UOL Notícias Internacional
 

09/05/2007

Muita pompa e white-tie em jantar para a rainha na Casa Branca

The New York Times
De Sheryl Gay Stolberg, em Washington
Saul Loeb/AFP
Rainha Elizabeth 2ª e o presidente Bush durante jantar de gala na Casa Branca
Presidentes vêm e vão, mas, por mais de meio século, a rainha sempre foi a rainha. Assim, talvez não cause surpresa o fato de Washington ter ficado um pouco alucinada na segunda-feira, dia 7/5, quando a rainha Elizabeth 2ª e seu marido, o príncipe Philip, duque de Edimburgo, iniciaram uma visita oficial de dois dias à capital americana.

A Casa Branca foi decorada impecavelmente para um exclusivo jantar de gala white-tie na noite de segunda-feira, com o presidente Bush e a primeira-dama, Laura Bush, servindo como anfitriões para o casa real e outros 130 convidados. Mas a manhã foi reservada para as massas -ou, pelo menos, para as massas com o tipo de conexões que garantem um convite para a cerimônia formal de recepção no Gramado Sul.

Os felizardos portadores de convite -mais de 7 mil pessoas- começaram a fazer fila às 7h da manhã para entrar: mulheres com chapéus finos carregando buquês de flores, meninas em vestidos de chiffon, meninos e homens com suas melhores roupas, todos empunhando câmeras e esticando seus pescoços por um vislumbre do que um chamou de "real deal" (o genuíno).

Joy Green, cuja filha tinha convites devido ao seu emprego no Departamento de Justiça, veio em um vôo de Selma, Alabama, para a ocasião. "Eu acho que amamos o fato deles terem uma rainha", ela disse, explicando a fascinação americana, "e estamos felizes por não termos".

Às 10h56 da manhã, seis minutos além do previsto, ela chegou, uma mulher pequena vestindo um chapéu preto e branco, luvas brancas, um casaco branco e saia preta. Tambores rufaram e trombetas soaram. Houve uma palpitação na multidão e um grito agudo: "Lá está ela! Estou vendo a rainha!"

Foi um dia de pompa e circunstância -uma guarda militar colorida, uma banda de pífanos e tambores usando perucas brancas, casacos vermelhos e chapéus de três pontas. O Salão de Jantar de Estado estava repleto de rosas brancas, centros de mesa dourados e talheres com cabos perolados. O cardápio com cinco pratos, contendo sopa de ervilha com alfazema, lombo de cordeiro novo e três vinhos diferentes, foi servido. Petit-fours de sobremesa estavam em travessas de prata para a imprensa provar.

O jantar foi o primeiro e provavelmente único evento white-tie do governo Bush, e a primeira-dama confessou na segunda-feira o que agora deixou de ser segredo: ela contou com a ajuda da secretária de Estado, Condoleezza Rice, para convencer o presidente Bush a vestir o traje formal. "Nós pensamos que se teríamos um evento white-tie", disse Laura Bush, "este seria ele". George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,56
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h24

    1,23
    73.401,83
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host