UOL Notícias Internacional
 

03/04/2006

Antes do feriado de primavera, o desafio anoréxico

The New York Times
Por Alex Williams
"Eu realmente vou começar a perder peso antes do feriado de primavera",
escreveu uma garota de 15 anos em seu blog no Xanga.com, um site de redes sociais. "Hoje eu consegui ficar 24 horas sem comida e então comi
feijão-caupi e um pouco de (macarrão) ziti assado. Francamente, estou
orgulhosa de mim mesma, sem contar os 100 abdominais sobre a bola de ioga e os 100 que faço antes de dormir. Viva para mim."

Uma californiana de 18 anos escreveu: "Eu estou com 49 quilos agora. Restam 3 semanas para o feriado de primavera e eu quero ficar com pelo menos 44-45 quilos. Posso conseguir isto facilmente".

Uma garota que se identificou como Workhardgetskinny escreveu: "Eu fiz
apenas 100 abdominais com carga mas estou tentando fazer mais 200 antes de dormir. Restam dois dias para o feriado de primavera!"

A discussão ocorreu em um das redes de blogs do Xanga, uma série de diários de Internet ligados por um tema comum, neste caso um desafio de feriado de primavera, no qual as mulheres jovens prometeram perder peso antes de suas viagens às praias da Flórida e do México.

Suas páginas na Internet eram decoradas com imagens de supermodelos
magérrimas e celebridades finas como uma flauta como Nicole Richie.
Declarações como "Comida é Veneno" e "Diet Coke é Amor" brilham como banners de publicidade nas telas. As participantes também compartilham suas indulgências diárias. Uma garota confessou ter comido "uma bolacha água e sal, um morango e um pouquinho de sopa" em um período de 24 horas. Outra recontou um almoço que consistia de uma fatia de manga e um pedaço de chiclete.

Para a maioria dos estudantes o feriado de primavera representa a promessa de folga regada a cerveja em meio ao frio do Norte e ao estresse do final do ano letivo, um tempo para deixar os problemas de lado e curtir a vida. Mas para uma subcultura de estudantes com desordens alimentares, esta semana de folga anual passada na Flórida, México e no Caribe em março e abril representa o ápice da privação e da renúncia.

Apesar de algo não amplamente discutido -os sofredores de desordens
alimentares freqüentemente passam anos em negação sobre sua condição e os terapeutas que os tratam raramente conseguem isolar um único motivo para estas síndromes psicológicas complexas- aqueles que tratam de desordens alimentares dizem que o feriado de primavera é um dos momentos mais perigosos do ano para as mulheres jovens que lutam com seu peso e alimentação.

"Este é um momento que faz com que a jovem comece a ficar obsessiva com seu peso e imagem do corpo", disse Margo Maine, uma psicóloga clínica de West Hartford, Connecticut, especializada em desordens alimentares. Ela disse que observa um aumento da ansiedade com o peso a cada ano entre suas jovens pacientes antes do feriado de primavera. "No início de fevereiro as pessoas começam a falar sobre seus corpos e a se prepararem para o feriado de primavera. Mesmo as garotas que estão apenas em volta da conversa não conseguem escapar dela."

A fantasia de obter um corpo "pronto para o biquíni" no prazo é um incentivo intoxicante, segundo aquelas que vivenciaram e observaram o comportamento. E em um ambiente escolar, na qual grupos fechados de jovens costumam viajar juntos, as dietas facilmente se tornam competitivas ou, como Maine colocou, contagiosas.

Para Ashley Filipp, uma universitária recém-formada que se recobra de
anorexia e bulimia, a preparação para o feriado de primavera quando era
estudante no Colorado representava, segundo ela, "o grande momento do ano".

Ela acrescentou: "Você começa a perceber que ganhou peso no inverno e que agora é hora de perdê-lo".

Começando no último ano do colégio, Filipp, 24 anos, lembrou que a
preparação para a viagem anual ao México no feriado de primavera começava pelo menos 100 dias antes. "Assim que fazíamos nossos planos, minha melhor amiga e eu começávamos a contar 'Quantos dias para Cancún?'" lembrou Filipp, que atualmente trabalha como conselheira da linha telefônica de crise da Associação Nacional de Anorexia Nervosa e Desordens Associadas, em Highland Park, Illinois.

Quando Filipp entrou na faculdade, ela disse, não havia falta de estudantes dispostas a se juntar a ela no que se tornou um ritual pré-feriado de primavera. Em janeiro e fevereiro, ela disse, a cena dentro da casa da irmandade às vezes lembrava as Olimpíadas da perda extrema de peso. Algumas estudantes se alimentavam apenas com pouco mais do que alface temperada como spray sabor manteiga livre de calorias. Outras recorriam ao vômito ou a laxantes. Exercício obsessivo era comum.

A dieta em grupo que é relativamente comum entre amigas e membros de
irmandade assume uma forma mais organizada na Internet, onde o feriado de primavera se tornou um assunto popular em sites e salas de bate-papo
mantidas por devotas de um movimento controverso conhecido como "pró-ana", ou pró-anorexia, que às vezes se identificam em público usando braceletes vermelhos. Há centenas de sites pró-ana que promovem e apóiam o "estilo de vida anoréxico", apesar dos esforços agressivos para fechá-los por ativistas de desordens alimentares. Além disso, as pró-anas também estão presentes em sites de redes sociais como MySpace.com, Xanga e Livejournal.com, onde os temas dos blogs variam de emo music a parasailing.

No Xanga, grupos de membros pró-ana que ligam seus blogs por um interesse comum na perda extrema de peso às vezes participam em uma distorção perversa dos Vigilantes do Peso. Em vez de acumularem pontos por alimentos comidos, os pontos são concedidos por privação: um ponto para cada dia sobrevivido com menos de 500 calorias; 6 pontos para cada dia com menos de 100 calorias; 2 pontos para cada pílula de dieta tomada; um ponto para cada foto de celebridade magérrima em página de Internet, conhecida como "thinspiration" ou "thinspo" (inspiração magra). Os pontos são obtidos durante desafios em grupo que visam perder peso antes do feriado de primavera. Outros desafios se concentram na temporada de bailes, nas festas e verão.

Nem todas que discutem perda de peso em sites se enquadram no critério de anoréxicas ou se identificam com o submundo ana. Xanga é apenas um dos muitos locais de encontro na Internet para redes de discussões ligadas ao peso. John Hiler, seu executivo-chefe, disse em uma mensagem por e-mail: "Nós não temos nenhum desejo de abrigar grupos 'pró-ana'. Se os usuários os denunciarem, nós os apagaremos de nosso sistema".

Ainda assim, alguns terapeutas sugerem que as páginas pró-ana podem ter algum valor, servindo como grupos de apoio para jovens anoréxicas, que
sentem que não têm para onde se voltar. Especialistas que tratam de
desordens alimentares temem que garotas saudáveis e mulheres jovens que usam o feriado de primavera como desculpa para empregarem técnicas de dieta perigosas podem cair em comportamento autodestrutivo. "Pegue uma garota típica de 15 anos, que está voltando sua ansiedade para o feriado de primavera, e se houver outros problemas em sua vida ou família, ela será uma forte candidata à anorexia ou bulimia", disse Doug Bunnell, diretor de tratamento do programa de desordens alimentares do Centro Renfrew, em Wilton, Connecticut. "A primeira dieta delas pode se transformar em um verdadeiro pesadelo."

As redes online pró-ana podem ser particularmente perigosas, disseram
especialistas, porque as participantes podem oferecer conselhos irresponsáveis por trás da máscara do anonimato. Vários terapeutas de
desordens alimentares entrevistados disseram que consideram todo o material pró-ana na Internet altamente perigoso, particularmente quando envolto em um espírito de competição.

"Não há nenhuma boa pesquisa até o momento sobre como estes sites realmente afetam as adolescentes", disse a dra. Rebecka Peebles, uma pediatra que é especializada no tratamento de desordens alimentares adolescentes no Lucile Packard Children's Hospital em Palo Alto, Califórnia, e que está conduzindo um estudo dos sites pró-ana e "pró-mia" (bulimia) na Internet. "Mas posso lhe dizer por observação que algumas das minhas pacientes são altamente estimuladas por estes desafios de pontos. É muito difícil de resistir a tal grau de competição."

No Xanga, uma jovem de 20 anos do segundo ano de uma universidade não
revelada que incluiu fotos de si mesma com aparência atraente, em forma e saudável, escreveu: "O feriado de primavera está chegando em meados de março e eu quero parecer supergostosa". Ela explicou que deseja despencar de 60 para 50 quilos quando ela e seus amigos partirem para o México, em parte reduzindo sua ingestão de alimentos para 500 calorias, cerca de um terço do que é recomendado para uma mulher jovem, assim como com exercícios. Mas, ela acrescentou: "Eu sempre adoeço quando corro e não como o suficiente. Isto acontece com vocês?"

"Sim", respondeu uma pessoa, "se eu comer menos de 300 calorias e malhar por vários dias, eu começo a me sentir mal. Eu odeio isto, mas acabo comendo um pouco mais porque não quero desmaiar. Amor & apoio".

Apesar de não ser possível estimar o número de mulheres jovens que
participam de disputas de perda extrema de peso para o feriado de primavera, ou como avaliar quanto cresceu a popularidade de tais disputas, especialistas em desordens alimentares dizem que o aumento do feriado de primavera como fenômeno cultural pode ter um papel.

"A cada ano o feriado de primavera parece ficar cada vez maior", disse
Maine, acrescentando que a pressão da imagem do corpo também cresce. Ela disse que a expectativa de "farrear como uma estrela do rock e abusar" também "inclui se parecer com uma estrela do rock", o que significa na moda, mesmo que perigosamente magra.

Também é uma oportunidade de mostrar o corpo e desfilar diante do sexo
oposto.

"É um momento de exibição", disse Eileen Adams, uma psicóloga e especialista em tratamento do Rancho Remuda, um centro religioso para desordens alimentares em Wickenburg, Arizona. "Isto coloca muita pressão sobre as jovens."

E a maioria das jovens já estão sentindo a pressão, pelo menos quando se trata das ansiedades ligadas à imagem do corpo. Associações de desordens alimentares dizem que cerca de 86% das cerca de 10 milhões de mulheres e garotas americanas -e 1 milhão de garotos e homens- que sofrem de desordens alimentares informaram o surgimento do quadro aos 20 anos.

A pressão apenas piorou com os anos, disseram terapeutas, à medida que o feriado de primavera se tornou mais sexualizado em praias como South Padre Island, Texas, ou Cancún ou na MTV. O biquíni fio dental e disputas de camisetas molhadas tornam uma simples semana de feriado de professores e provas parecer mais um carnaval para a faixa etária de 18 a 21 anos.

Alguns terapeutas disseram que a ética permissiva em geral do feriado de primavera também pode servir como uma desculpa perigosa para estudantes ultrapassarem as fronteiras do bom senso e da autopreservação. As bulímicas correm risco em particular, disse Bunnell do Centro Renfrew, já que tendem a ser atraídas aos extremos, como exemplificado pelos ciclos de bebedeira e vômito. As anoréxicas, por outro lado, são geralmente motivadas por questões de controle; geralmente são reservadas, são perfeccionistas socialmente ansiosas que tentam dominar sua ingestão de alimento porque sentem que não conseguem controlar outros aspectos de suas vidas. Para elas, ele disse, "qualquer coisa que intensifique a ansiedade da imagem do corpo as encorajará a serem mais sintomáticas".

A dificuldade para pais e educadores é distinguir entre a rotina de dieta pré-feriado de primavera e algo pior. "Se uma criança está fazendo uma dieta de primavera para perder alguns quilos, ela estará bem", disse Maria Rego, uma psicóloga e diretora do programa de desordens alimentares do Linden Oaks Hospital e do Edward Hospital, um centro de saúde mental em Naperville, Illinois. Mas as pessoas que realizam dietas e entram em território perigoso "se tornarão irritáveis, preocupadas", ela disse. "Elas pularão refeições e deixarão de comer com a família. É uma mudança total de humor e mentalidade."

Às vezes tal mudança de humor pode acontecer logo depois do feriado de
primavera, em vez de antes.

Em uma série de blogs do Xanga de Desafio do Biquíni em Breve, uma garota de 19 anos relatou as ansiedades que estava experimentando dias depois de voltar de uma semana na praia com os amigos: "Esta noite eu estava olhando no Facebook os álbuns das pessoas sobre o feriado de primavera. Eu vi fotos de todas aquelas garotas bonitas -bronzeadas, perfeitas em seus biquínis- e todos aqueles caras estavam comentando sobre as fotos: 'Ela é muito gostosa!' ou 'Uaaauuu!!' Coisas assim. É isto o que eu quero".

"Isto me faz querer perder mais peso e então deixar que estes caras me
vejam."

Ela concluiu: "Eu odeio garotos. Eu odeio meu corpo. Boa noite". George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host