UOL Notícias Internacional
 

31/10/2006

Olmert diz que Israel pode ampliar papel militar em Gaza

The New York Times
Greg Myre

em Jerusalém
O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse na segunda-feira que as forças armadas israelenses podem expandir suas operações na Faixa de Gaza, em uma tentativa de deter o disparo de foguetes palestinos, mas que não há intenção de reocupar o território.

Seus comentários vieram em outro dia de turbulência - homens armados palestinos seqüestraram um funcionário de ajuda humanitária espanhol no sul de Gaza e o mantiveram por várias horas antes de libertá-lo, e um militante palestino foi morto no norte de Gaza em circunstâncias contestadas.

Em uma sessão fechada com um comitê parlamentar, Olmert foi perguntado sobre os planos militares para Gaza. As forças israelenses, que entraram novamente no território no final de junho, após a captura de um soldado israelense, têm enfrentado os militantes palestinos quase que diariamente. Várias autoridades políticas e oficiais militares insinuaram recentemente que uma operação maior pode estar se aproximando.

Uma porta-voz de Olmert, Miri Eisin, que estava na sessão parlamentar, citou o primeiro-ministro como tendo dito: "Nós não vamos reocupar Gaza. Mas nós continuaremos enfrentando o terror e pode haver uma mudança no nível de forças presentes lá a qualquer momento".

Olmert também disse que as forças armadas mataram cerca de 300 palestinos armados nos últimos quatro meses, segundo Eisin. Grupos de monitoramento disseram que mais de 250 palestinos foram mortos neste período, aproximadamente metade militantes e metade civis. Dois soldados israelenses foram mortos nos combates.

Na Cidade de Gaza, Ismail Haniya, o primeiro-ministro da Autoridade Palestina, disse: "Nós pedimos uma intervenção imediata da comunidade internacional para deter a agressão israelense".

Na segunda-feira, Mazen Abu Oudah, 20 anos, um membro das Brigadas dos Mártires de Al Aqsa, foi morto por fogo israelense perto de Beit Hanun, uma cidade no norte de Gaza, segundo funcionários de saúde palestinos. Mas as forças armadas israelenses disseram que não estiveram envolvidas em nenhuma troca de tiros na área.

Além disso, palestinos dispararam dois foguetes contra o sul de Israel na segunda-feira, disseram autoridades israelenses, mas eles não causaram nenhum dano ou feridos.

Homens armados palestinos seqüestraram Roberto Vila, um espanhol de 34 anos que trabalha para um grupo espanhol de ajuda humanitária, segundo autoridades de segurança palestinas e reportagens da imprensa. Ele foi libertado ileso no final de noite de segunda-feira, segundo a televisão palestina.

Na política israelense, o Gabinete de Olmert e o Parlamento aprovaram a inclusão do Israel Beiteinu, um partido de extrema direita, na coalizão de governo. A coalizão de Olmert agora controla 78 das 120 cadeiras no Parlamento e a maioria aumentada visa tornar o governo mais estável.

Entretanto, com partidos da direita, esquerda e centro, assim como um partido religioso, a coalizão é tão ampla que as facções têm pouco em comum em muitas questões, como a forma como lidar com os palestinos.

Ophir Pines-Paz, o ministro da Ciência, Cultura e Esportes que é do Partido Trabalhista de esquerda, votou contra a inclusão da nova facção e anunciou que está renunciando ao seu cargo. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,63
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,87
    65.667,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host