UOL Notícias Internacional
 

19/03/2006

Jovens desperdiçam oportunidades de investimento para aposentadoria

The New York Times
Por Paul J. Lim
No mundo da aposentadoria de hoje, do "faça você mesmo" mas "não sei se terei aposentadoria amanhã", é natural que os membros da geração "baby boom", a dos anos 50, procurem aconselhamento financeiro.

O que é surpreendente, porém, é o conselho que eles mais querem. "Nossa expectativa era que teria a ver com previdência social, pensões ou planos de saúde", disse Craig Brimhall, vice-presidente de estratégias de aposentadoria na Ameriprise Financial, que recentemente estudou as atitudes sobre a aposentadoria.

Mas esses temas ficaram em segundo e terceiro lugares na pesquisa da Ameriprise. Em vez disso, a maioria dos trabalhadores mais velhos disse que precisava mesmo de conselhos para ensinar seus filhos a lidar com dinheiro e finanças.

Esses pais podem ter razão. Com todos os erros que os trabalhadores mais velhos fazem em poupança e investimento para sua aposentadoria, seus filhos estão se saindo ainda pior administrando suas contas de previdência privada com isenção de impostos e patrocínio dos empregadores, chamadas de 401(k).

A firma de consultoria de benefícios de empregados Hewitt Associates, em Lincolnshire, Illinois, estudou recentemente como as diferentes gerações administram seu capital para a aposentadoria.

Algumas conclusões: somente 31% dos trabalhadores da Geração Y (de 18 a 25 anos) com direito a participar de um plano 401(k) o estão fazendo. Em comparação, 63% dos trabalhadores da Geração X (de 26 a 41 anos) que têm esse direito usam os planos, enquanto 72% dos "baby boomers" (42 a 59 anos) o fazem.

A Hewitt prevê que o empregado médio da Geração Y em uma grande companhia, o qual não contribui, pode esperar receber apenas 43% de sua renda pré-aposentadoria ao se aposentar, com base nos cálculos atuais da Previdência Social. Os jovens trabalhadores que aproveitam o 401(k) têm uma boa probabilidade de receber toda a sua renda pré-aposentadoria, graças principalmente ao poder dos juros compostos ao longo de várias décadas.

A aposentadoria é provavelmente a última coisa que preocupa as pessoas na faixa dos 20 anos, que estão entrando no mercado de trabalho com dívidas de empréstimos universitários e no cartão de crédito.

Mas o perturbador é que embora a maioria dos jovens trabalhadores perceba que está por sua própria conta em relação a poupar para a aposentadoria, muitos dos que investem no 401(k) não têm idéia de como aplicar seus fundos. O trabalhador médio da Geração Y coloca cerca de 35% de seus investimentos em opções de renda fixa como fundos de títulos e os chamados fundos de valor estável, que são veículos semelhantes a títulos. Isso significa que os trabalhadores mais jovens estão investindo de modo ainda mais conservador que seus pais, que, em média, mantêm só 31,4% de seu dinheiro do 401(k) em títulos, segundo a Hewitt.

Richard A. Davies, vice-presidente executivo para aposentadoria e poupança para universidade da AllianceBernstein Investments, disse que os trabalhadores da Geração Y estão bem mais próximos de uma alocação de 60/40 entre ações e títulos. Mas "um equilíbrio de 60/40 é aproximadamente a alocação certa para uma pessoa de 65 anos, e não para uma de 25", ele disse.

Por que os jovens trabalhadores são tão conservadores?

Uma parte da explicação pode ser o momento, disse Ivory Johnson, diretor de planejamento financeiro no Scarborough Group, uma firma de assessoria de investimentos em Annapolis, Maryland. "Quando os mercados caíram em 2000 e 2001, esses garotos estavam na faculdade", disse Johnson. "Por isso sua primeira impressão do mercado de ações foi que eles poderiam perder muito dinheiro".

Lori Lucas, diretor de pesquisa de aposentadoria na Hewitt, disse que outros fatores também influíram. Alguns jovens trabalhadores que se inscreveram no 401(k) mas não escolheram as opções de investimento podem ter sido colocados por seus planos nas opções mais seguras, como um fundo no mercado de aplicações de curto prazo. Muitos desses trabalhadores simplesmente não sabem mudar o dinheiro das opções padrão.

Jovens investidores na faixa dos 20 anos provavelmente deveriam manter 90%, senão todos os ativos do 401(k) em uma mistura diversificada de ações, disse Davies, da AllianceBernstein.

Por quê? Existem dois conjuntos básicos de riscos nos investimentos. O primeiro envolve prejuízos de curto prazo que você pode sofrer ao aplicar em ações. Mas o segundo -- e igualmente importante -- é que em períodos prolongados o poder aquisitivo do dinheiro será comido pela inflação.

Quanto mais jovem você for -- e mais tempo tiver para investir --, mais importante é se concentrar no último risco, disse Stuart L. Ritter, um planejador financeiro da T. Rowe Price em Baltimore. E como as ações são mais eficazes para superar a inflação que os títulos, você deve investir a maior parte do seu fundo de aposentadoria em ações.

O fato é que os 20 anos são o momento ideal para apostar em ações. Para começar, quando você é jovem tem pouco a perder. O investidor médio da Geração Y no 401(k) poupou apenas US$ 3.200, segundo a Hewitt.

Isso significa que se você investir 100% desse dinheiro em ações e seus investimentos caírem 50% -- que é aproximadamente o quanto o índice Standard & Poor's 500 caiu de seu pico em 24 de março de 2004 para seu piso em 9 de outubro de 2002 -- você perderá US$ 1.600.

Por outro lado, o membro típico da geração "baby boom" tem cerca de US$ 93.200 em sua conta 401(k), segundo a Hewitt. Uma perda de 50% numa posição semelhante formada só por ações seria de US$ 46.600. Isso é dinheiro de verdade.

Mas não se trata apenas de perdas potenciais. Entre 1956 e 2005, uma aplicação de 100% em ações gerou rendimentos médios anuais de 10,44%, segundo a T. Rowe Price. Em comparação, uma estratégia de 60% em ações, 40% em títulos e dinheiro resultou em ganhos anuais médios de 9,09% -- ou 1,35 ponto percentual a menos.

Embora isso não pareça muito, pode fazer uma enorme diferença ao longo do tempo. A AllianceBernstein descobriu que um investidor que começa contribuindo para o 401(k) aos 25 anos e continua poupando até os 65 poderá ter mais dez anos de gastos de aposentadoria se acrescentar apenas 1 ponto percentual aos rendimentos anuais.

Uma opção simples para os jovens trabalhadores que não têm certeza de como investir é colocar todo o 401(k), ou a maior parte, num chamado fundo de aposentadoria com data-alvo. Essas opções cada vez mais populares, que também são chamadas de fundos de ciclo de vida, são portfólios que investem em uma mistura de ações e títulos que são adequados à idade do investidor -- e se ajustam automaticamente com o tempo. A maioria dos fundos de ciclo de vida adequados para pessoas na faixa dos 20 começa com 80% a 100% de ações.

É ainda mais importante incentivar os jovens trabalhadores que não estão poupando atualmente a contribuir para seus 401(k). Ritter acredita que um motivo pelo qual as pessoas de 20 anos não estão participando é porque elas não sentem confiança em sua capacidade de investir. "As pessoas têm medo de tomar as decisões erradas", ele disse. "Então acabam não tomando decisões."

Mas para os jovens trabalhadores a decisão errada é deixar que o medo de investir -- e de investir agressivamente -- determine seus atos. Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h49

    -0,23
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h53

    -0,23
    75.814,73
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host