UOL Notícias Internacional
 

18/01/2007

Agente de fronteira americano mata imigrante; governo mexicano protesta

The New York Times
Jonathan Clark

em Bisbee, Arizona
Um imigrante mexicano foi baleado e morto na sexta-feira (12/1) por um agente da Patrulha de Fronteira no Arizona, levando a uma investigação por autoridades federais e uma condenação do presidente do México, Felipe Calderón.

O imigrante, Francisco Javier Dominguez Rivera, 22 anos, foi morto na sexta-feira enquanto ele e seis outros estavam sendo levados sob custódia por um agente da Patrulha de Fronteira, logo após terem cruzado ilegalmente em Cochise County, no sudeste do Arizona, entre Naco e Douglas. Antes de ser baleado, Dominguez Rivera teria brigado com o agente, cuja identidade não foi divulgada, disse um porta-voz da Patrulha de Fronteira.

Foi a primeira morte a tiro por um agente da Patrulha de Fronteira desde 26 de agosto de 2006, quando um agente matou um homem que estava atirando pedras do lado mexicano da fronteira, perto da fronteira de Andrade, Califórnia, disse Xavier Rios, um porta-voz da agência.

O Departamento do Xerife de Cochise County e o Departamento de Segurança Interna federal, ao qual está subordinada a Alfândega e Proteção de Fronteira americana, estão investigando a morte.

O FBI também está acompanhando o caso e analisará os resultados de outros depoimentos antes de determinar se expandirá sua investigação, disse uma porta-voz da agência em Phoenix.

"Sempre que há um ataque a um agente federal, nós estamos envolvidos", disse Deborah McCarley, a porta-voz do FBI. "À medida que prosseguimos surge informação de que houve violação de direitos civis, então obviamente analisamos isto."

O vice-comandante Mark Dannels, um porta-voz do departamento do xerife, disse que o disparo foi provocado por alguém ter jogado pedras. Uma declaração da Patrulha de Fronteira citou uma briga, mas não mencionou se pedras foram atiradas. Além disso, as descrições pelas duas agências de onde ocorreu o disparo divergem em vários quilômetros.

Relatos iniciais sugeriam que Dominguez Rivera estava desarmado, como disse Jesus Rodriguez, um porta-voz da Patrulha de Fronteira em Tucson. As autoridades não poderão dizer ao certo até que a investigação seja concluída, disse Rodriguez.

Calderón, que assumiu a presidência em dezembro, disse em uma coletiva de imprensa no domingo: "Eu desejo começar prestando minhas mais profundas condolências e então meu protesto mais enérgico pela morte de nosso compatriota, um morador de Puebla, que morreu baleado no Arizona após ser detido pela Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos".

O Ministério das Relações Exteriores mexicano enviou uma nota formal ao Departamento de Estado expressando sua "séria preocupação com a repetição deste tipo de incidente".

Durante uma coletiva de imprensa na quarta-feira, Tom Casey, um vice-porta-voz do Departamento de Estado disse: "Meu entendimento é que recebemos uma nota diplomática do governo do México sobre este incidente". Qualquer resposta do departamento dependerá do resultado das investigações federais, ele disse. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,02
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,02
    75.974,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host