UOL Notícias Internacional
 

01/10/2006

Encontrados destroços da colisão no ar que pode ter matado 155

The New York Times
Larry Rohter

No Rio
Uma busca pela Força Aérea Brasileira e por uma equipe de resgate no sábado localizou os destroços de um Boeing 737 que teria colidido no ar com um jato executivo menor sobre a Amazônia na tarde de sexta-feira.

As autoridades disseram que o avião, com 155 pessoas a bordo, parece ter atingido o solo verticalmente e, portanto, a probabilidade de alguém ter sobrevivido à queda parece remota.

O vôo 1907 da companhia aérea Gol estava a caminho do Rio de Janeiro saído de Manaus, no coração da Amazônia, com uma escala em Brasília, quando desapareceu das telas de radar.

Como a área onde os investigadores em helicópteros encontraram o avião, na manhã de sábado, é de difícil acesso, determinar se há sobreviventes e resgatá-los levará mais tempo que o habitual, disseram autoridades de avião civil e militares. O avião caiu em uma densa floresta a noroeste do Parque Nacional do Xingu.

O segundo avião, um jato executivo Legacy da brasileira Embraer, sofreu danos em uma asa e na cauda, mas conseguiu fazer um pouso de emergência em uma base da Força Aérea Brasileira no Estado do Pará, na Amazônia. Um repórter do "The New York Times", Joe Sharkey, era uma das sete pessoas que estavam a bordo do avião, todas "Ok, mas abaladas", segundo uma mensagem por e-mail enviada por Sharkey para sua esposa, Nancy, uma editora do jornal.

"Ninguém acredita que conseguimos sobreviver a uma colisão em pleno ar", escreveu Sharkey. "Nem os pilotos conseguem entender como um 737 conseguiu nos atingir sem que pudessem vê-lo", ele acrescentou, notando que o avião menor estava "voando de forma estável no sentido noroeste, 11.200 metros, com o sol na asa esquerda, e um 737 seria óbvio".

Segundo as autoridades, ambas as aeronaves eram novas e equipadas com equipamento anticolisão. A Gol recebeu seu avião em setembro, enquanto o jato Legacy, parte de uma linha de aviões que conseguiu grande penetração no mercado executivo desde que sua produção teve início, há quatro anos, estava a caminho dos Estados Unidos após partir da fábrica da Embraer, em São José dos Campos, perto de São Paulo.

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes, uma companhia aérea de baixo custo que começou a operar em 2001, nunca teve um de seus aviões envolvidos em um acidente fatal.

O general José Carlos Pereira, diretor da equivalente brasileira da Autoridade Federal de Aviação, disse que a investigação da colisão levará vários meses e se concentrará em dois pontos: por que os aviões estavam no mesmo local e por que os instrumentos anticolisão em ambos os aviões não foram ativados a tempo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,71
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,12
    68.634,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host