UOL Notícias Internacional
 

24/11/2006

Irã diz que construirá reator de água pesada sem ajuda da agência

The New York Times
Nazila Fathi

em Teerã, Irã
O Irã disse na quinta-feira (23/11) que construirá um reator de água pesada por conta própria, depois que a agência de monitoramento nuclear da ONU decidiu remover o item da lista de projetos para os quais planeja fornecer assistência técnica.

"Ajudar faz parte dos deveres da agência", disse o ministro das Relações Exteriores, Manouchehr Mottaki, em uma coletiva de imprensa na quinta-feira, após a ação tomada em Viena, Áustria, pela Agência Internacional de Energia Atômica, informou a agência de notícias "ISNA". "Se não ajudarem, nós a faremos por conta própria."

O Irã diz que está construindo o reator de água pesada em Arak, a 190 quilômetros a sudoeste de Teerã, para produzir isótopos radioativos para tratamentos médicos e que a agência deveria fornecer-lhe assistência técnica como parte de sua missão. A agência fornece ajuda para promoção do desenvolvimento pacífico da energia nuclear, assim como o monitoramento de possíveis programas de armas.

Mas os Estados Unidos, os países europeus e outros membros que argumentam que o Irã está buscando o desenvolvimento de armas nucleares, se opuseram em ajudar o Irã com a instalação que produziria plutônio, o combustível usado em armas nucleares. Estes países estão buscando sanções contra o Irã devido ao seu programa nuclear junto ao Conselho de Segurança da ONU.

No que pareceu ser uma modesta concessão na quinta-feira, após o Irã ter dito que faria algumas concessões aos inspetores nucleares, a agência nuclear aprovou assistência técnica para sete outros programas nucleares do Irã que considera não representarem ameaça de serem desviados para programas de armas nucleares. Ela disse que o projeto de Arak poderá ser submetido novamente a consideração em dois anos. Mas o Irã tem ao longo do último ano limitado constantemente a capacidade dos inspetores de visitarem uma série de instalações, e tem se recusado até o momento a responder uma série de perguntas feitas pela agência nuclear.

Mohamed ElBaradei, o diretor da agência, disse que o projeto será colocado em espera. "Caso a confiança na natureza do programa do Irã venha a ser restaurada", ele teria dito, "a junta poderá considerar uma revisão da decisão".

Mas ele disse à junta que o Irã concordou em permitir que os inspetores da agência coletem mais amostras ambientais do equipamento de pesquisa, para tentar determinar a origem dos traços de urânio altamente enriquecido, com qualidade para armas, encontrados lá.

Ele disse que o Irã também concordou em fornecer aos inspetores o acesso aos documentos operacionais necessários para uma auditoria do nível de enriquecimento de urânio em sua usina piloto de combustível nuclear em Natanz, após uma recusa prolongada em fornecê-los. "Estes são passos importantes na direção certa", ele foi citado como tendo dito.

"O que nós realmente pedimos ao Irã é uma explicação plena do desenvolvimento de seu programa nuclear do início ao fim", ele disse, acrescentando, "depois, o Irã precisa corroborar abertamente esta explicação com evidência, incluindo documentos e acesso a locais relevantes e indivíduos envolvidos". George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h59

    0,38
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h04

    -0,58
    75.565,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host