UOL Notícias Internacional
 

25/02/2006

Wi-Fi para viagem: o hot spot que vem na caixa

The New York Times
David Pogue

Colunista de tecnologia
Você sabe o que seria legal? Um hot spot Wi-Fi portátil. Sempre que você quisesse um acesso a Internet, você não precisaria caçar por um café com conexão sem fio ou pagar US$ 24 pelo pernoite no hotel.

Em vez disso, você viajaria com uma caixinha. Bastaria plugá-la na tomada --ou mesmo no acendedor de cigarro do carro-- e pronto, você e qualquer um a uma distância de 60 metros poderia se conectar em Internet de banda lagar, sem fio.

Na verdade, tais caixas existem. Elas são produzidas por empresas como Kyocera, Junxion e Top Global e são tão incríveis quanto parecem. (Infelizmente, a categoria é tão nova que ninguém ainda concordou em um nome. "Hot spot portátil" é descritivo mas desajeitado. "Celular gateway" é enigmático. O termo da Kyocera, "roteador móvel", pode ser o melhor de todos.)

Antes que você pense que morreu e foi para o céu da Internet, é preciso saber que estas caixas não funcionam sozinhas. Cada uma exige a inserção de um cartão para laptop PC fornecido ou pela operadora de celular, como Verizon, Sprint ou Cingular. O cartão fornece a conexão de Internet, cortesia das redes de dados de alta velocidade para celular G3 (terceira geração) das empresas.

A caixa apenas retransmite tal conexão como um sinal Wi-Fi para que todos os computadores próximos --e não apenas um laptop privilegiado-- possam ficar online.

Com estes cartões para PC, você pode se conectar em qualquer lugar onde haja sinal para celular: em um táxi, no ônibus, em uma sala de espera ou qualquer lugar. Nas grandes cidades, a velocidade é um prazer, como uma conexão DSL ou um cable modem lento (400 a 700 kilobits por segundo).

Em outras áreas, você ainda consegue se conectar, mas apenas com velocidade ligeiramente maior do que a de uma conexão discada. (Note também que o upload, envio, é bem mais lento do que o download, recebimento.)

Tudo bem, vá em frente, pergunte: se seu laptop já pode receber um destes cartões milagrosos, por que você precisa de um roteador móvel para traduzir a conexão de celular para Wi-Fi?

Primeiro, nem todos os computadores possuem o slot para cartão necessário. (Os iBooks e os novos laptops MacBook Pro da Apple vêem a mente.) Segundo, o roteador móvel pode acomodar máquinas sem características sem fio --como computadores desktop-- graças a entradas para cabos de rede Ethernet padrão na traseira. (O Kyocera tem quatro, o Junxion dois e o Top Global um.)

Acima de tudo, Wi-Fi permite que muitos computadores compartilhem o mesmo sinal de Internet. O serviço Cellular PC-card é muito caro: US$ 60 por mês para uso ilimitado (US$ 80 se você também não tiver um plano de voz). É muito para se pagar para um único computador entrar online. Um roteador móvel abre o sinal para qualquer computador a um raio de 60 metros; US$ 60 por mês é muito mais aceitável quando 10 ou 20 de vocês puderem compartilhá-lo.

Roteadores móveis se tornaram equipamento essencial para grupos de viajantes. Empresas de ônibus e trens estão experimentando estas caixas para ver se a oferta de Wi-Fi de banda larga a bordo interessa aos passageiros. Estas caixas também estão se tornando agrados obrigatórios para elencos de filmes e séries de TV, assim como bandas de rock, para que possam checar e-mail ou navegar na Internet entre cenas, quando estão em locação ou no ônibus de excursão.

Mas um roteador móvel pode fazer sentido mesmo em ambientes estáticos. Pequenas empresas podem usar um como conexão de apoio em caso de falta de energia elétrica. (Um roteador móvel pode ser alimentado por bateria ou pelo carro.)

Outras pessoas estão cancelando seu serviços domésticos de DSL ou cable-modem. Em vez de pagar dobrado por acesso à Internet -pelo cable modem e pelo plano de celular para laptop- elas usam o cartão celular em casa e na rua para economizar dinheiro.

Para usar um roteador móvel, você insere seu cartão de celular para laptop (que primeiro deve ser ativado em um laptop com Windows). Então você conecta o roteador ao seu computador usando um cabo de Ethernet (incluso). Você digita o endereço numérico da caixa em seu browser de Internet e pronto: você está diante da página de configuração. Aqui é onde você indica qual a marca do cartão de PC que você tem (Novatel, Sierra Wireless ou outro), ativa a proteção de senha e lida com páginas e páginas de configurações de rede e segurança, se você gosta deste tipo de coisa.

A caixa da Junxion é uma barra grande de metal folhado, pouco impressionante exceto por sua pintura verde brilhante, medindo 16 X 26,1 X 2,8 cm e custando US$ 600. Como pode dizer pelo preço, a Junxion se interessa por compradores corporativos, não indivíduos. Mas apenas algumas poucas de suas características gritam "corporação". (Uma delas permite que um geek de rede configure várias caixas Junxion por controle remoto, do conforto da sede da empresa.)

Por US$ 600, você poderia esperar por mais que apenas duas parcas luzes de estado e os geeks poderiam esperar por um sinal móvel de 802.11g em vez da mais valha variante "b". Por outro lado, o Junxion apresenta algumas belas características, incluindo a capacidade de saldar colegas com uma tela de abertura. ("Bem-vindo à rodovia Wi-Fi gratuita do Dave! Clique conecte para continuar e não se esqueça de agradecer ao Dave depositando dinheiro ou comestíveis no cubículo dele.")

O novo Kyocera KR1, desenvolvido em conjunto com a D-Link, é mais atraente por duas razões importantes. Primeiro, ele custa apenas um terço (US$ 200 após os descontos). Também é muito menor, mais bonito (21,6 X 13,4 X 3,3 cm) e parece mais um produto comercial final.

Mas note que o KR1 funciona apenas com cartões Verizon e Sprint -ou como os geeks diriam, funciona apenas em redes EV-DO. Seus rivais, por outro lado, podem aceitar quase todos os cartões de qualquer serviço, incluindo o novo serviço BroadbandConnect da Cingular (disponível até o momento em 16 cidades).

Por outro lado, apenas o KR1 pode receber a conexão de Internet à partir de certos celulares EV-DO em vez de um cartão PC. Isto é, você pode conectar o Samsung A890 ou o Audiovox 8940, por exemplo, com um cabo USB. O telefone se torna uma espécie de antena de Internet para o roteador.

Se a caixa da Junxion representa a ausência completa de design industrial, então o 3G Phoebus da Top Global representa o auge dela. Este roteador móvel é uma pirâmide de plástico branca, cinza ou preta (17,8 X 17,8 X 14 cm) que nem tenta se parecer um equipamento de rede. Ou você adora a abordagem ou não.

Design à parte, o Phoebus tem muito a recomendá-lo. É o único modelo com liga-desliga -um botão cromado na frente. Também é o único modelo que, quando usado com cartões Sprint ou Verizon, se configura automaticamente; você pode deixar de lado os passos de configuração envolvendo cabo de Ethernet e browser de Internet. Você literalmente pluga a coisa, insere o cartão e começa a navegar. Tal característica e sua página de configuração baseada em browser de Internet superclara tornam o Phoebus o campeão da simplicidade.

Os únicos empecilhos são a única entrada de cabo Ethernet na traseira, o preço (US$ 400) e a dificuldade para encontrar um local que venda a coisa (sites de aparência caseira como americanevdo.net o vendem).

Não há como descrever a alegria de carregar consigo seu próprio hot spot Wi-Fi, pronto para que toda a turma possa desfrutar onde puder encontrar uma tomada ou mesmo um acendedor de cigarro de carro.

Mas nem todos estão felizes com esta categoria de produto. A Verizon, em particular, é altamente contra.

"Acesso de banda larga é voltado para consumidores individuais. Quando os consumidores usam aparelhos não autorizados para compartilhar o serviço, eles violam o contrato do serviço", disse Brenda Raney, a porta-voz da Verizon Wireless.

Mas esta objeção deve soar bem familiar para qualquer um que se recordar do início da era do cable modem. As empresas de cabo originalmente esperavam cobrar US$ 40 por mês por cada computador em casa e fizeram tudo a seu alcance para dissuadir as pessoas de conectarem roteadores de rede que pudessem compartilhar o sinal. No final, é claro, o bom senso venceu, as empresas de cabo perderam e agora quase todo sinal DSL ou de cable modem doméstico é compartilhado por dois ou mais computadores.

Se você gosta da idéia de um roteador móvel, qualquer uma destes hot spots em uma caixa cumprem o serviço. Mas considerando seu acabamento e preço baixo, o Kyocera KR1 fica com a vantagem (desde que você seja cliente da Sprint ou Verizon). Até que a ONU finalmente consiga cobrir o planeta com uma cobertura plena de Wi-Fi, estes aparelhos são a segunda melhor opção para encontrar uma conexão sem fio onde quer que você esteja. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,27
    3,252
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h23

    1,58
    74.594,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host