UOL Notícias Internacional
 

18/04/2007

Vítimas com formações diferentes morreram da mesma forma terrível

The New York Times
Pam Belluck
Eles podiam estar vivendo em Blacksburg, Virgínia, mas eles vieram de todas as partes do mundo. E mesmo muitos daqueles de lugares como Saugus, Massachusetts, ou a Roanoke, Virgínia, buscavam metas globais como estudar francês, alemão ou se especializar em relações internacionais.

Mas com um ato devastador, os 32 homens e mulheres de locais tão distantes como Romênia, Peru e Nova Escócia foram unidos por um mesmo destino horrível, massacrados por um estudante que nasceu em outra terra, um sul-coreano de 23 anos.

Entre os mortos estava um especialista em ciência animal de Woodville, Virgínia, que era um ávido equitador; um estudante de doutorado em engenharia de Porto Rico, que adorava salsa e tocava em uma banda; uma faixa vermelha em tae kwon do de Viena, Virgínia, que queria criar cães; e um estudante de doutorado de Louisville, Kentucky, que era um torcedor da equipe de futebol americano do Instituto Politécnico da Virgínia (Virginia Tech).

Liviu Librescu, um professor de 76 anos que realizou um trabalho inovador em engenharia aeronáutica, nasceu na Romênia e sobreviveu ao Holocausto, apenas para ser morto no Yom Hashoah, o dia internacional em memória das vítimas do Holocausto.

Os estudantes disseram que Librescu bloqueou a porta de sua sala de aula para impedir a entrada do atirador. Uma nora, Ayala Librescu, que vive em Ra'anana, perto de Tel Aviv, disse ao "Ynet", o site do jornal hebreu "Yediot Aharonot": "Ele deve ter percebido que o assassino estava se aproximando. Ele salvou seus alunos e foi morto pelos disparos".

Pelo menos quatro outros professores foram mortos, incluindo Jocelyne Couture-Nowak, uma professora de francês de Truro, Nova Escócia, e Jamie Bishop, 35 anos, um professor de alemão e literatura que estudou na Universidade da Geórgia e também passou vários anos na Alemanha. O marido de Couture-Nowak, Jerzy Nowak, leciona horticultura na Virginia Tech, e a esposa de Bishop, Stephanie Hofer, leciona no curso de alemão.

G.V. Loganathan, 51 anos, nasceu em Chennai, no sul da Índia, e ensinava engenharia civil e ambiental na Virginia Tech há 25 anos, com especialidade na análise e projetos de sistemas de águas.

Nammalwar Sriranganathan, que ensina bacteriologia na Virginia Tech, disse que Loganathan fazia parte da unida comunidade indiana na Virginia Tech de 700 estudantes e 70 famílias, que se reúnem com freqüência para encontros sociais e reuniões religiosas hinduístas.

Kevin P. Granata, 45 anos, era considerado um pesquisador promissor em seus campos, resposta muscular e reflexo, robótica e a mecânica do caminhar e correr.

"Ele era um dos cinco principais pesquisadores de biomecânica no país trabalhando na dinâmica do movimento na paralisia cerebral", disse o dr. Ishwar K. Puri, o reitor de engenharia, em uma declaração. "O uso de sua pesquisa por outros pesquisadores em todo o mundo o colocou em uma trajetória de se tornar um astro nestes campos."

Entre os estudantes mortos estavam pelo menos quatro estudantes de estudos internacionais e pelo menos oito estudantes de engenharia, incluindo estudantes de doutorado. Pelo menos três estudantes foram baleados em uma aula de francês e várias outras em uma aula de alemão.

Henry Lee, um calouro de 20 anos de Roanoke, Virgínia, conseguiu muito apesar de sérios obstáculos. Ele nasceu na China como Henh P. Ly e seus pais vieram para os Estados Unidos quando ele estava no primário, disse Susan Lewyer Willis, a diretora do colégio William Fleming, que disse que ele mudou seu nome para Henry Lee quando adquiriu cidadania no ano passado.

No colégio, além de trabalhar em uma loja da Sears, ele era um estudante tão dedicado que conquistou quase todos os prêmios em seu último ano, incluindo o prêmio Burger King, que dá a cada colega de classe um cartão com uma foto de Lee que pode ser trocado por um sanduíche Whooper gratuito.

Como orador da turma, ele tinha que fazer um discurso, mas estava tão nervoso que teve que ser persuadido a fazê-lo, disse Willis. "Ele disse: 'Imagine estar sentado em uma classe sem saber a língua. Agora sou o Nº 2 na minha classe'. Foi um momento de muito orgulho", ela contou.

Jarrett Lane, 22 anos, um estudante de engenharia civil, foi o melhor aluno de sua classe no colégio, em Narrows, Virgínia, assim como um atleta de quatro esportes que também tocava trombone.

"Ele era um jovem excepcional", disse Robert Stump, o diretor do Narrows High School. "Quieto, humilde e muito popular."

"Ele era um dos mais esforçados", continuou Stump. "Certo dia, após ter feito uma boa partida de basquete, ele procurou o treinador e disse: 'Treinador, o que preciso fazer para melhorarmos?' Este era o tipo de pessoa que ele era."

Ross Abdallah Alameddine, 20 anos, um aluno do segundo ano de Saugus, Massachusetts, era conhecido como amoroso e cheio de humor, disseram amigos.

Leah Robinson, 20 anos, ficou amiga de Alameddine no semestre passado quando descobriram que eram os únicos não especializados em música em uma aula de teoria musical. Alameddine era um grande fã do jazz trio Medeski, Martin and Wood e adorava os sanduíches de frango grelhado do salão de jantar do West End Market, assim como do Pontiac Grand Am azul escuro que ganhou em uma rifa.

"Ele o chamava de o carro que conseguiu por um dólar", disse Robinson.

Reema Samaha, 18 anos, uma caloura libanesa-americana de Centreville, Virgínia, que foi morta na aula de francês, era uma ávida dançarina e atriz que conquistou prêmios no colégio por suas apresentações em produções como "Um Violinista no Telhado". Uma amiga da família, Luann McNabb, disse que Samaha venceu o concurso de calouros do colégio com uma dança do ventre.

"Ela era cheia de alegria", disse McNabb em meio a lágrimas.

E Daniel O'Neil, 22 anos, um estudante de doutorado em engenharia ambiental de Lincoln, Rhode Island, tocava guitarra e compunha canções com títulos como "Missing You" e "Typical Love Song".

O livro do ano colegial de O'Neil, segundo o "The Providence Journal", refletia um otimismo alegre e um apreço por coisas da Disney. Ele citou uma frase de o Rei Leão, "Hakuna Matata", que significa "sem preocupações" em suaíli.

Ao lado de sua foto estava esta citação: "Coma, beba e seja feliz, pois amanhã morreremos. A vida não é uma corrida rápida, é uma maratona." George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h59

    -0,92
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h05

    1,12
    64.472,71
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host