UOL Notícias Internacional
 

10/06/2006

Candidatura à líder da maioria cria tensão entre os democratas

The New York Times
Carl Hulse
Em Washington
Ainda faltam meses para as eleições que decidirão o controle da Câmara, mas a perspectiva dos democratas obterem a maioria em novembro está trazendo à tona ambição e provocando divisão nas fileiras do partido.

O deputado John P. Murtha, da Pensilvânia, que se tornou uma das principais vozes democratas contra a guerra no Iraque, surpreendeu muitos colegas ao circular, na sexta-feira, uma carta anunciando que será candidato a líder da maioria caso seu partido conquiste 15 cadeiras ou mais para retirar os republicanos do poder.

"Se prevalecermos, como espero e sei que prevaleceremos, e recuperarmos a maioria no próximo Congresso, eu concorrerei à cadeira vaga de líder da maioria", escreveu Murtha.

Sua ação provoca uma disputa potencial com o deputado Steny H. Hoyer, um legislador de Maryland com 13 mandatos e articulador democrata, que também é candidato ao cargo de líder da maioria caso se torne disponível. A deputada Nancy Pelosi, da Califórnia e líder democrata, está na fila para se tornar a primeira presidente da Câmara do sexo feminino se os democratas voltarem a se tornar maioria na casa.

Stacey Bernards, uma porta-voz de Hoyer, apontou para seu extenso trabalho em prol dos candidatos da Câmara. "Ele acredita que seu trabalho como articulador, líder da bancada e junto ao Comitê de Campanha Democrata ao Congresso lhe valeram o apoio da maioria esmagadora dos democratas na Câmara", disse Bernards.

O confronto potencial surge em um momento delicado para os democratas. O partido está excepcionalmente unido na oposição aos republicanos sob o comando de Pelosi, mas está mostrando sinais de tensão.

Alguns membros da bancada negra no Congresso são contrários à pressão de Pelosi e outros para que o deputado William J. Jefferson, democrata da Louisiana que está sob investigação em um escândalo de corrupção, deixe sua cadeira no Comitê Orçamentário.

E apesar dos democratas terem uma oportunidade clara de conquistar cadeiras em novembro, a obtenção da maioria está longe de ser certa. O candidato do partido perdeu uma eleição especial na Califórnia, na terça-feira, que era considerada como o primeiro teste do momento democrata.

Os republicanos apreciaram a tensão entre os democratas.

"Esta é uma notícia fantástica para a terra imaginária dos democratas de sua maioria faz-de-conta", disse Ron Bonjean, um porta-voz do presidente Dennis Hastert. "Nós esperamos que isto prenda a atenção deles por um bom tempo." George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host