UOL Notícias Internacional
 

18/05/2006

Palm supera a si mesma com Treo melhor

The New York Times
David Pogue
A indústria eletrônica atua como um jogo muito caro de pula sela. Você compra algo em abril e, então, uma versão mais nova, mais rápida e mais barata sai em maio. Droga!

Por outro lado, você pode ter sorte; você pode esperar até que saia uma versão melhor. Então você se senta no trem, no avião ou no estádio, olhando para os pobres coitados que compraram o telefone, music player ou câmera do mês passado.

Se você está à procura de um telefone inteligente -um celular com múltiplas funções com teclas Tic Tac para digitar e-mail- o jogo está ganhando velocidade. Nesta semana, a Palm apresentou seu mais recente modelo do popular telefone Treo, apenas quatro meses após o lançamento do anterior.

O Treo encontrou um lugar especial nos corações dos mais técnicos. Ele oferece um telefone bonito que se encaixa adoravelmente na mão, exibe fotos em uma tela grande e brilhante de toque, lida com e-mail e navegação em Internet tão bem quanto um celular é capaz -e serve como organizador Palm, sincronizando sem esforço seu calendário, agenda de endereços e documentos do Microsoft Office com seu Mac ou PC.

Aparelhos vários-em-um raramente realizam uma única tarefa tão bem quanto um aparelho dedicado (pense em aparelhos de fax-impressora-scanner ou câmeras-music players). Mas o Treo chega deliciosamente perto.

De alguma forma, a Palm conseguiu inserir nele um teclado ao estilo BlackBerry (bem iluminado, por sinal); uma chave física que silencia todos os sons (que, assim que começa a abertura, você pode apertar sem precisar tirar a coisa do bolso); uma câmera digital embutida; um botão de memorando de voz que também pode gravar chamadas telefônicas (o que é ótimo quando alguém começa a passar direções de trânsito pelo telefone); um slot para cartão de memória SD (para guardar música, fotos e vídeos); uma bateria removível (4,5 horas de conversa, 300 horas em stand by); e uma chave de cinco posições que permite que você opere a maioria das funções com uma mão.

De alguma forma, tudo isto funciona junto sem se tornar um descarrilamento de trem de complexidade.

Em janeiro, a Palm lançou um novo modelo chamado Treo 700W, que daqui em diante será conhecido como Atualização Benção/Maldição. O modelo era ainda menor (5,8 X 11,2 X 2,3 cm), mais rápido (312 megahertz) e com maior capacidade (60 megabytes de memória livre). Mais importante, ele trouxe luz às vidas de pessoa que viajam a negócios ao acessar as redes de celular super-rápidas da Verizon e Sprint (conhecidas como EV-DO). Por um preço, você podia realizar suas tarefas de Internet em algo próximo à velocidades de cable-modem.

O 700W também introduziu uma câmera melhor, de maior resolução (1,3
megapixels), botões dedicados Talk e End, e teclas arredondadas mais
refinadas e mais fáceis de apertar com os polegares.

A maldição é que em vez do sistema operacional eficiente e refinado da Palm, este modelo rodava com uma versão móvel do Windows.

Espremer um Windows dentro do Treo visava seduzir os compradores
corporativos, cujo lema é: "Ninguém nunca foi demitido por comprar
Microsoft".

Mas de um ponto de vista de elegância, foi um passo bizarro. No 700W, pontos problemáticos e desencontros de design se destacavam como polegares inchados. Havia um botão OK que na verdade significava Cancelar, um menu Iniciar onde só cabiam sete programas. A agenda só permitia entradas com início a cada meia hora; os botões Calendário e Agenda de Endereços foram substituídos por comandos em menu (que exigiam mais passos para operar); e os botões "Mute" e "Viva-Voz" foram escondidos em menus pop-up.

O que os apreciadores de bom design realmente queriam, é claro, era um
telefone com o hardware modernizado do 700W mas com o sistema operacional mais lógico Palm.

As boas coisas chegam para aqueles que esperam. O 700P é o Windows Treo sem Windows, e é quase tudo que você gostaria que ele fosse.

Isto é, ele oferece todos os mesmos agrados de hardware do Windows
Treo -Internet de alta velocidade, teclado melhor, teclas Talk e End, câmera melhor, melhores especificações- mas dotado do sistema operacional Palm mais eficiente.

Aqui está o botão Home de volta ao local ao qual pertence; apertá-lo leva você a uma lista completa de todos os programas na máquina. (E aqui há a opção de visualizar lista, ausente na versão Windows, que permite que você veja 22 programas por vez sem rolar a página.)

Também está presente o browser Blazer da Palm, que exibe páginas de Internet na tela muito mais rápido do que o Internet Explorer do 700W; se você é assinante de serviço de Internet de banda larga, então rádio, música e videoclipes "streaming" são um prazer.

E aqui, louvado seja, há a tela de toque brilhante, 320 X 320 pixels que o Treo costumava ter -e não a 240 X 240 da versão Windows.

De algumas formas, na verdade, o 700P supera o 700W e oferece alguns belos toques próprios.

Por exemplo, os programas de exibição de slides e execução de filmes e áudio apresentam aspecto consistente e moderno. Não que você vai escolher um celular por causa de seu software de exibição de slides, mas agora você pode adicionar um comentário de voz a cada slide, se assim desejar.

A cópia em miniatura do Microsoft Office no Treo, chamada Documents to Go, agora está inserida no circuitos do Treo, de forma que não devora mais parte dos 60 megabytes de memória livre disponíveis para seu uso. Você pode abrir documentos do Word, Excel, PowerPoint e PDF mesmo quando são enviados como anexos de e-mail.

Ainda mais importante, o 700P e as primeiras operadoras (Sprint e Verizon) adotaram o milagre conhecido como "dial-up networking". Esta característica, freqüentemente desaprovada pelas operadoras, permite que seu laptop entre online por meio da conexão de banda larga do telefone.

Você pode conectar o laptop ao Treo ou por cabo (Windows apenas) ou sem fio, usando uma conexão Bluetooth (Mac ou Windows). Neste caso, o telefone continua em seu bolso, fornecendo invisivelmente ao seu laptop serviço de Internet, bate-papo e e-mail de banda larga.

Alguns têm batido na família Treo 700 por sua falta de rede sem fio Wi-Fi; o 700P nem mesmo aceita o cartão Wi-Fi de US$ 100 da Palm. Mas, se você é capaz de se conectar por uma rede de celular de banda larga em centenas de cidades grandes, por que se limitar a hot spots espalhados aqui e acolá?

O 700P é tão capaz, elegante e agradável de usar que provavelmente fará
ainda mais pessoas se perguntarem: "Será que escolho o Treo ou o
BlackBerry?"

Os dois aparelhos trabalham com e-mail, tanto pessoal quanto corporativo. (O novo Treo vem com presets para AOL, Gmail, Earthlink, Apple .Mac, Hotmail, Yahoo, Exchange ActiveSync e muitos outros serviços de e-mail.) O Treo da Verizon até mesmo oferece sincronização móvel em tempo real de e-mail e calendário com seu PC com Windows em casa, desde que seu computador esteja ligado -um truque bacana, estilo BlackBerry. Mas o BlackBerry não aceita filmes ou fotos, não tem tela de toque e não tem um acervo de 10 mil programas -desde calculadoras até mapas do metrô- como o Treo. (Isto é exatamente o motivo para gerentes de tecnologia corporativos o amarem; é mais simples solucionar problemas de um sistema fechado.)

Se você acabar optando pelo Treo 700P, faça do download de uma calculadora científica shareware para ele. Você precisará de uma para calcular quanta lhe custará tanta coisa boa.

A versão Sprint custa US$ 550 ou US$ 400, dependendo da assinatura de um contrato de um ou dois anos de serviço. Serviço de banda larga EV-DO
ilimitado custa a partir de US$ 15 por mês, incluindo um canal de TV e um canal Sirius de rádio por satélite (não inclui o preço do plano de voz). Infelizmente, isto não inclui o uso do Treo para colocar o laptop online, que custa US$ 40 adicionais por mês.

A versão da Verizon do 700P custa US$ 400, após descontos, quando comprado com um pacote de serviços, como US$ 110 por mês por 1.350 minutos de conversa e acesso ilimitado à Internet de banda larga. Aqui também a dial-up networking para seu laptop tem custo extra: US$ 15 por mês.

(Não esqueça de separar US$ 140 do orçamento para a base Treo/sistema de alto-falante de mesa inMotion. O Treo entra nele e sua coleção de música pode ser ouvida enquanto ele é recarregado -e quando ele recebe uma chamada, a música pára e o aparelho se transforma em um viva-voz de som cristalino. Bacana.)

E qual é o lado negativo do novo Treo? Ele é caro, é claro. E por funcionar nas redes Sprint e Verizon, ele não funciona no exterior. (Se a história servir como guia, um Treo 700P para Cingular e T-Mobile será lançado mais adiante. Elas são redes GSM, o padrão europeu.)

Fora isto, o novo Treo é um prazer -um comunicador com poder e potencial imensos cujo software ajuda em vez de atrapalhar. Se você conseguiu se conter e não comprou um telefone inteligente até agora, parabéns, você ganhou este jogo de pula sela tecnológico como um profissional. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host