UOL Notícias Internacional
 

07/07/2006

"24" e "Grey's Anatomy" lideram indicações ao Emmy

The New York Times
Edward Wyatt

em Los Angeles
Os sucessos das grandes redes, como "Grey's Anatomy" da ABC, que recebeu sua primeira indicação de melhor drama, e "24" da Fox, que recebeu sua quinta, lideraram a lista de indicados para o 58º prêmio anual Emmy Awards, anunciada na quinta-feira (06/7) pela manhã.

A série de ação "24", que a cada temporada acompanha o agente Jack Bauer por um dia, teve o maior número de indicações, 12, enquanto "Grey's Anatomy", um drama médico cheio de sentimentos, seguiu-a com 11. A lista incluiu muitos programas e atores que não estarão de volta na próxima temporada.

As medidas tomadas pela organização do prêmio para reformar o sistema de indicação e aumentar as chances de atores e programas ainda não reconhecidos produziu resultados mistos.

Atores freqüentemente nomeados que não tinham antes vencido em seus atuais papéis -como Frances Conroy de "Six Feet Under", Jane Kaczmarek de "Malcolm in the Middle" e Martin Sheen de "The West Wing"- uniram-se a candidatos indicados pela primeira vez, como Charlie Sheen de "Two and a Half Men, Steve Carell de "The Office" e Kevin James de "The King of Queens".

No entanto, nenhum dos grandes vencedores do ano passado -o mistério dos náufragos "Lost" e a comédia de mulheres de mau temperamento "Desperate Housewives"- receberam nomeações como melhor programa em sua categoria, apesar de terem sido indicados em categorias menos importantes.

"Certamente dá para sentir uma diferença na lista em relação aos dois últimos anos", disse Denis Leary, que conquistou sua primeira indicação como melhor ator em uma série dramática por seu papel como bombeiro de Nova York em "Rescue Me", em sua terceira temporada no FX.

"É bom saber que você pode estar em um programa da FX e ser incluído no grupo com os grandes programas, que têm muito dinheiro por trás", acrescentou Leary.

A Academia de Ciências e Artes da Televisão adicionou uma etapa ao processo de nomeação deste ano, usando um conselho especial de avaliação para escolher os cinco indicados entre os 10 ou15 principais programas ou atores votados pelos associados.

A minissérie da TNT "Into the West" foi a mais reconhecida, com 16 indicações. A minissérie da HBO "Elizabeth I" seguiu de perto com 13. Isso ajudou a HBO a continuar na liderança anual de canais de televisão, com 95 indicações, enquanto entre as redes abertas a ABC liderou com 63.

A premiação será apresentada no dia 27 de agosto.

Os indicados para melhor drama, além de "24" e "Grey's Anatomy" foram "House", drama médico da Fox; "The West Wing", que terminou sua sétima temporada na NBC em maio; e "The Sopranos", que voltou à HBO neste ano depois de um atraso de mais de um ano. "The West Wing" venceu como melhor drama por quatro anos seguidos, de 2000 a 2003, enquanto "The Sopranos" ganhou o prêmio em 2004.

As finalistas de melhor série cômica foram: "Arrested Development" (Fox), que venceu o prêmio de melhor comédia em 2004, mas foi cancelada depois da terceira temporada; "Scrubs" (NBC), que voltará como substituta no meio da temporada, e "Curb Your Enthusiasm", série da HBO com Larry David, que deve voltar a ser apresentada.

Também foram indicadas ao Emmy de melhor série cômica "The Office", o soporífero da NBC cujo público cresceu na última temporada, e "Two and a Half Men" (CBS). Faltou na lista "My Name Is Earl", da NBC, elogiada pelos críticos e que tem um público maior que "The Office".

David também foi indicado para o prêmio de melhor ator em série cômica, sua terceira indicação, junto com três estreantes, Charlie Sheen, Carell e James, além de Tony Shalhoub, que venceu duas vezes por seu papel como detetive com um distúrbio obsessivo compulsivo na série da USA "Monk".

Entre as indicadas para o prêmio de melhor atriz em série cômica, somente uma já venceu por seu atual papel: Debra Messin, que recebeu o Emmy em 2003 por "Will & Grace" da NBC. Ela está concorrendo com Julia Louis-Dreyfus, que já venceu por seu papel como Elaine, em "Seinfeld" e agora está em seu primeiro ano como atriz principal de "The New Adventures of Old Christine", na CBS; Lisa Kudrow, vencedora como atriz coadjuvante em "Friends", indicada agora por seu papel no "The Comeback", da HBO; Stockard Channing, vencedora de dois Emmys como atriz coadjuvante, nomeada por seu papel principal em uma comédia da CBS quase invisível, "Out of Practice", e Kaczmarek, que conquistou sua sétima indicação seguida por "Malcolm in the Middle", da Fox.

Quatro atrizes novas nas séries ou que nunca venceram apesar de múltiplas indicações compuseram a lista de melhor atriz em drama. Geena Davis foi indicada por seu papel como a primeira presidente em "Commander in Chief", da ABC, aclamada pela crítica mas que não teve suficientes fãs para impedi-la de ser cancelada, e Kyra Sedwick recebeu sua primeira indicação pelo drama "The Closer", da TNT.

Mariska Hargitay foi indicada pelo terceiro ano seguido, por "Law & Order: Special Victims Unit", da NBC, e Francês Conroy foi indicada pela quarta vez em cinco anos, por "Six Feet Under", série da HBO que já terminou. Allison Janney, que venceu quatro Emmys por seu papel em "West Wing", da NBC, fechou a lista.

Além de Leary, os nomeados como melhor ator em drama incluem Christopher Meloni, que recebeu sua primeira indicação por "Law & Order: Special Victims Unit"; Kiefer Sutherland, que recebeu sua quinta indicação seguida por "24"; Peter Krause, com sua terceira indicação por "Six Feet Under"; e Martin Sheen, indicado pela sexta vez por seu papel como presidente Josiah Bartlet, em "The West Wing".

Duas famílias foram representadas mais de uma vez: Martin Sheen, como ator convidado em "Two and a Half Men" e cujo filho Charlie Sheen foi indicado para o prêmio de melhor ator cômico. E o pai de Kiefer Sutherland, Donald Sutherland, foi indicado como melhor ator em uma minissérie ou filme por "Human Trafficking", da Lifetime.

Enquanto vários programas e atores que nunca tinham sido indicados aparentemente se beneficiaram do novo sistema, outros ainda ficaram de fora. Entre eles está a série popular "Gilmore Girs", da WB que apenas venceu um prêmio de maquiagem. Hugh Laurie, altamente elogiado por "House", também foi menosprezado.

Entretanto, pode-se argumentar que o novo processo gerou indicações mais amplas. Apesar de "The Sopranos" ter sido indicado como melhor drama, nenhum de seus principais atores, os dois já premiados, foram indicados neste ano.

Nem tampouco "Desperate Housewives" ou "Lost" tiveram atores indicados.
Muitos fãs de "Desperate Housewives" reclamaram neste ano que a série tinha perdido um pouco da vitalidade que marcou sua estréia.

Tanto "Lost" quanto "Desperate Housewives" continuaram entre os programas mais assistidos neste ano, mas as séries mais populares nem sempre ganham Emmys. "American Idol", sucesso da Fox na categoria de programas de realidade, perdeu por três anos para "Amazing Race", da CBS. Terá outra chance neste ano, concorrendo com "Project Runway", "Survivor" (CBS) e "Dancing With the Stars" (ABC). Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host