UOL Notícias Internacional
 

17/10/2006

Personagens da Disney não mais endossarão "junk food"

The New York Times
Landon Thomas Jr.
Buzz Lightyear e Relâmpago McQueen não endossarão mais "junk food".

A Walt Disney, tratando da crescente preocupação dos pais com a nutrição de seus filhos, disse nesta segunda-feira (16) que reduzirá o uso de seu nome e personagens em alimentos que não atendam a novos padrões nutricionais. As novas diretrizes limitam quanto açúcar, calorias e gordura podem estar nos alimentos vendidos por empresas com as quais a Disney tem relacionamentos de licenciamento.

A medida, que surge em um momento de crescente preocupação com a obesidade das crianças, provavelmente colocará pressão sobre os concorrentes da empresa para fazerem o mesmo. Não foram mencionados na iniciativa de segunda-feira a publicidade considerável de produtos de junk food que é exibida nos canais de televisão da Disney, especialmente o "Toon Disney" e o "ABC Kids".

Mas a mudança de política foi amplamente saudada pelos especialistas do setor de alimentos, que a consideraram um posicionamento importante no debate cada vez maior em torno do que os país querem que seus filhos comam e o que as empresas de alimentos estão tentando vender para eles.

"Eu acho que é muito significativo", disse Margo G. Wootan, diretora de política de nutrição do Centro para a Ciência de Interesse Público, um grupo de defesa em Washington. "Os personagens da Disney não aparecerão em Pop-Tarts, waffles e doces. Isto permitirá que os pais alimentem seus filhos de forma mais saudável."

Além das restrições de licenciamento, a Disney disse que os restaurantes em seus parques temáticos também mudarão os itens do cardápio, trocando batatas fritas por opções mais saudáveis, como cenouras ou compota de maçã.

Por anos, a Walt Disney licenciou sua poderosa marca e personagens, de Mickey Mouse aos atuais favoritos das crianças como Buzz Lightyear, de "Toy Story", e Relâmpago McQueen, de "Carros", para empresas como McDonald's, Coca-Cola e Kellogg, que vendem produtos alimentícios ricos em calorias.

A Kellogg, por exemplo, vende seu cereal Apple Jacks e os chips de chocolate Pop-Tarts com brinquedos de Relâmpago McQueen dentro das caixas. Estes produtos provavelmente não atenderão as novas diretrizes. Bob Esponja, o popular personagem da Nickelodeon, também é licenciado para os Pop-Tarts e cookies da Kellogg.

A obesidade infantil se tornou uma grande preocupação entre os profissionais de saúde. Segundo a Associação Americana de Obesidade, 15,5% das crianças com idades entre 12 e 19 anos são obesas, uma triplicação desde 1980. Para crianças com idades entre 6 e 11 anos, o número é de 15,3%, duas vezes mais que em 1980. Agora, a maior conscientização dos país e das autoridades públicas -o prefeito Michael R. Bloomberg propôs a proibição da gordura trans nos restaurantes de Nova York- tem colocado um freio a tais acordos comerciais.

A Disney disse na segunda-feira que as diretrizes entrarão oficialmente em vigor assim que os contratos de licenciamento em vigor expirarem no final de 2008. Os itens que serão excluídos de acordos de licenciamento da Disney serão aqueles cujo total de gordura ultrapasse 30% nos pratos principais ou acompanhamentos e 35% em lanches, gordura saturada que ultrapasse 10% das calorias nos pratos principais e lanches, e em que o açúcar adicional ultrapasse 10% das calorias nos pratos principais e 25% nos lanches.

Toda a gordura trans deverá ser eliminada dos alimentos nos restaurantes dos parques temáticos da Disney até 2007 e dos alimentos licenciados até 2008.

Os executivos da Disney disseram na segunda-feira que a medida não visa
tanto as empresas com as quais a Disney mantêm relacionamentos comerciais, mas alguns de seus produtos de maior número de calorias. "Chicken McNuggets, batatas fritas e Coca-Cola, eles não se enquadram", disse o dr. James O. Hill, diretor do Centro para Nutrição Humana da Universidade do Colorado, que auxiliou a Disney na formulação dos novos padrões. Mas, ele disse, saladas e outros produtos menos dependentes de açúcar não estão proibidos.

A Disney tem um relacionamento de longa data com o McDonald's. A empresa tem um contrato de licenciamento que inclui o McLanche Feliz que expirará neste ano. E restaurantes McDonald's operam dentro dos parques temáticos da Disney.

Os personagens da Disney cobrem uma série de outros produtos que não
atenderão aos padrões revisados, incluindo cereais com açúcar e outros itens ricos em calorias como Pop-Tarts. "É uma medida ousada", disse Hill. "Seria bom se os restaurantes de fast-food fizessem o mesmo."

Ainda assim, a omissão de quaisquer diretrizes voltadas à propaganda de junk food nos canais de televisão da empresa - incluindo "ABC" e "Toon Disney" - é um indício de que uma proibição da publicidade de alimentos não saudáveis nos canais da Disney não está prevista. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,71
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,12
    68.634,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host