UOL Notícias Internacional
 

17/02/2006

Vídeo de alta definição, pequeno em tamanho

The New York Times
David Pogue

Colunista de tecnologia do NYT
Os aparelhos eletrônicos modernos são fantásticos e tudo mais. Mas à medida que aumenta nosso apreço pela tecnologia, infelizmente também cresce nosso cinismo. Nós descobrimos do modo mais duro que aqueles walkie-talkies de alcance de "oito quilômetros" nem mesmo davam cobertura para todo o quintal, que nenhuma versão do Windows "apenas funciona" e quando você telefona para o suporte técnico, sua ligação não é importante para eles.

Milhares de pessoas também já descobriram que aquelas câmeras de vídeo de bolso são geralmente enganações. Em vez de fitas, elas gravam em caros cartões de memória que guardam apenas cerca de 20 minutos de vídeo. O poder de zoom e a duração da bateria são terríveis. Quanto à qualidade de foto e vídeo, só câmeras de celulares se saem pior.

Portanto, você está perdoado por ser cético diante da nova câmera de bolso --a Sanyo Xacti HD1, que chegará ao mercado em março-- que alega gravar vídeo em alta definição.

HDTV? Com uma câmera do tamanho de uma barra de sabão? Em um mundo que lenta mas certamente está caminhando para um futuro de alta definição, isto seria realmente algo. Isto tornaria a HD1 a menor câmera de HDTV do mundo --e a US$ 800, de longe a menos cara. (Até agora a menor e menos cara câmera de vídeo de alta definição era a espetacular HC1 da Sony, por cerca de US$ 1.340 online.)

Será que a Xacti HD1 é tão boa quanto parece?

A resposta é não. Mas ela chega bem mais perto do que você poderia esperar.

Primeiro, é preciso entender os prós e contras de uma câmera de vídeo baseada em memória. O fato de usar cartões SD em vez de fitas apresenta vários benefícios; por exemplo, você não pode gravar algo por cima de outra gravação por engano. Você pode saltar de uma gravação para outra sem precisar esperar pelo avanço ou retrocesso da fita. E você nunca precisará comprar fitas; basta apenas reutilizar os cartões de memória, descarregando fotos e vídeos em seu computador quando estiverem cheios.

O lado negativo é ter que comprar estes cartões de memória; a HD1 não vem com nenhum. Um cartão SD de dois gigabytes, o maior disponível no momento (cerca de US$ 100 online), pode receber 28 minutos de HDTV da melhor qualidade. Se você comprar a câmera de vídeo e dois cartões de memória, você terá gasto menos de US$ 1 mil.

Assim que o cartão de memória estiver cheio, você coloca a HD1 em seu recarregador e pluga o cabo USB incluso. Então você arrastará a pasta de fotos e vídeos da HD1 para o disco rígido de seu computador --um processo muito mais rápido do que executar uma fita em tempo real.

No Mac, o iMovie e Final Cut executam os arquivos de vídeo MPEG-4 sem piscar; entre os programas de edição de vídeo para Windows, a compatibilidade com MPEG-4 varia. A Sanyo também inclui um programa básico de edição tanto para Mac quanto para Windows.

A tela rotatória de 2,2 polegadas da HD1 é outra característica inovadora. As pessoas praticamente engasgam quando a vêem, provavelmente por ser a primeira vez que vêem uma tela orgânica de diodo orgânico emissor de luz (OLED) em uma câmera de vídeo.

A OLED é uma nova tecnologia de tela que oferece imagens mais brilhantes, mais coloridas e com maior contraste do que as telas de LCD tradicionais. De fato, as fotos e vídeos ficam melhores na tela da HD1 do que no computador ou na TV, o que não é necessariamente algo bom.

Em teoria, o OLED supostamente também deveria consumir menos energia do que as telas de LCD. Mas isto não ajuda muito a HD1; sua bateria dura apenas uma hora. A tela também não se sai bem sob forte luz solar.

A abertura da tela liga a câmera. No papel, isto é uma característica natural, agradável, que reduz o trabalho de começar a gravar. Na prática, isto significa que a tela deve ficar aberta para gravar tudo, o que consome energia da bateria e parece tolo quando você está gravando apenas áudio. (A HD1 atua como um soberbo gravador sem fita de alta capacidade. Não apenas o microfone embutido é de boa qualidade, mas alguém na Sanyo teve o bom senso de incluir uma entrada para microfone externo.)

Quando você está segurando a HD1 em posição de gravar -o que é ligeiramente desconfortável, graças às bordas afiadas de metal da câmera- dois grandes botões estão diante de você. Um tira fotos. O outro inicia e pára a gravação de vídeo. (Você pode até mesmo tirar uma foto enquanto grava, se não se importar com um hiato rudimentar no vídeo.)

As fotos de 5 megapixels são surpreendentemente boas (amostras estão na página nytimes.com/circuits). O flash montado no alto realmente funciona e há uma ampla variedade de controles manuais: exposição, ISO (sensibilidade a luz), disparador e abertura, além de balanceamento de branco. O ajuste da exposição não envolve a navegação em um menu; apenas a movimentação do joystick principal para a esquerda ou direita.

Isto não quer dizer que a Kodak, Canon e Nikon têm algo a temer. As fotos de objetos em movimento freqüentemente ficam borradas e em baixa luminosidade as fotos exibem mais grãos que um silo rural.

Mas danem-se as fotos. O que o mundo realmente quer saber é como é o vídeo de alta definição?

Segundo a Sanyo, "a HD1 oferece uma qualidade fantástica , especialmente em iluminação controlada e quando a câmera está estabilizada".

Ela deveria dizer "apenas", não "especialmente".

Estes dois fatores -iluminação e estabilidade- são questões fundamentais nesta câmera. Sim, é verdade: apóie a câmera em um tripé em um dia ensolarado na praia e seus filmes caseiros serão a sensação na família. Você chegará em casa, a plugará no seu aparelho de HDTV (cabos componente e S-video estão incluídos), apertará Play no controle remoto e espantará a todos com a clareza e beleza da imagem widescreen, 1.280 por 720 pixels, que os geeks chamam de vídeo de alta definição 720p. (A HD1 também grava em vídeo de definição normal com o apertar de um botão.)

O vídeo não chega à qualidade da HDTV comercial, nem mesmo aos resultados da HC1 da Sony da US$ 1.340. Mesmo assim, a HD1 é muito melhor do qualquer outra câmera de vídeo de bolso. Em seu melhor, ela até mesmo humilha a maioria das câmeras de vídeo com fita.

Mas sem uma boa iluminação e um tripé, a HD1 é problemática. Gravações em espaços fechados e com baixa iluminação são estragadas por pixels dançantes e "artifícios" de compressão (agrupamentos de pixels borrados).

E há a questão da estabilidade da imagem, onde a HD1 representa uma tempestade perfeita de problemas. Primeiro, você precisa segurar esta câmera verticalmente, com uma mão --uma receita para trepidação. Segundo, como ela carece de um visor, você precisa segurar a HD1 a certa distância, reduzindo ainda mais a estabilidade. Finalmente, a orientação horizontal do vídeo de alta definição, widescreen, tende a exagerar os efeitos da trepidação manual.

A HD1 conta com um estabilizador de imagem, mas ele não ajuda muito (veja o exemplo no vídeo online). Enquanto isso, ele produz um efeito colateral desagradável: ele sacrifica as margens externas do enquadramento do vídeo. Esta câmera já é fraca no departamento de grande angular -para enquadrar um adulto de 1,80 metro é necessário se afastar cerca de 4,5 metros- e o estabilizador agrava ainda mais a situação.

Finalmente, vale a pena notar que o foco automático da HD1 é excruciantemente lento. Qualquer câmera de vídeo precisa ajustar seu foco toda vez que você muda o zoom, grava um tema a uma distância diferente ou algo passa momentaneamente entre você e o tema. Em algumas situações, a HD1 leva até dois segundos borrados para se recuperar. O foco automático não consegue nem mesmo acompanhar o próprio zoom óptico de 10X da câmera.

Assim, não, a HD1 dificilmente se tornará a câmera preferida do cineasta independente. Mas o fato de poder carregá-la no bolso da calça certamente vale algo. O fato de ligar rapidamente e estar pronta para gravar em dois segundos também tem valor. Mesmo quando existir uma câmera de vídeo "real" à espera em alguma prateleira, um filmador oficial da família poderá freqüentemente ficar tentado a usar a HD1 quando algo adorável estiver acontecendo na sala de estar; a simplicidade e prontidão da HD1 lhe conferem grandes pontos por confiança e conveniência.

Em outras palavras, talvez a pergunta não seja: "Como a HD1 se sai como câmera de alta definição?" Talvez a pergunta mais apropriada seja: "Como ela se sai considerando seu preço e tamanho minúsculo?"

A resposta é que quando a luz é boa, a câmera está estável e as expectativas não são altas, a HD1 pode restaurar parte do brilho à reputação manchada das câmeras de vídeo de bolso com cartão de memória. Nova câmera de bolso da Sony combina precisão, memória e preço George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,71
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,12
    68.634,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host