o sujeito que puxou o gatilho que disparou a carga que atingiu Harry", ele disse em uma entrevista televisionada pela "Fox News" dada a seu editor em Washington, Brit Hume. "Poderiam ser comentada todas as outras condições que existiam naquele momento, mas resumindo é isto."

"Não foi culpa do Harry", ele prosseguiu. "Não dá para culpar outra pessoa. Fui eu o sujeito que puxou o gatilho e que atirou no amigo. É um dia que nunca esquecerei."

Foi a primeira vez que Cheney ou qualquer outra pessoa da Casa Branca forneceu um pleno relato do incidente que ocorreu no Rancho Armstrong, no Sul do Texas, no anoitecer de sábado. Cheney estava sob crescente pressão de membros do governo e outros republicanos para que se manifestasse sobre o assunto, que veio a público quase 18 horas depois que o disparo ocorreu, pouco antes das 6 horas da tarde de sábado, horário da região central dos EUA.

Na entrevista, partes da qual foram exibidas pela "Fox" ao longo da tarde, Cheney disse que considerou acertada a decisão de permitir que um dos donos do rancho informasse o público sobre o que aconteceu, em vez de discutir o assunto pessoalmente antes de quarta-feira, ou permitir que um porta-voz oficial falasse por ele.

Após partes da entrevista terem sido exibidas, vários líderes em Washington disseram que Cheney ainda precisa responder mais perguntas sobre o incidente. O líder democrata no Senado, Harry Reid de Nevada, e o deputado Christopher Shays, republicano de Connecticut, disseram na tarde de quarta-feira acreditar que Cheney deveria ter realizado uma coletiva de imprensa para falar sobre o disparo, em vez de limitar seus comentários à entrevista para a "Fox News".

Whittington estava em condições estáveis na quarta-feira, um dia após sofrer um leve ataque cardíaco após um dos chumbinhos ter chegado a seu coração, segundo seus médicos e funcionários do hospital de Corpus Christi, Texas, onde ele está sendo tratado.

O dr. Peter Banko, diretor do Christus Spohn Hospital Memorial, disse aos repórteres em uma coletiva de imprensa que Whittington, que tem 78 anos, estava sentado e comendo comida normal. "Ele está se saindo muito bem e continuaremos monitorando a situação", disse o dr. Banko.

Ele também disse que Whittington, que não tem televisão em seu quarto particular, provavelmente não assistiria a entrevista de Cheney, que seria exibida na noite de quarta-feira pela "Fox News".

O dr. Banko também disse que Whittington, que também não falou publicamente sobre o tiro, "ainda não sabe o motivo de tanto barulho".

O único relato do infortúnio, que ocorreu no Rancho Armstrong enquanto Cheney passava o fim de semana em uma viagem de caça à codorna com amigos, veio de uma das proprietárias do rancho, Katherine Armstrong, que disse aos repórteres que o acidente foi culpa principalmente de Whittington, que se reaproximou de seus dois companheiros de caça sem dar o devido sinal.

Cheney, que estava carregando um rifle calibre 28, já estava disparando contra a codorna quando atingiu Whittington por acidente, ela disse. Na entrevista, Cheney, vestindo um terno azul, parecia ligeiramente abalado enquanto descrevia os momentos que se seguiram logo após ter puxado o gatilho e ter percebido que atingiu Whittington.

"A imagem dele caindo é algo que nunca conseguirei tirar da minha mente", disse Cheney.

"Eu corri na direção dele", ele disse. "Ele estava caído de costas, obviamente, sangrando. Dava para ver onde o disparo tinha atingido."

Hume disse a "Fox News" após a entrevista, que ele disse que durou 25 minutos, que Cheney "não lamentava" a forma como lidou com a divulgação do incidente.

Cheney disse que a sra. Armstrong "sugeriu, e eu concordei, que ela deveria fazer o anúncio".

Ele disse que acreditou que Armstrong era "uma especialista com experiência sobre o assunto" por ser uma caçadora e já ter chefiado o Departamento de Parques e Vida Selvagem do Texas, assim como por ter testemunhado o incidente.

"Era a história mais precisa possível, vinda de alguém que conhece e entende caça, que foi ao ar e postada na Internet, a forma como foi divulgada e achei ter sido a correta", disse Cheney.

Hume perguntou ao vice-presidente durante a entrevista se ainda acreditava que aquela tinha sido a melhor forma possível de revelar o acidente, dado que a demora para que viesse a público pessoalmente estava causando furor em Washington.

"Eu ainda acho", disse Cheney. "A precisão era de enorme importância. Eu não tinha nenhum funcionário de imprensa comigo."

"Era um fim de semana privado com amigos em um rancho privado", disse ele.

Em resposta às perguntas de Hume sobre o dia, Cheney disse que tinha bebido uma cerveja mais cedo, mas que ninguém do grupo estava bebendo enquanto caçava. Ele disse que era a primeira vez que caçava com Whittington, a quem descreveu mais como um conhecido, não como um amigo íntimo. Comportamento dele e do governo após o disparo tem sido criticado George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h30

    -0,06
    3,134
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h34

    -0,06
    75.931,38
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host