UOL Notícias Internacional
 

05/06/2006

Cobiçando a ex do próximo

The New York Times
Mireya Navarro
Em Los Angeles
Até para uma celebridade, Denise Richards parecia ter passado dos limites.

"Por que alguém faria isso?" escreveu um leitor para a usmagazine.com sobre a atriz.

"Doença e perversão", escreveu outro. "A pior traição", disse outro.

Não, Richards não grampeou ilegalmente o telefone de Charlie Sheen para conseguir dados para sua ação de divórcio contra ele, nem fugiu com um colega ator.

Em vez disso, fez algo muito pior aos olhos de muitos: saiu com o ex de sua amiga.

Ao namorar o ex-marido de sua amiga Heather Locklear, o guitarrista do Bon Jovi, Richie Sambora, Denise Richards rompeu a regra cardeal da amizade, colocando-a na companhia de cafajestes e traidores, alegam alguns especialistas em relacionamentos. (Não ajudou em nada os dois terem sido vistos se divertindo na costa de Amalfi, na Itália, quando Denise Richards uniu-se a Sambora em uma excursão com Bon Jovi pela Europa, quando pareciam estar exibindo sua felicidade.)

Até mesmo um novo comercial de cerveja, imagine, flerta brevemente com a noção de que namorar uma antiga paixão de um amigo viola uma lei não dita.

"Seu melhor amigo é deixado por uma mulher. Quanto tempo ela vai estar proibida para você?" pergunta um sujeito com chapéu de caubói para um grupo de homens sentado em torno de uma mesa bebendo Miller Lite.

A resposta, de Burt Reynolds, é "para sempre", até que alguém pergunta: "E se ela for linda de morrer?"

"Ok", admite Reynolds. "Seis meses."

A brincadeira ilustra a reação de desgosto quase automática em relação à reciclagem de parceiros amorosos entre amigos, mas também expõe uma feia verdade: psicoterapeutas, conselheiros amorosos e outros especialistas dizem que namoros com ex-parceiros de amigos é comum, quase inevitável em alguns círculos sociais, independentemente de quão absurdo e objetável possa parecer.

Uma amizade harmoniosa, afinal, não mantém a cama quente.

"Se você sente que esta pessoa poderia ser sua companheira e é por isso que você está buscando a relação, então tudo é justo, no amor e na guerra. Eu tendo a ser parcial no sentido da conquista de uma vida amorosa feliz", disse Nancy Slotnick, conselheira de relacionamentos em Nova York.

Mas se o amor é maior que a amizade, por que o estigma?

Namorar uma ex-amante ou mulher de um amigo tecnicamente não é tão ruim --não fica na mesma categoria que, digamos, o adultério. Mas os que viveram a experiência dizem que provoca fortes reações de todos os lados, até de ódio de si mesmo, porque a amizade é considerada uma ligação sagrada. Romper esse elo é desleal, dizem alguns, e passa por cima de certo sentido de propriedade que as pessoas sentem em relação a seus ex.

"Heather Locklear está passando por um divórcio terrível e, de todos os homens no mundo, Denise Richards escolhe namorar seu marido", disse Hilary Black, editora da Tango, revista para mulheres voltado para o amor e relacionamentos. "Viola o código de amizade feminina." (Locklear, deve-se observar, não está exatamente sentada em casa chorando abraçada a uma caixa de lenços de papel e foi vista passeando com o ator David Spade.)

Matthew Hiltzik, agente de Richards, recusou-se a dar detalhes de seu relacionamento com Sambora, mas disse que apesar de ela e Locklear serem boas amigas há anos, elas tiveram um "rompimento" em janeiro por uma questão não relacionada ao ex-marido. Ele disse que Richards e Sambora começaram a namorar em março, quando Locklear já tinha pedido o divórcio.

"Se elas ainda fossem amigas, isso não teria acontecido", disse Hiltzik.

"Não é que ela tenha buscado isso, aconteceu", disse sobre o relacionamento.

Aymii Couzelis, 33, de Norwalk, Connecticut, disse que não serviria de nada sentir-se "culpada" quando decidiu flertar com alguém que uma amiga tinha namorado e ainda estava envolvida. "Investi", disse ela, "porque estou em um ponto na minha vida em que quero estar em um relacionamento".

"É uma prioridade grande da minha vida", disse Couzelis.

Primeiro, ela perguntou diretamente ao homem se estava interessado na amiga. A resposta foi não.

"Se houvesse uma chance de relacionamento entre eles, eu não teria corrido atrás", disse Couzelis, diretora de informações de uma empresa de desenvolvimento de software.

Depois do primeiro final de semana juntos, ela ligou para a amiga, perguntou se era uma boa hora para falar, depois jogou a bomba com o máximo de tato possível.

"Eu disse: 'O que eu tenho com ele é algo que sinto profundamente. Não esperava sentir assim'", disse Couzelis. Do outro lado, silêncio.

Couzelis disse que eventualmente sua amiga disse que estava desapontada, mas brincou que agora esperava que Couzelis a ajudasse a encontrar um novo parceiro e a informasse se seu novo namorado tinha "amigos bonitinhos".

No entanto, apesar da leveza, agora as duas mal se vêem e suas conversas telefônicas semanais foram suspensas. "Definitivamente há um distanciamento", disse Couzelis, que ainda está saindo com o homem.

Jan Yager, sociólogo e autor de "When Friendship Hurts: How to Deal With Friends Who Betray, Abandon or Wound You" (Qquando a amizade dói: como lidar com amigos que traem, abandonam ou ferem você), disse que esse tipo de triângulo é considerado um dos mais duros de se lidar entre homens e mulheres porque "fora da família, amigos e parceiros românticos são as relações mais fortes de uma pessoa."

A sensação de que o amigo está trocando de aliança freqüentemente é a razão para o fim da amizade, dizem advogados de divórcio e especialistas em relacionamento, mas há também uma explicação mais básica.

"É repulsivo", disse Sharyn T. Sooho, advogada de divórcio e fundadora do site da Web para pessoas passando por um divórcio, divorcenet.com. "Você questiona seu próprio discernimento: 'A pessoa que eu achava que era minha melhor amiga e que estaria me dando força acabou dando força a ele.'"

Um advogado de Massachusetts de 66 anos disse que se sentiu "revoltado e desapontado" quando sua mulher começou a sair com um de seus melhores amigos quando o casal estava se divorciando, no final dos anos 80.

"É uma infidelidade múltipla", disse o advogado, que preferiu permanecer anônimo para compartilhar detalhes de sua vida privada.

O advogado, cujas duas filhas ficaram com ele, disse que ficou pensando se a sua mulher tinha se aproximado de seu amigo para irritá-lo; ou se os dois tinham começado a namorar antes do divórcio; ou se o relacionamento, que continua até hoje, apressou o término de seu casamento de 18 anos.

Ele também se perguntou o que estava sendo dito por trás das suas costas por duas pessoas em quem ele confiava. "Estarão sussurrando que eu sou um idiota. Será que sou?" ele disse acrescentando que a amizade não sobrevive.

Mesmo nos casos em que as ligações românticas são breves, o ressentimento pode ser profundo. Molly Neiseld, 20, aluna de jornalismo da Universidade de Point Park, em Pittsburgh, e estagiária da revista Girls' Life, disse que no segundo ano do ensino médio ela namorou um rapaz por um mês e depois soube que a amiga que tinha ajudado seu namoro estava saindo com o ele. Ela disse que não ficou com raiva do ex, mas da amiga.

"Os amigos devem ajudar você na separação, e você deve esquecer o cara", disse ela. "Os amigos não devem roubar o cara de você."

A reciclagem de parceiros é comum no circuito social jovem de Hollywood, com solteiros como Wilmer Valderrama e Stavros Niarchos trocados tão casualmente quanto beijos. Niarchos, por exemplo, passou de Mary-Kate Olsen para Paris Hilton para Lindsay Lohan, no clique de uma máquina de um paparazzo.

Mas a transferência de parceiros depois de um divórcio ou rompimento é também altamente comum em outros ambientes, como subúrbios, clubes e igrejas, e especialmente prevalentes na fase carregada de hormônios do ensino médio.

Uma universitária de 20 anos de Baltimore, que quis ficar em anonimato, disse que namorou o melhor amigo de seu antigo namorado quando estava no colégio porque trocar de parceiro era comum e até esperado.

"Era um grupo íntimo de amigos e, naquela idade, a gente não ia muito longe, então a escolha era limitada", disse ela.

A estudante disse que não pensou nas conseqüências, e a pior foi que a amizade dos dois rapazes terminou, apesar de seu relacionamento ter durado apenas duas semanas.

"Senti-me culpada com o fim da amizade", disse ela. "Hoje os relacionamentos têm um significado maior para mim do que quando era mais jovem."

Algumas vezes, a amizade pode agüentar uma prova desse tipo, e há casos nos quais os amigos até dão suas bênçãos aos relacionamentos.

Quando Eric Clapton, por exemplo, apaixonou-se por Pattie Boyd, mulher de seu amigo George Harrison e inspiração do clássico de Clapton "Layla", e depois se casou com ela, a amizade dos dois perdurou.

Não existe uma regra de etiqueta que dita como namorar um ex-parceiro de um amigo. Afinal, como caminhar por um campo minado? Mas uma forma segura de dar a notícia e evitar uma convulsão emocional é se concentrar nos caprichos do coração, dizem alguns especialistas.

Yager, o sociólogo, sugere como roteiro: "Eu quero que você saiba o que está acontecendo. Espero que você consiga lidar com isso. Não estou fazendo isso para magoar você."

Depois, esteja preparado para perder um amigo. Namoros com ex-parceiros de amigos viola o código de amizade? Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host