UOL Notícias Internacional
 

02/11/2006

Irã quer atrair mais turistas americanos e europeus

The New York Times
Nazila Fathi

em Teerã, Irã
O Irã está oferecendo dinheiro para agentes de viagem que consigam atrair certos tipos de turistas ao país, e o prêmio é dobrado se forem turistas europeus e americanos.

"O Departamento de Turismo do Irã pagará US$ 20 (em torno de R$ 44) por cada turista americano ou europeu que os agentes de viagem conseguirem trazer", disse o vice-diretor da Organização de Turismo e Herança Cultural, Mohammad Sharif Malekzadeh, na terça-feira (31/10), em uma declaração divulgada pela agência de notícias Irna. A declaração também especificou um pagamento de US$ 10 por turista asiático.

O Irã vem tentando expandir sua indústria de turismo especialmente para atrair mais turistas ocidentais. Autoridades iranianas repetidamente disseram que apesar das relações hostis com os EUA, os americanos em visita ao país devem ser tratados com respeito.

O presidente Mahmoud Ahmadinejad disse na semana passada que era contra o projeto de lei que exigiria que viajantes americanos fossem obrigados a tirar impressões digitais no aeroporto. Os legisladores disseram que estavam respondendo a pedidos similares impostos pelos EUA em alguns viajantes iranianos.

"Não temos problemas com o povo americano", disse Ahmadinejad. "Fazemos oposição apenas à arrogância e à provocação do governo americano."

As relações entre os dois países não descongelaram desde que cortaram laços diplomáticos em 1979, depois que revolucionários cercaram a embaixada americana em Teerã.

Mas agora os EUA estão pressionando o Conselho de Segurança da ONU para impor sanções ao Irã por sua recusa em suspender seu programa nuclear, que os EUA alegam ser para o desenvolvimento de armas nucleares.

No mês passado o Irã ofereceu abrir suas instalações nucleares a visitantes estrangeiros como incentivo aos visitantes. Esfandiar Rahim-Masahai, diretor da Organização de Turismo e Herança Cultural disse que Ahmadinejad tinha ordenado a mudança e que, em parte, se destinava a convencer o mundo que o programa nuclear é pacífico.

Apesar da paisagem única do Irã e de seus antigos pontos históricos, o esforço para atrair mais turistas estrangeiros até agora fracassou.

A proibição do álcool e uma lei que exige que as mulheres cubram o cabelo foram sérios empecilhos. O Irã também tem insuficientes hotéis e instalações turísticas em torno do país por seu isolamento desde a revolução islâmica de 1979. A maior parte dos turistas são peregrinos muçulmanos xiitas da região, que visitam os locais de importância religiosa.

Malekzadeh disse na segunda-feira que os turistas podem pedir visto pela Internet para facilitar o processo. Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host