UOL Notícias Internacional
 

31/12/2006

Em negócio bilionário, dono da Gucci quer comprar gigante da energia

The New York Times
Heather Timmons

Em Londres
François Pinault, o investidor bilionário que é dono da luxuosa grife de moda Gucci, está avaliando a possibilidade de uma oferta pela gigante francesa de energia e água Suez, que poderia chegar a € 70 bilhões (US$ 92 bilhões), disseram dois executivos informados sobre a negociação.

Pinault já levantou cerca de € 18 bilhões junto a bancos para financiar a compra do negócio de distribuição de água da Suez e está à procura de uma empresa de energia como parceira para assumir a divisão energética da Suez, disse um executivo. Pinault tem contatado grandes empresas do setor na Europa para determinar seu interesse, afirmou a fonte.

A empresa de Pinault, a PPR, não respondeu a telefonemas nem a mensagens de e-mail na sexta-feira.

Qualquer oferta acrescentaria outro elemento complicador nas negociações já complexas que visam transformar a Suez em uma campeã francesa.

O governo francês ajudou a intermediar um acordo de € 42 bilhões entre a Suez e a Gaz de France em fevereiro, para rechaçar uma oferta hostil da Enel, da Itália. Os países europeus têm tentado consolidar suas próprias empresas de energia, enquanto a União Européia busca fazer com que derrubem as barreiras para concorrência.

O fusão da Suez-Gaz de France conta com o apoio do presidente da França, Jacques Chirac, mas é impopular entre investidores e alguns funcionários.

Em novembro, um juiz francês determinou que uma fusão planejada com a Gaz de France deveria ser revisada devido ao seus efeitos sobre os empregos locais, e acionistas se queixaram de que o acordo não lhes dá valor suficiente.

Pinault é um amigo próximo de Chirac. O gabinete de Chirac disse na sexta-feira que não discutiria uma tomada da Suez por Pinault.

Pinault, que a "Forbes" classifica como a 74ª pessoa mais rica do mundo, também é dono da casa de leilão Christie's e tem capital investido em ativos de seguradoras até empresas de produtos de escritório. A tentativa de tomada da Suez seria um acordo clássico para Pinault, disse um executivo que o aconselhou no passado. "Ele adora desafiar o establishment", disse.

Uma revista francesa, a "Capital", informou em seu site na sexta-feira que Pinault poderia fazer uma oferta pela Suez já nesta semana. As ações da Suez fecharam com alta de 2,6% em Paris, a € 39,23.

A Suez pediu à reguladora de mercado francesa AMF que pressionasse Pinault a esclarecer sua posição. Espera-se que ele faça uma declaração sobre a oferta antes que os mercados franceses abram após o Dia de Ano Novo.

Uma oferta separada seria bem-vinda, disseram alguns investidores.

"Nós dizemos o tempo todo que não há sinergia entre a divisão de água da Suez e sua divisão de energia", disse Eric Knight, fundador da Knight Vinke Asset Management, que possui ações da Suez e é um dos maiores defensores da separação da empresa. "Qual é a necessidade de mantê-las juntas?" George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,29
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h30

    -0,17
    74.318,72
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host