UOL Notícias Internacional
 

29/05/2007

Notas sobre saúde e boa forma - Uso prolongado de antibióticos pode não ajudar a curar Doença de Lyme

The New York Times
As pessoas que padecem da doença de Lyme apresentam às vezes sintomas muito depois que a enfermidade parece ter sido curada. Para aliviar o desconforto desses pacientes, os médicos prescrevem antibióticos durante meses, ou até mesmo anos.

Mas um novo estudo não encontrou evidências de que o prolongamento do uso de antibióticos além do período necessário para a cura da doença traga qualquer benefício.

O relatório, que foi publicado na edição online do periódico "Neurology", também aborda os efeitos dos medicamentos geralmente usados por pacientes nos quais a doença de Lyme afetou o sistema nervoso, algo que ocorre em cerca de 15% dos indivíduos infectados. Os autores da pesquisa, chefiados pelo médico John J. Halperin, descobriram que essa abordagem é altamente efetiva.

Segundo o relatório, não se sabe ao certo se o problema é causado pelo organismo que provoca a doença de Lyme, que se esconde tão profundamente no organismo que as drogas não conseguem atingi-lo, ou se os sintomas poderiam ser provocados na verdade por uma forma de síndrome da fadiga crônica. O estudo afirma que o uso prolongado de antibióticos não só não parece trazer nenhum benefício, como também representa certo risco devido aos possíveis efeitos colaterais. UOL

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host