UOL Notícias Internacional
 

22/01/2007

Latinos de Nova York escolhem nomes que cruzam culturas

The New York Times
Sam Roberts
Em Nova York
Pela primeira vez em uma geração, o nome mais popular para meninos latinos recém-nascidos em Nova York é um étnico: Angel.

Há mais Angels nos Estados Unidos do que nunca: o nome aparece na 32º lugar em todo o país, um recorde, entre todos os meninos nascidos em 2005, e no Arizona ele é o nome mais popular entre todos os meninos recém-nascidos.

Mas em Nova York, o "melting pot" do país, um nome tradicional espanhol não ocupa o primeiro lugar, nem mesmo entre os meninos latinos, desde meados dos anos 80, quando Jose ficou em primeiro lugar. (Jose ainda está à frente de Angel nacionalmente, em 30º lugar.) Em vez disso, os pais latinos geralmente escolhem nomes claramente "anglos", como Kevin e Justin.

A mais recente lista, baseada nas certidões de nascimento de 122.725 bebês em 2005 e divulgada no ano passado pelo departamento de saúde municipal, não necessariamente sugere qualquer golpe à assimilação. Na verdade, Angel (que subiu do quarto lugar no ano anterior) é o único nome claramente étnico entre os 10 mais populares para meninos latinos em Nova York.

Os outros na lista dos 10 mais para meninos latinos foram Anthony,
Christopher, Justin, Joshua, David, Daniel, Kevin, Michael e Jonathan. (Jose ficou 13º, Luis em 15º, Juan em 22º e Sebastian em 25º).

Entre as meninas latinas, os nomes mais populares foram Ashley, Emily,
Isabella (que ficou em quinto entre todas as meninas recém-nascidas),
Jennifer e Mia. (Outros dos nomes mais populares de bebês em Nova York foram Emily e Ryan entre asiáticos, Kayla e Joshua entre os negros, e Sarah e Michael entre brancos não-latinos).

Angel Solano nasceu no final de agosto no NewYork-Presbyterian
Hospital/Allen Pavilion. O pai do menino, Angel Miguel Solano, queria
chamá-lo de Christopher, disse Joseline Liriano, a mãe do bebê. Mas quando sua sobrinha de 16 anos sugeriu o nome Angel, Liriano gostou por achar que soaria igualmente bem em inglês e espanhol. (Seus filhos mais velhos, nascidos na República Dominicana, se chamam Rafelina, Joel e Jackson.)

Além disso, quando o bebê nasceu, o nome casou. "Ele é clarinho, com os olhos bem azuis", disse Liriano, que mora no bairro de Washington Heights e trabalha em uma fábrica de perfumes em Nova Jersey.

Os dominicanos foram responsáveis pela maioria dos nascimentos na cidade nos últimos anos, mas deverão ser superados pelos mexicanos na contagem de certidões de nascimento de 2006.

A lista de nomes de bebês não é dividida pela descendência dos pais, e
antropólogos culturais geralmente não conseguem nem mesmo sugerir um único motivo para a popularidade de Angel, que pode ser pronunciado da forma padrão inglesa ou da espanhola, "an-rel".

"Foram 9.362 meninos chamados de Angel em 2004 e 10.788 em 2005" em todo o país, disse Cleveland Kent Evans, presidente da American Name Society (Sociedade Americana de Nomes). "Foi um aumento de 15% em um ano, um rápida ascensão, e mostra que Angel estava crescendo nacionalmente em uso na comunidade latina antes de aparecer no topo em Nova York.

"É um nome perfeito de meio-termo", ele disse, "para aqueles que desejam enfatizar sua herança latina e ao mesmo tempo serem assimilados pela sociedade maior".

Hector R. Cordero-Guzman, o presidente do Departamento de Estudos Negros e Latinos da Baruch College, disse que Angel é sugestivo das "qualidades que as mães desejam que seus filhos tenham ou é um tanto epônimo. O grau de religiosidade na comunidade latina, eu acho, também favorece a popularidade do nome.

"Eu não acho que o aumento no nome reflete um aumento (ou diminuição) de 'nacionalismo' nem que haja uma figura particularmente popular na música, cinema ou televisão que explique o repentino aumento do nome", ele disse. "Quando pais latinos procuram por nomes, eles procuram por nomes que possam ser facilmente pronunciados em espanhol e inglês."

Guillermina Jasso, uma professora de sociologia da Universidade de Nova
York, disse que Angel é evocativo da antiga prática de adoção de nomes
bastante cristãos como forma de sobreviver em um ambiente que nutre
suspeitas. Se o aumento em Angel estiver de fato ligado a nova-iorquinos nascidos no México, então tem um significado adicional, uma espécie de esperança e proteção para as pessoas, muitas das quais são imigrantes ilegais.

"Como usar um amuleto, ter um 'Anjo' sob o teto pode fornecer um grau de tranqüilidade", disse Jasso.

Analisando os 20 nomes mais adotados entre os meninos latinos em Nova York, Laura Wattenberg, autora de "The Baby Name Wizard: A Magical Method for Finding the Perfect Name for Your Baby", descobriu que, em 2000, 71% receberam nomes anglos, 19% espanhóis e 10% nomes mistos. Em 2005, ela disse, os percentuais comparáveis foram de 73% anglos, 16% espanhóis e 11% mistos.

"O que mudou foi a distribuição", ela disse. "Angel é um nome em ascensão por todo o país há mais de uma década. Ele chegou ao topo entre os nova-iorquinos latinos ao tomar uma fatia maior da torta de nomes espanhóis, não por fazer a torta crescer. A ascensão de Angel é compensada pelo declínio de Jose e Luis. E ainda não é tão popular quanto Justin foi em 2000." George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h38

    -0,60
    3,126
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h45

    0,15
    75.720,53
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host