UOL Notícias Internacional
 

27/02/2006

Atriz pornô muda de ramo e vira produtora de vinho --e de boa qualidade, segundo críticos

The New York Times
Warren St. John
Em Nova York
Quando algum fã de Savanna Samson ouve seu nome, a primeira coisa que vem a sua cabeça talvez não seja vinho. Talvez não seja nem a quinta ou sexta coisa que pensa quando contempla Savanna Samson. De fato, possivelmente, nenhum fã de Savanna Samson faça a associação "Savanna Samson - vinho" em momento algum.

Savanna Samson --cujo nome verdadeiro é Natalie Oliveros-- é atriz pornô, e famosa. Ela faz parte do grupo de artistas produzidos e agenciados pela enorme Vivid Video, e é uma celebridade pornô.

Richard Perry/The New York Times - fev.2006 
Savanna Samson planeja produzir e vender vinho, após o término de sua bem sucedida carreira de atriz pornô
Ela é a atriz principal de 25 filmes de sexo explícito, duas vezes vencedora do Prêmio Adult Video News de melhor atriz; seu trabalho com Jenna Jameson em "The New Devil em Miss Jones", uma regravação do clássico, venceu o prêmio do ano passado de melhor cena de sexo só de mulheres.

No entanto, Oliveros é também produtora de vinho. Sua primeira safra é um vinho tinto italiano que ela chama de Sogno Uno (sonho um), de 2004, que faz sua estréia nesta semana nas lojas e restaurantes de Manhattan.

Uma estrela pornô fazendo vinho é um truque de propaganda, admite Oliveros. Mas o que separa seus esforços da vaidade de outras celebridades como Madonna e Rolling Stones é que seu vinho é bom --extremamente bom, segundo o especialista Robert M. Parker.

Depois de experimentar uma garrafa de Sogno Uno, em um bistrô em Paris no último outono, Parker deu ao vinho de Oliveros uma nota de 90 a 91, ou excelente, uma classificação que rapidamente dominou conversas no mundo dos vinhos.

"É um vinho muito bom --extremamente bom", disse Parker por telefone. "É verdadeiramente opulente e agradável e tem personalidade."

Tomando uma taça de Sogno Uno na semana passada em La Masseria, restaurante italiano em Manhattan, Oliveros disse que colocou em sua produção a mesma paixão que coloca em suas cenas de sexo, apesar de imaginar que os enólogos iam torcer o nariz.

"As pessoas têm que rir quando ouvem falar", disse ela. "Mas não quero que seja uma piada". Quanto à classificação de Parker, Oliveros disse: "Devia ter dado 93".

Peppe Luele, proprietário de La Masseria, disse que planeja servir Sogno Uno em seu restaurante, por US$ 70 a US$ 80 a garrafa (entre R$ 150 e R$ 170). Ele disse que também é fã do outro trabalho de Oliveros.

The New York Times 
Capa do DVD de "I Love This Business" (Eu Amo Esse Negócio), um dos clássicos pornôs estrelados por Savanna Samson
"Você viu os filmes?" perguntou, e abanou a cabeça impressionado: "Incrível."

Oliveros insiste que seu empreendimento na produção de vinhos é mais do que apenas uma brincadeira. Como estrela pornô de certa idade --ela não diz exatamente qual-- ela sabe que sua carreira no cinema está acabando. Em seu relativo curto tempo na indústria pornô --Oliveros gravou seu primeiro filme em 2000-- ela viu muitos tropeçarem quando seu tempo diante das câmaras terminou. Assim, vê o ramo dos vinhos como seu pára-quedas, diz.

"Vi tantas estrelas tombadas", disse Oliveros. "Não planejo ser uma delas."

Se existe uma "estrela pornô comum", é seguro dizer que Oliveros não se encaixa nessa categoria. Para começar, ela mora no lado leste de Nova York, com seu marido e filho. Ela começou a carreira na pornografia quando este tinha oito meses de idade.

"Malhei durante toda a gravidez", disse ela.

Oliveros disse que caiu por acaso na carreira de pornografia. Ela foi criada no Norte de Nova York, uma de cinco filhas, e mudou-se para a cidade aos 17 para seguir carreira de bailarina. Isso não aconteceu: "Porque eu não era boa o suficiente", disse ela.

Então, aceitou um emprego de dançarina em um clube de strip-tease chamado Scores, "para fazer dinheiro". Dali, foi uma curta distância até fazer seu primeiro filme pornô, sonho que se realizou quando escreveu uma carta a Rocco Siffredi, grande astro pornô europeu, pedindo para trabalhar com ele.

"Achei que poderia ir para a Europa, tirar essa fantasia do caminho, e ninguém jamais ouviria falar sobre isso", disse ela. Em vê disso, o trabalho foi nomeado melhor filme estrangeiro no prêmio de cinema Adult Video News, e logo Oliveros foi convidada ao "Howard Stern Show".

"E lá se foi o segredo", disse ela.

A notícia de sua carreira não caiu muito bem com a família e amigos, disse Oliveros.

"Meus pais ficaram arrasados com minhas escolhas profissionais", disse ela. "O que realmente me incomoda sobre o que eu faço é a dor que causei a eles."

Oliveros disse que seu maior talento é a paixão pelo trabalho e que genuinamente gosta de fazer sexo com estranhos.

"Naqueles poucos minutos que estou trabalhando com alguém, amo aquela pessoa", disse ela. "Por esta razão sou boa no que faço."

Oliveros continuou dançando no Scores, onde tinha uma política estrita de não namorar os clientes, disse ela. Essa regra caiu por terra quando conheceu Daniel Oliveros, mercador de vinho de Manhattan que estava lá com sua namorada na época.

"Tive que tirar ela do caminho", disse Natalie Oliveros.

Em seu primeiro encontro, Daniel Oliveros convidou sua futura esposa a um jantar regado a vinho com amigos e colegas do ramo. Assim começou seu relacionamento e também sua educação em vinho.

"Fiquei impressionada", disse ela.

Natalie Oliveros disse que seu marido é "uma raça muito estranha" que apóia sua carreira pornô. Ela faz seis filmes de sexo explícito por ano, e pode ganhar entre US$ 20.000 a US$ 100.000 por filme (entre R$ 42.000 e R$ 210.000), dependendo das vendas. Todos são gravados na Califórnia e levam entre três dias e duas semanas. Ela disse que seu marido é seu crítico mais duro.

"Sei que ele vai assistir, então me coloco ainda mais no que eu faço", disse ela. "Se conseguisse provocar um pouco de ciúmes nele, ficaria feliz. Mas isso nunca acontece."

Daniel Oliveros disse: "Sabia que ela tinha um esqueleto no armário. Mas desde que ela olhe para mim nos olhos e diga que me ama, não sou um ciumento."

Apesar de gostar de fazer filmes pornográficos, Natalie Oliveros disse que não se sentia completa. De férias na Toscana no ano passado, ela foi atingida por algo similar a uma crise existencial. "Como posso deixar uma marca neste mundo? E pensei: 'Vinho'."

Oliveros teve alguma ajuda em sua primeira produção. Por meio de seu marido, ela conheceu Roberto Cipresso, respeitado produtor e consultor italiano. Ela pediu a Cipresso que criasse várias combinações de uvas locais para chegar a seu sabor ideal. Ela experimentou as misturas e desistiu das uvas merlot e cabernet, dizendo que eram monótonas. Eventualmente escolheu a cesanese, uma uva antiga e pouco valorizada encontrada principalmente na região de Lazio, que tem um sabor leve, porém picante.

Oliveros disse que queria algo ligeiramente mais doce, então Cipresso acrescentou sangiovese à mistura. Para dar estrutura, eles acrescentaram montepulciano, uva aromática das montanhas da Toscana. Oliveros disse que conseguiu explicar suas preferências, mesmo sem conhecer o jargão do ramo.

"Quando eles dizem 'couro', penso 'botas velhas'", disse ela. "E quando eles dizem 'baunilha', penso em 'sorvete'". Eventualmente, eles concordaram em uma mistura de 70% de uvas cesanese, 20% sangiovese e 10% montepulciano, para criar um vinho complexo, com sugestões de pimenta, terra e algodão doce.

"Esse vinho vai fazer você pensar", disse Oliveros.

Ela encomendou 409 caixas --"Mais do que eu podia pagar", disse ela-- e começou a trabalhar no rótulo, eventualmente escolhendo um design que brinca com sua fama de garota Vivid. É uma imagem do perfil nu de Oliveros por baixo de um roupão transparente, usando o tipo de saltos que se espera ver, digamos, em uma dançarina do Scores. Ela planeja apresentar o vinho em uma festa de máscaras venezianas nesta segunda-feira (27/02) à noite, no La Masseria.

Oliveros planeja vender Sogno Uno por US$ 38 (em torno de R$ 80) a garrafa.

Ela disse que o sucesso ou fracasso de seu vinho será determinado nas próximas semanas pelos distribuidores e críticos. Ela está otimista, tanto que acaba de ir à Itália experimentar uma combinação para um vinho branco, que ela chamará de Sogno Due. Ela sugeriu que seus clientes potenciais abordem seu vinho da forma como ela aborda uma nova posição sexual.

"Não o derrube antes de experimentá-lo", disse ela. Savanna Samson conta que coloca na bebida a mesma paixão com que faz cenas de sexo; ela recebeu prêmio por melhor cena lésbica Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    1,28
    73.437,28
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host