UOL Notícias Internacional
 

17/02/2007

O segundo maior banco espanhol vai adquirir o Compass Bancshares dos EUA

The New York Times
Julia Werigier

em Londres
O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria SA, segundo maior banco da Espanha depois do Santander, concordou em comprar seu rival americano, Compass Bancshares, por US$ 9,6 bilhões (em torno de R$ 21 bilhões). Assim, faz sua maior aquisição no exterior, naquele mercado onde procura reforçar sua presença.

O Banco Bilbao, ou Bbva, disse na sexta-feira (16/2) que os acionistas do Compass podem escolher entre receber US$ 71,80 (em torno de R$ 158) em dinheiro ou 2,8 novas ações do BBVA para cada uma de suas atuais ações do Compass. A oferta representa um prêmio de cerca de 16% acima da média do preço da ação da Compass nos últimos 10 dias e 8% acima do fechamento de sexta-feira.

Os bancos da Espanha se aproveitaram do significativo crescimento na economia espanhola e de um forte aumento no financiamento de imóveis, inclusive para estrangeiros que estão comprando casas de férias no país. O Bbva, que tem sede em Bilbao, no Norte da Espanha, e o Banco Santander Central Hispano SA, o maior do país, usaram seus lucros para expandir para a América Latina, onde o crescimento econômico gerou uma demanda por serviços bancários.

O Bbva é proprietário do Bbva Bancomer, o maior banco do México em patrimônio, enquanto o Santander investiu um total de US$ 17 bilhões (aproximadamente R$ 37 bilhões) em várias aquisições na América Latina desde 1996. O Santander agora detém o 3º banco do México, Serfin, e o sétimo em crédito do Brasil, Banespa.

No ano passado, o Bbva concordou em comprar o State National Banchshares e o Texas Regional Bancshares por 2,1 bilhões de euros (em torno de R$ 6 bilhões). Com a aquisição do Compass, que tem sede em Birmingham, Alabama, o Bbva vai gerar cerca de 10% de sua renda nos EUA. Terá 622 filiais no Alabama, Arizona, Colorado, Flórida, Novo México e Texas, com um total de US$ 47 bilhões (aproximadamente R$ 103 bilhões) em bens.

"Apesar de entendermos o raciocínio por trás da expansão na região, o preço é muito cheio", disse Andy Lynch, que administra cerca de 3 bilhões de euros em títulos europeus no Schroders, em Londres. O Bbva está pagando cerca de quatro vezes o valor do Compass e quase 20 vezes sua previsão de lucros para 2007, de acordo com Lynch.

As ações do Bbva caíram para 19,49 euros, ou 2,4%, na bolsa de valores de Madri. As ações subiram 17% no último ano, levando a um valor de mercado de 69 bilhões de euros (em torno de R$ 200 bilhões).

Os bancos da Espanha tiveram forte crescimento. O Bbva gerou 1,8 bilhão de euros (aproximadamente R$ 5,2 bilhões) de lucros no México e Estados Unidos em 2006, depois de construir uma franquia que serve os dois lados da fronteira e atende a comunidade hispânica dos EUA. O Santander, que pagou 8,3 bilhões de libras (cerca de R$ 33 bilhões) pelo Abbey National PLC do Reino Unido em 2004, disse no início do mês que os lucros da América Latina ajudaram a levantar o resultado do quarto trimestre em 13%.

Seu crescimento e forte administração tornaram os bancos espanhóis um alvo possível para aquisições pelos gigantes europeus. Mas a aquisição do Compass pelo Bbva pode de fato torná-lo um alvo menos desejável.

Francisco Gonzalo, diretor do Bbva, disse em setembro que o banco recebera propostas de rivais europeus e não europeus. As ações do Bbva ganharam com especulações de que seria de interesse para o Hsbc Holdings de Londres ou o Societe General SA da França.

Gonzalo sofreu um golpe em seus planos de expansão no ano passado, quando sua oferta pelo italiano BNL foi superada pelo BNP Paribas, da França. A aquisição teria sido a maior do Bbva, desde que pagou 10,5 bilhões de euros (cerca de R$ 30 bilhões) pelo Argentaria em 2000. Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host