UOL Notícias Internacional
 

24/12/2006

Ao fazer o check-in, verifique primeiro as taxas extras

The New York Times
Jennifer Alsever

The New York Times
Staci Mattson, 21 anos, achou que tinha feito um grande negócio ao alugar um carro para uma viagem de três dias a Hartford, Connecticut, em maio passado.

Mas quando chegou ao balcão da Hertz para pegar seu veículo, a conta a surpreendeu: ela incluía uma taxa adicional de US$ 81, porque ela tinha menos de 25 anos.

"Eu não contava com aquela taxa", disse Mattson, uma estudante da Universidade Loyola, em Chicago. "Para uma estudante, é muito dinheiro. Eu não deixei de alugar o carro, mas foi desanimador." Mattson posteriormente viu a taxa diária de US$ 27 revelada nas letras miúdas do site da Hertz.

Muitos viajantes contam histórias semelhantes sobre alugar carros e fazer reservas em hotéis por um preço e no final pagar bem mais, por causa de taxas e impostos inesperados. Tais cobranças cresceram à medida que os descontos fornecidos pela Internet reduziram as margens de lucro nos setores hoteleiro de locação de carros, e à medida que mais governos locais aplicam impostos sobre os turistas para financiar grandes projetos.

Não espere que as cobranças desapareçam tão cedo —e não presuma que possa escapar delas na lábia, disse Robert Mandelbaum, um analista do setor hoteleiro da PKF Consulting, em Atlanta. Os hotéis estavam mais dispostos a reembolsar cobranças adicionais há poucos anos, durante um período de baixa ocupação, mas os negócios estão aquecidos no momento.

"Se você se queixar a respeito, você não disporá da mesma posição vantajosa que tinha junto aos gerentes de hotel", disse Mandelbaum. "Hotéis querem hóspedes, mas não há mais uma urgência."

Os consumidores podem se preparar para as cobranças lendo as letras miúdas do contrato, fazendo perguntas e esperando gastar mais enquanto estiverem na estrada -cerca de 25% a mais do que os preços básicos, até mais em alguns casos, disse Laurie Borman, uma autora de livros de viagem e diretora editorial da Rand McNally, uma editora de mapas e Atlas de estradas de Stokie, Illinois.

Como as pessoas querem pensar que estão obtendo barganhas, as empresas "oferecerão o preço mínimo e acrescentarão os extras", ela disse. "Então, prepare-se."

Em junho, Borman alugou um carro para uma viagem dentro do Canadá; o aluguel lhe custou no final o dobro do valor básicos quando impostos e taxas foram acrescentados, ela disse.

O aluguel de um carro pode proporcionar uma grande variedade de taxas: entre US$ 5 e US$ 25 por dia por um motorista adicional; US$ 3 por dia de cobrança por "pico de temporada"; US$ 50 para deixar o carro em uma cidade diferente; e, se o carro for devolvido sem gasolina, US$ 6,75 por galão (3,785 litros) para encher o tanque. Se um viajante aceitar seguro, o custo poderá aumentar para US$ 40 por dia, dependendo do pacote. Mas o seguro nem sempre é necessário, porque algumas grandes operadoras de cartão de crédito e a maioria das seguradoras de carro oferecem cobertura.

As pessoas devem prestar atenção no horário de entrega do carro no contrato de aluguel, disse Anne Banas, editora executiva da SmarterTravel.com. "Se diz 15 horas, leve isto a sério", disse ela.

Algumas locadoras de carros oferecem entre meia e uma hora de tolerância para entrega atrasada de carros, enquanto outras não oferecem nada, cobrando pelas horas adicionais.

Você não tem nada a perder em pedir antecipadamente por uma tolerância.

"Você pode negociar qualquer coisa, mas depende da pessoa no balcão naquele dia", disse Banas.

Se você vai pegar um carro em um aeroporto, se prepare para um ataque brutal de impostos estaduais e locais, que geralmente financiam a construção de centros de convenção, museus, estádios, novas instalações para aluguel de carros ou segurança adicional para o aeroporto.

Por exemplo, no Aeroporto Internacional Fort Lauderdale-Hollywood na Flórida, os clientes que alugam um carro pagam um grande número destas taxas, apesar das empresas lhes darem diferentes nomes.

Na Hertz, os clientes pagam uma taxa de concessão de 10% (o mesmo percentual cobrado das locadoras de carro para poderem operar no aeroporto); 6% de imposto estadual; "sobretaxa de aluguel" de US$ 2 por dia, que vai para o fundo estadual de transporte; e US$ 4,51 por dia de "cobrança de instalação", que custeia o novo centro de locação de carros de US$ 247 milhões no aeroporto e o licenciamento estadual dos carros. As cobranças adicionais acrescentam mais de US$ 41 a um aluguel de US$ 135 por três dias.

Os clientes da Hertz que fazem uma reserva podem clicar no link da cotação de preço para ver as várias qualificações, taxas e requerimentos para locação, disse Paula Rivera, uma porta-voz da Hertz, com sede em Park Ridge, Nova Jersey. Se os clientes acharem que podem incorrer em uma taxa adicional, eles podem perguntar a respeito para um representante da Hertz ou buscar mais informações no site da empresa, ela disse.

Por todo o setor de locação de carros, em média, os clientes estão pagando cerca de 20% a mais -ou US$ 7 a US$ 10 adicionais por aluguel- neste ano do que no ano passado, disse Neil Abrams, um consultor de locação de carros de Purchase, Nova York. As empresas estão enfrentando pressões de custo devido aos cortes nas grandes montadoras, que antes lhes vendiam carros com grandes descontos.

A Associação Americana de Locação de Carros, uma entidade setorial criada em 2005, agora faz lobby junto aos legisladores federais para colocar um freio nos impostos locais sobre as locações. Os clientes vêem apenas que o custo do aluguel aumentou e culpam as empresas pelos impostos, disse Abrams. "Eles só pensam que é outra forma de arrancar dinheiro dos clientes", ele acrescentou.

Impostos e taxas também podem se acumular para os viajantes que fazem reservas em hotéis.

Lisa Frost, 35 anos, de Superior, Colorado, ficou chocada ao ver uma cobrança adicional de US$ 197,71 após passar três dias em um hotel em Santa Fe, Novo México, com seu marido, Jeff, em outubro. Ela reservou um quarto por US$ 209 a diária, mas o hotel acabou cobrando mais US$ 15,94 de imposto sobre venda, US$ 14,63 de taxa de ocupação, US$ 15 de "taxa de resort" e US$ 14 de taxa de estacionamento por cada noite que ficaram no hotel. Ela também pagou uma "taxa de spa" de US$ 19 por uma massagem. Ela percebeu posteriormente que as taxas estavam listadas nas letras miúdas da mensagem por e-mail que confirmava sua reserva.

"Eu fiquei chocada", disse Frost. "Eu me senti um tanto estúpida. Eu senti que devia saber que cobrariam tudo isto. O que são todas estas coisas?"

Santa Fe não é diferente de outras cidades. Em Nova York, os hóspedes de hotéis pagam uma taxa de hotel de 13,75%, assim como US$ 3,50 adicionais por noite por quarto, que ajudam a custear a ampliação do Centro de Convenções Jacob K. Javits. Os hotéis de Orlando cobram imposto de quarto e ocupação de 12,5%.

Em alguns locais, os hotéis podem cobrar US$ 15 por dia de taxas de resort que cobrem múltiplos serviços que algumas pessoas podem presumir que acompanham o quarto: o uso de toalhas na piscina e cofre no quarto, por exemplo, assim como a entrega do jornal matinal.

Telefonemas locais podem ser gratuitos em alguns hotéis, ou custar US$ 1 ou até mesmo US$ 2,50 em outros, enquanto o uso do ginásio pode ser gratuito ou custar até US$ 30 por dia. E serviço de quarto pode incluir gorjetas obrigatórias.

Estacionamento pode estar incluso em um hotel; em outro pode custar de US$ 9 a US$ 20. O mesmo ocorre com acesso à Internet no quarto, assim como pode haver uma taxa adicional por tal acesso no saguão.

Uma viagem pode se transformar em um jogo de adivinhação para os viajantes, disse Borman, da Rand McNally. Aquela garrafa de água no quarto "pode ser gratuita ou não", ela disse. Segundo ela, se a garrafa de água está próxima da cama, deitada, ela geralmente é gratuita. Se está em uma cesta de comida ou dentro do minibar, geralmente não é.

Os consumidores que estão preocupados com cobranças adicionais devem fazer pesquisa antes de fazerem reservas, seja online ou por telefone, disse Banas, da SmarterTravel.com. Sempre que possível, ela disse, ela faz perguntas por e-mail, imprime a resposta e leva a documentação consigo na viagem.

Às vezes protestos podem obter resultados. Os hóspedes de hotéis devem prestar atenção no check-in por potenciais taxas adicionais -por exemplo, por um jornal ou uso do spa. Se você não planeja usar estes extras, diga ao recepcionista para cuidar para que não sejam acrescentados em sua conta. No check-out, revise a conta cuidadosamente.

Hotéis econômicos freqüentemente oferecem menos cobranças adicionais e cortesias como café da manhã e acesso à Internet geralmente estão incluídos no preço do quarto. E alguns dos hotéis mais caros agora fazem um esforço para alertar os viajantes sobre os custos adicionais por meio de seus sites e por e-mail. O Marriott International, por exemplo, lista os custos do quarto quando a pessoa faz reserva pelo seu site -detalhando os impostos e as taxas adicionais de resort, assim como quais serviços específicos elas cobrem.

Esta é uma boa notícia para pessoas como Erik Jasiak, de Louisville, Colorado, que conta sobre sua viagem para Fiji, em 2004, quando ele e sua esposa desceram de um navio após uma jornada de 21 horas. No hotel (não da rede Marriott), o casal recebeu "coquetéis de boas-vindas" de um funcionário. Mas no check-out, Jasiak viu que as boas-vindas tinham um preço: ele foi cobrado pelo que achou que se tratava de drinques de cortesia. "Eu não me importo em pagar, mas quando me dizem após o fato, então me sinto trapaceado", ele disse. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host