UOL Notícias Internacional
 

14/12/2006

Nutricosméticos: coma, beba e seja cético

The New York Times
Natasha Singer
Scott-Vincent Borba, um empresário de Woodland Hills, na Califórnia, fabrica um elixir chamado Borba Skin Balance Water que teria propriedades que lembram a lendária fonte da juventude. Guardadas em refrigeradores das lojas Sephora que trazem a inscrição "Tratamento Bebível para a Pele", as garrafas de plástico contém misturas de vitaminas e extratos de plantas que prometem melhorar o estado da pele.

O rótulo que fala sobre a "água de reposição", por exemplo, afirma que foi "cientificamente comprovado que esta água melhora os níveis médios de umidade da pele em 66%", enquanto que o da "água firmadora" alardeia que "está cientificamente provado que ela melhora, em média, a elasticidade da cútis em 24%".

No ano passado, os norte-americanos compraram cerca de um milhão de garrafas de água Borba, ao preço unitário de US$ 2,50, informa Borba. Eles também compraram a "bala para tratamento de pele" fabricada pela firma (US$ 25), cujo rótulo promete ajudar a resolver o problema de celulites e esticar a pele em áreas vulneráveis do corpo em sete dias.

"Se você inserir coisas boas no seu corpo, a sua pele colherá os benefícios", garante Borba. "Você já bebe água e já come doces e chocolates. Portanto, estou colocando produtos para cuidar da sua pele na sua água, no seu doce e no seu chocolate".

Durante décadas, as companhias de cosméticos fabricaram cremes faciais que oferecem esperança em um pote. Mas atualmente um número cada vez maior de marcas de produtos de beleza está lançando a esperança em uma pílula, em uma garrafa d'água ou até mesmo em um doce em barra.

Os especialistas em mercado se referem a essa nova categoria de produtos para a pele como produtos de "beleza interna" ou "nutricosméticos". Esses produtos incluem pílulas, líquidos e lanches elaborados com substâncias como a biotina, a niacina, os ácidos graxos ômega-3, a romã e o chá verde, que prometem melhorar a aparência da pele, do cabelo e das unhas.

Mas os críticos dizem que há poucas provas científicas por trás das promessas de que esses produtos melhoram a aparência da pele.

"Todos nós gostaríamos de ter uma pele mais macia, jovem e elástica em sete dias, apenas bebendo certos líquidos, comendo barras de doces ou mastigando balas de vitaminas", opina Wahida Karmally, diretora de nutrição do Centro Irving de Pesquisas Clínicas do Centro Médico da Universidade Columbia. "Mas a pele não funciona dessa forma. Não existe uma bala mágica".

Karmally, que é doutora em saúde pública, acrescenta que uma dieta baseada em grãos integrais, verduras, legumes, frutas, proteína magra e "a velha e simples água" ajuda a manter a pele saudável. Ela aconselha que se faça uma consulta com um nutricionista ou um médico antes de se tomar qualquer tipo de suplemento dietético, já que mega-doses de certas vitaminas podem fazer mal à saúde.

Como os alimentos ajudam a manter a pele saudável, as pessoas podem acreditar que os suplementos melhoram o estado da pele. Mas o médico dermatologista James M. Spencer, de Saint Petersburg, Flórida, que estudou o uso de substâncias ingeridas para inibir o câncer de pele, diz que existe pouca validação científica para a idéia de que os suplementos dietéticos são capazes de tornar as pessoas bem nutridas mais bonitas.

"Se você já é uma mulher saudável de 55 anos que vive em Nova York, ou se acabou de comer uma pizza no almoço, duvido que ficará mais bonita se tomar vitaminas de beleza", diz Spencer, professor de dermatologia da Escola de Medicina Mount Sinai em Manhattan. Ele acrescenta que os cientistas pouco sabem a respeito de como os suplementos de beleza afetam a pele já que estes são considerados suplementos dietéticos, que não são vetados pela Administração de Alimentos e Remédios (FDA) antes de chegarem às prateleiras das lojas.

Os fabricantes são responsáveis pelo conteúdo e a segurança desses produtos, e pela validade das alegações feitas. Mas se um suplemento dietético alega ter efeitos benéficos, ele deve trazer uma advertência de que a FDA não avaliou essas alegações, e que o produto não pretende "diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença".

Cinco anos atrás, poucos norte-americanos compravam os nutricosméticos. Mas no ano passado a população dos Estados Unidos gastou US$ 55 milhões com esses produtos, segundo a Kline & Company, uma firma de pesquisa de mercado que acompanha as vendas de cosméticos.

Carrie Mellage, gerente de acompanhamento de produtos da Kline, diz que o valor das vendas dos nutricosméticos chegou a US$ 1 bilhão no ano passado, em grande parte devido às vendas na Europa e na Ásia. No Japão, por exemplo, a Eiwa Confectionery fabrica "marshmallows de colágeno", que a empresa alega que melhora o estado da pele, e na França, a Noreva vende "geléia anti-envelhecimento" em sabores como melão-manga ou tomate-chá verde. Mellage explica que o aumento do interesse pela medicina holística e pelos alimentos orgânicos está estimulando essas vendas.

Borba, que desenvolveu idéias de produtos para companhias de beleza, deu início ao seu negócio após decidir que passava muito tempo bebendo água mineral, usando produtos de beleza e tomando 15 suplementos dietéticos diferentes todos os dias. A sua idéia: combinar esses três produtos em um. Em 2005, ele lançou as águas Borba na Fred Segal Beauty, em Santa Mônica, Califórnia. Neste ano, segundo ele, as vendas chegarão a 2,5 milhões de garrafas.

Os produtos se baseiam na idéia de biodisponibilidade para a pele - ou seja, se os nutrientes forem disponibilizados, as células da pele os absorverão, fazendo assim com que a aparência da pele melhore.

"Os consumidores compreendem que nós e a nossa pele somos aquilo que comemos", diz Borba. "Elixires, gotas e tabletes efervescentes que fortificam a pele de dentro para fora se tornarão o método preferido de tratamento da pele nos próximos cinco anos".

Howard Murad, um dermatologista de El Segundo, Califórnia, que criou a sua própria linha de cosméticos em 1989, é um dentre vários médicos que vendem nutricosméticos. O rótulo do suplemento dietético Murad Optimal Health and Beauty informa: "Está cientificamente provado que estas pílulas melhoram a hidratação da pele em 40%" e "aumentam a firmeza da cútis em 58%".

Murad diz ter desenvolvido os seus suplementos a partir das suas próprias pesquisas, baseadas na idéia de que os seres humanos usam nutrientes para melhorar a saúde há milhares de anos.

"A idéia dos alimentos como remédios sempre esteve presente, mas só agora a estamos redescobrindo", diz Murad, professor de dermatologia da Escola de Medicina Geffen da Universidade da Califórnia em Los Angeles. Segundo ele os antigos egípcios usavam a romã para tratar as desordens intestinais. "Agora a Universidade da Califórnia começou a estudar o efeito do suco da romã no combate ao câncer de próstata".

Mas os críticos dizem que o fato de certos nutrientes ajudarem no tratamento das doenças não significa automaticamente que o uso deles em suplementos dietéticos embeleze a pele.

"Ainda não existem evidências que embasem o uso desses nutrientes para a melhoria do estado da pele em pessoas saudáveis", adverte Paul M. Coates, diretor do Departamento de Suplementos Dietéticos do Instituto Nacional de Saúde. "Isso não significa que eles não funcionem, mas não podemos afirmar com certeza que funcionam".

Coates, que é doutor em genética, diz que os nutricosméticos só podem ser validados pelos testes clínicos publicados em periódicos científicos. Mas um número muito pequeno desses testes rigorosos é feito com suplementos de beleza, explica ele.

Borba diz que as alegações sobre as propriedades da sua água se baseiam em estudos independentes financiados por ele. O site da companhia, www.borba.net, diz que um técnico avaliou visualmente a pele de voluntários durante 28 dias, registrando fatores como rugas, ressecamento, elasticidade e clareza.

Já Murad diz que as alegações relativas ao seu suplemento se baseiam em estudos realizados por um laboratório independente que usou equipamentos como um corneômetro para medir a hidratação e um balistômetro para avaliar a elasticidade. Ele publicou um estudo em 2001 no períodico "Journal of Cosmetic Dermatology", revelando que oito pessoas que ingeriram suplementos de romã e usaram uma loção feita com essa fruta apresentaram uma pequena melhora da capacidade de proteção contra os efeitos do sol.

"Não estou alegando que esse seja um estudo científico do nível que se espera de uma pesquisa de Harvard", diz Murad. Mas um recente estudo não muito rigoroso feito com 70 dos seus pacientes demonstrou que os suplementos melhoraram o estado da pele. "Idealmente, a melhor coisa que uma pessoa pode fazer pela pele é se alimentar melhor", disse ele. "Mas é difícil comer uma grande quantidade de alimentos frescos, de forma que é aconselhável ingerir suplementos".

Spencer diz que os nutricosméticos são em sua maioria jogadas comerciais. "É improvável que eles façam mal à saúde", afirma. "No entanto, eles podem machucar o seu bolso".

Alguns pesquisadores duvidam do valor dos nutricosméticos.

Os produtos de beleza para serem ingeridos representam uma tendência pequena mas crescente. Para avaliar as alegações feitas em relação a alguns deles, James M. Spencer, o dermatologista que estudou o uso das substâncias ingeridas para a inibição do câncer de pele, examinou as listas de ingredientes e os rótulos:

Borba Skin Balance Confections Açai Skin Treatment Infused Gummi Boosters, US$ 25 por aproximadamente 136 unidades, www.sephora.com: essas balas prometem ajudar a aumentar a clareza e a radiância da pele. Mas Spencer discorda: "São apenas balinhas com teores de vitaminas muito baixos".

Cornelia Skin Clarifying Drinking Tea, US$ 24 por 2,6 onças (77,5 gramas), ww.cornelia.com: Este chá aromático de hortelã, camomila, raiz de bardana, murta-limão, flores de calêndula e folhas de bétula promete limpar os poros e aliviar a pele irritada. Spencer disse que isso é improvável, acrescentando: "Aposto que você já tomou chá de camomila com hortelã em casa, que é bem mais barato".

Dr. Andrew Weil for Origins Plantitode Mega-Mushroom Supplement, US$ 35 por 1,7 onças (48,8 gramas), www.origins.com: esse elixir verde promete otimizar as defesas da pele contra o envelhecimento. Spencer diz que dois dos ingredientes - as vitaminas C e E - são capazes de proporcionar "uma pequena dose de proteção" contra os danos provocados pelo sol. "Mas, cogumelos? De onde eles tiraram isso?".

Borba Skin Balance Water Anti Aging Clarifing, US$ 30 por uma caixa de 12 garrafas de 16 onças (460 gramas), www.borba.net: essa bebida rosada promete aumentar a clareza da pele e desacelerar os sinais da velhice. Spencer diz que os antioxidantes podem conferir uma pequena proteção contra os danos causados pelo sol. "Mas algo que o protege não faz com que você tenha instantaneamente uma aparência melhor, embora possa reduzir a probabilidade de que a pessoa tenha a aparência de uma ameixa seca daqui a 20 anos", diz o pesquisador.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host