UOL Notícias Internacional
 

28/02/2006

Alguém quer ir para Oman? Há mais navios e mais portos abertos para o turismo

The New York Times
Amy Gunderson
Todos os que já têm uma boa quilometragem marítima irão lhe dizer que atualmente os cruzeiros vão muito além das tradicionais ilhas banhadas de sol. Claro que há muitos roteiros pelo Mediterrâneo e pelo Caribe no próximo verão do hemisfério norte, mas as empresas de cruzeiros também estão mandando mais navios para o norte da Europa (onde você pode, por exemplo, ver o Palácio Barroco da Rainha Catarina, bem nos arredores de São Petersburgo) e providenciando mais vagas nos navios para o Alasca (onde você pode viajar pela Estrada de Ferro White Pass & Yukon, uma relíquia da corrida do ouro de 1898).

Royal Caribbean International/The New York Times 
Representação do interior do Freedom of the Seas, o maior transatlântico do mundo

Há excursões que levam passageiros para bem longe, longe até do navio (quem quer ir para a Antártida?) e cruzeiros com paradas em portos remotos do Oriente Médio e da Ásia, para os que quiserem misturar, digamos, um pouco de arqueologia com o descanso e a diversão.

Novos navios

Há seis novos navios transatlânticos nos mares em 2006: o Noordam da Holland America, o Pride of Hawaii da Norwegian Cruise Line, o Freedom of the Seas da Royal Caribbean, o Crown Princess da Princess Cruises, e mais dois navios de operadoras italianas --o Musica da MSC Cruises e o Costa Concordia da operadora Costa.

Com suas 160 mil toneladas e capacidade para 3.634 passageiros, o Freedom of the Seas (www.royalcaribbean.com) irá superar o Queen Mary 2 como o maior transatlântico do mundo quando começar a navegar em junho, com seus cruzeiros de sete noites pelo Caribe saindo de Miami.

O navio reserva muitas atrações para as crianças, incluindo um rinque de patinação no gelo, quadra de basquete, campo de golfe e piscina para vôlei aquático. Há também o muito divulgado FlowRider, atração para surfístas, que parece um cruzamento de uma piscina de natação de resistência com um veloz rio de canoagem da Classe V (felizmente, as lições estão incluídas).

Para os adultos, o Freedom of the Seas oferece atrações de fitness, como um ringue de boxe em tamanho real e um estúdio com oito aparelhos de Pilates.

E o segundo maior lançamento de transatlânticos previsto para esse ano é o do Crown Princess (www.princess.com), de 113 mil toneladas e capacidade para 3.080 passageiros, que tem um deck só de mini-suítes com cerca de 30 metros quadrados, mais suítes familiares interconectadas com capacidade para até oito pessoas, um spa de dois andares com academia e novas opções para jantares mais informais, incluindo uma área temática que imita um café urbano.

Agora nesse mês, o Noordam (www.hollandamerica.com), para 1.918 passageiros, tem saída prevista de Nova York para uma série de cruzeiros de 10 e de 11 dias pelo Caribe, que irá até abril e começará novamente em outubro. (Durante o verão do hemisfério norte, o Noordam deverá partir para a Europa, com previsão de cruzeiros de 10 dias pelo Mediterrâneo saindo de Roma).

Com suas 82.500 toneladas, esse navio é um pouco maior que as outras três embarcações da classe "Vista" de transatlânticos da operadora Holland America, com suas 35 habitações adicionais para convidados, incluindo 18 com varandas.

O Noordam tem todos os requintes que a Holland America vem implantando em seus outros navios, incluindo um centro de artes culinárias. Há também um wine bar que irá servir taças avulsas de cerca de 60 vinhos diferentes.

Novos destinos

O Oriente Médio está se transformando num destino cada vez mais requisitado entre os passageiros de cruzeiros, especialmente entre os que reservam viagens nos transatlânticos de luxo.

"Dubai está de novo na moda e o Egito agora está atraindo passageiros por causa do interesse despertado pela exposição do Rei Tut que recentemente esteve em cartaz nos Estados Unidos", segundo Brad Ball, porta-voz da Silversea Cruises (www.silversea.com), que tem uma frota de quatro navios apenas com habitações tipo suíte.

Neste ano, a operadora Silversea está começando a funcionar em 23 novos portos incluindo Khasab, no reino arábico de Oman (num cruzeiro de 14 dias com preços a partir de U$ 6.450). Mas o acesso a esses novos portos apresenta alguns problemas.

A Líbia está em alta como destino escolhido pelas operadoras de cruzeiros desde que o presidente Bush suspendeu, em 2004, um embargo das viagens ao país que durou 23 anos. Mas esse roteiro está correndo perigo devido à dificuldade em se obter vistos válidos para os viajantes americanos. Em outubro do ano passado, a operadora Silversea chegou a excluir a Líbia após ter sido informada que os passageiros americanos não seriam autorizados a desembarcar, de acordo com o porta-voz Ball.

Mas nessa temporada a Silversea leva adiante seus planos de efetuar suas primeiras paradas em dois portos líbios, Derna e Tobruk, e em meados de fevereiro já estava trabalhando no sentido de assegurar vistos individuais para os passageiros americanos em vez de cobrí-los sob um visto coletivo. Já a Oceania Cruises (www.oceaniacruises.com) retirou a Líbia de seus roteiros para 2006 e 2007.

Mas na maioria dos portos a navegação não ocorre em águas de tanta turbulência política. Tanto no Mar Báltico como nos portos da África do Norte e no Mar Negro surgem vários novos itinerários, com as operadoras lançando cruzeiros de curta duração.

A Crystal Cruises (www.crystalcruises.com) planeja a navegação pelo Báltico do Serenity, navio com 1.080 passageiros, nesse próximo verão do Hemisfério Norte. A operadora planejou um cruzeiro de 14 dias em junho que irá cruzar o Círculo Ártico até chegar a um novo porto, na ilha de Spitsbergen, na Noruega.

Também pela primeira vez, o Marco Polo da Orient Lines (www.orientlines.com), com seus 826 passageiros, irá navegar ao redor da Islândia, parando em cinco portos incluindo Reykjavik e Husavik. Esse cruzeiro, que irá sair de Copenhagen em julho, também desembarca na Noruega, na Dinamarca e nas ilhas Shetland e Faroe Islands, antes de voltar a Estocolmo, 19 dias depois.

Já a operadora Seabourn (www.seabourn.com) está acrescentando na sua lista de roteiros os portos de Sarande, na Albânia, e o antigo entreposto do período veneziano, Rovinj, na Croácia, enquanto a Crystal Cruises já aumentou o número de seus cruzeiros de sete dias pelo Mediterrâneo.

E o cruzeiro de volta ao mundo da Crystal a bordo do Serenity já inclui uma visita a Dubai, um destino que a operadora não incluía em seus itinerários há cinco anos.

As grandes operadoras

O Mediterrâneo continua a atrair as gigantes dos cruzeiros. A Norwegian planeja mandar para lá o Jewel com seus 2.376 passageiros, para cruzeiros de 7 e de 12 dias, e o Liberty da Carnival Cruise Lines (www.carnival.com) também voltará à região daqui a alguns meses.

E no front doméstico dos Estados Unidos, prepare-se para ver muitas opções de embarque, especialmente com navios saindo do Nordeste americano.

A Royal Caribbean está organizando cruzeiros em direção às Bermudas saindo de Filadélfia. Na primavera americana, a Cunard Line (www.cunard.com) planeja estacionar o Queen Mary no novo terminal de cruzeiros em Red Hook no Brooklyn; em junho, o Crown Princess da Princess Cruises já deverá lançar seus cruzeiros de nove dias pelo Caribe saindo do Brooklyn.

Já em Manhattan, saindo do terminal de cruzeiros de Nova York, os cruzeiros da operadora Norwegian Dawn incluem uma parada nas Bermudas em seus sete dias de navegação pelo Caribe.

Até o final do ano, o porto de Nova Orleans reiniciará sua atividade no tráfego de cruzeiros. Tanto a Norwegian Cruise Lines como a Carnival Cruise Lines planejam retomar suas operações a partir de Nova Orleans em outubro.

O Sensation da operadora Carnival deverá ser reformado, após sua missão de serviços pós-furacão para a Agência de Emergências Federais. E a operadora Princess Cruises começará em dezembro a operar, pela primeira vez, a partir de Nova Orleans.

Pequenos navios

A Windstar Cruises (www.windstarcruises.com) está aumentando seu número de cruzeiros pelas ilhas gregas para 38 viagens. Dois de seus navios (basicamente iates motorizados e equipados com amplas velas), o Wind Star e o Wind Spirit, navegarão entre Istambul e Atenas.

Os roteiros foram organizados para que seus passageiros possam reservar passagens para diversos cruzeiros de sete dias sem repetição de portos visitados.

A SeaDream Yacht Club (www.seadreamyachtclub.com) está transferindo um de seus dois navios de 110 passageiros do Caribe para a América do Sul em novembro. "O Caribe está sobrecarregado. Há navios demais por lá", diz Ernie Beyl, porta-voz da SeaDream.

O SeaDream I irá navegar entre Rio de Janeiro e Buenos Aires, sendo que terá um cruzeiro de 9 noites e 10 dias saindo da capital argentina e voltando para lá, com paradas em quatro portos do Uruguai, inclusive em Colonia del Sacramento, tombada pela Unesco como Patrimônio Mundial.

A Discovery World Cruises (www.discoveryworldcruises.com) agora tem um roteiro para as ilhas Galápagos, com autorização para que seu navio, o Discovery, explore a área com 500 passageiros (embora esse total possa chegar a 650).

A Cruise West (www.cruisewest.com) organiza tours de navegação de 14 dias pelo Japão pela primeira vez esse ano, com roteiros que incluem um novo porto a cada dia. A operadora tem também uma forte presença no Alasca, com oito navios navegando por lá nesse verão ártico, com aumento de 70 por cento nas permissões para entradas no Parque Nacional da Baía Glacial em relação ao ano passado.

Há também cruzeiros de três dias e quatro noites saindo de Juneau, incluindo um dia inteiro de navegação pelo Parque Nacional da Baía Glacial.

Novas excursões

Algumas das excursões mais aventureiras desse ano incluem a caminhada pelas montanhas da Terra do Fogo na Argentina, da Crystal Cruises, e a excursão terrestre da Norwegian Cruise Lines pela Antártida saindo de Punta Arenas, no Chile --é uma viagem adicional de um dia de duração, num pacote válido pelo mês de abril que sai por U$ 2.000 (cerca de R$ 4.300).

De maneira geral, as excursões estão cada vez mais saindo do caminho habitual. Como, por exemplo, a Discovery World Cruises já acrescentou novos portos na Geórgia e na Ucrânia, incluindo o porto de Sevastopol, onde os passageiros agora podem visitar uma antiga base de submarinos soviéticos, e também Yalta.

Mas talvez a maior atração fora dos navios seja aquela onde não é necessário sequer sair do navio. Algumas operadoras de cruzeiros estão posicionando seus navios no Mediterrâneo para o eclipse solar do dia 29 de março.

O Prisendam (Holland America) e o Clipper Adventurer (Clipper Cruise Line, www.clippercruise.com) estarão por lá em locais de visão privilegiada.

Para a família

O Freedom of the Seas não é o único navio especialmente indicado para as famílias. A operadora Lindblad Expeditions (www.expeditions.com) já apresenta um total de crianças em suas expedições a bordo de pequenos navios, transportando entre 47 e 110 pessoas, que corresponde à quase metade do total de passageiros em seus cruzeiros de verão pelas ilhas Galápagos, Costa Rica e Alasca.

Como conseqüência, a operadora já criou cardápios dedicados às crianças em todos os seus navios e recentemente promoveu treinamento entre seus funcionários para atender melhor às famílias e crianças pequenas.

Para a operadora Holland America, atualmente o Alasca e as famílias combinam perfeitamente. "Não é difícil ver umas 200 crianças num cruzeiro de 1.800 pessoas ao Alasca", diz Richard Meadows, vice-presidente sênior de vendas e marketing da Holland America.

A partir de maio, oito dos navios da Holland America começarão a singrar as águas do Alasca, alguns deles entrando pela Grande Passagem Interna e visitando o Parque Nacional da Baía Glacial. Essa será a maior presença da operadora já registrada na região.

Apenas dois dos navios da Holland America no Alasca não terão áreas especiais para crianças e adolescentes no próximo verão ártico. Como parte do programa do chamado "Club HAL", adolescentes terão seu próprio salão (proibida a entrada de adultos) com aparelhagem de karaokê, televisão e computadores com acesso à Internet.

Algumas excursões pela costa terão maior apelo para os jovens que para os adultos. Uma delas pode ser o tour de helicóptero da Holland America de Juneau até a geleira de Mendenhall, encerrando com percurso de 25 minutos num trenó conduzido por cães.



Todos os obcecados por cruzeiros já estão navegando pelos projetos para 2007. No ano que vem, a Crystal irá parar em Israel pela primeira vez desde 1999. A Cruise West começa a promover viagens de oito, nove e 12 dias pelo Vietnã.

Já a operadora Seabourn irá retomar seus cruzeiros pela China no primeiro trimestre de 2007. A Princess vai operar com dois navios na América do Sul, incluindo seis países e com navegação pelas águas da Antártida.

Para quem pretende fazer a circunavegação pelo planeta, o Queen Mary 2 fará seu primeiro percurso pelo mundo, e a Silversea irá lançar seu primeiro cruzeiro mundial saindo de Fort Lauderdale, na Flórida, depois parando em lugares como a Ilha de Páscoa; Napier, na Nova Zelândia; e em Salalah, no reino de Oman, entre outros 56 portos.

Para os que não dispõem de quatro meses de férias, o cruzeiro pode ser comprado em segmentos curtos, começando por viagens de 11 dias. Embarcações maiores permitem viagens longas a locais incomuns Marcelo Godoy

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host