UOL Notícias Internacional
 

15/08/2007

Mattel retira do mercado mais brinquedos fabricados na China

The New York Times
David Barboza, em Xangai
Louise Story, em Nova York
A Mattel, a maior fabricante de brinquedos do mundo, anunciou na terça-feira (14/08) o seu segundo maior recall em um período de um mês de brinquedos feitos na China que estão contaminados com tinta que contém chumbo. Ao mesmo tempo, a empresa retirou do mercado milhões de outros brinquedos cujos ímãs pequenos e poderosos podem se soltar e ser engolidos por crianças.

Esses mais recentes recalls constituem-se em um grande embaraço para a Mattel, que deu início na terça-feira a uma campanha publicitária na tentativa de tranqüilizar os consumidores quanto à segurança dos seus produtos.

A companhia, em um comunicado divulgado na sua sede em El Segundo, na Califórnia, anunciou que está retirando do mercado 436 mil brinquedos fabricados na China - mais da metade deles comercializada nos Estados Unidos - que contêm "níveis inaceitáveis de chumbo". Os brinquedos são carrinhos moldados à imagem do personagem Sarge do filme "Carros" ("Cars", EUA, 2006).
BRINQUEDOS DA MATTEL
Consumer Product Safety Commission/The New York Times
Barbie é um dos brinquedos da Mattel que será reavaliado
Consumer Product Safety Commission/The New York Times
Boneco do Batman foi um dos brinquedos que participam do recall
RECALL NO BRASIL


A Mattel disse que o perigo apresentado pelos produtos, fabricados entre maio e julho, foi descoberto como parte de uma investigação de todos os seus fabricantes de brinquedos que teve início em julho, após a empresa ter recebido uma denúncia a respeito do uso de tinta à base de chumbo. Segundo o comunicado da Mattel, a última medida diz respeito a brinquedos fabricados por uma firma chinesa terceirizada que não é aquela que produziu os brinquedos retirados do mercado no início deste mês.

A outra medida da terça-feira, que diz respeito a um erro no projeto de 18,2 milhões de brinquedos magnéticos, metade dos quais é vendida nos Estados Unidos, aumentou a dimensão de um recall que teve início no ano passado, após a divulgação de notícias de mortes e danos à saúde em crianças que ingeriram ímãs que se soltaram dos brinquedos. A Mattel anunciou que o recall envolve 63 tipos de brinquedos, fabricados desde 2002 e comercializados antes de janeiro deste ano, incluindo 44 da linha Polly Pocket, 11 da Doggie Day Care, quatro da Batman, dois da Barbie e um da One Piece.

A declaração da Mattel a respeito do recall não especificou onde os brinquedos à base de ímãs foram fabricados, mas a Comissão de Segurança de Produtos aos Consumidores dos Estados Unidos garantiu na terça-feira que todos vieram da China.

A companhia disse que está trabalhando em conjunto com a comissão de segurança e outras agências regulatórias de todo o mundo, bem como com as lojas a fim de remover os produtos afetados das prateleiras.

"Estamos levando isto muito a sério", disse Robert A. Eckert, presidente e diretor-executivo da Mattel, em uma conferência realizada na tarde de terça-feira. "Hoje estamos nos comunicando com as pessoas, especialmente com os pais. Modificamos os nossos próprios procedimentos relativos a testes, de forma que exerceremos uma vigilância extra nesta área".

A Mattel tem a reputação de ser uma das fabricantes de brinquedo mais conscienciosas, e é conhecida por realizar inspeções sofisticadas e por contar com sistemas de testes em diversas fábricas na China, a fim de se resguardar contra produtos imperfeitos, defeituosos e contaminados.

Mas este último recall poderá alimentar as crescentes preocupações internacionais quanto à qualidade e à segurança dos produtos feitos na China.

O episódio foi precedido de uma série de outros recalls feitos por companhias neste ano envolvendo uma ampla gama de produtos, de rações de animais de estimação contaminadas a pneus defeituosos e creme dental chinês falsificado.

Jim Walter, vice-presidente de garantia de qualidade mundial da Mattel, disse em uma declaração divulgada na terça-feira que a companhia está colocando em vigor um "sistema reforçado de checagem de três pontos" para impedir o uso de tintas à base de chumbo. Ela permitirá apenas o uso de tintas de fornecedores certificados, e exigirá que cada lote do produto seja testado. A Mattel também adotará controles mais rigorosos sobre o processo de produção e realizará inspeções aleatórias. Além disso, a empresa testará cada operação de produção dos brinquedos acabados.

A companhia disse na terça-feira que 65% dos seus brinquedos são feitos na China.

No início deste mês, a Mattel retirou do mercado mais de um milhão de brinquedos de fabricação chinesa, incluindo produtos da linha Sesame Street (Vila Sésamo) e Dora the Explorer (Dora, a Aventureira), feitos pela sua unidade Fisher-Price, por estarem contaminados com níveis excessivamente elevados de tinta à base de chumbo, que, caso ingerida, pode representar riscos para a saúde das crianças.

As ações da Mattel caíram cerca de 2% nas bolsas de valores na tarde da terça-feira.

Os executivos da Mattel disseram que a iniciativa de US$ 30 milhões anunciada no início do mês inclui o custo do recall divulgado na terça-feira. Mas Eckert afirmou que os custos dos negócios da fabricante de brinquedos subirão à medida que novos testes forem integrados aos seus sistemas.

"Teremos custos associados a esse aumento dos testes e da vigilância, mas o que importa neste caso é que para nós a segurança não tem preço", afirmou Eckert.

Na terça-feira, antes do anúncio dos recalls, a Mattel inseriu anúncios de página inteira nos jornais "The New York Times", "The Wall Street Journal" e "USA Today" que exibiam uma carta de Eckert.

"Nada é mais importante do que a segurança das nossas crianças", começava a carta.

"O nosso longo histórico de segurança na Mattel é o motivo pelo qual somos um dos nomes que gozam da maior confiança junto ao pais", dizia o texto. "E tenho certeza de que as ações que estamos tomando neste momento preservarão essa confiança".

A fabricante de brinquedos anunciou que os últimos brinquedos chineses defeituosos foram produzidos pela Early Light Industrial Company, que disse ter terceirizado a operação de pintura por meio de uma outra empresa chinesa, a Hong Li Da (HLD). "Embora tenha sido exigido da empresa terceirizada para fazer a pintura que utilizasse tinta fornecida diretamente pela Early Light, a HLD, em vez disso, violou os padrões estabelecidos pela Mattel, e utilizou tinta fornecida por um fornecedor não autorizado", anunciou a Mattel.

Eckert disse ainda que a Mattel considera a Early Light Industrial tão "vítima" da firma contratada quanto a própria Mattel.

A Mattel disse que, no que se refere ao recall inicial, a Lee Der Industrial, uma fabricante que trabalha por contratos e cuja sede fica no sul da China, foi a responsável por produzir brinquedos que continham níveis excessivamente altos de tinta com chumbo.

A Mattel deixou de aceitar produtos da contratada, e na semana passada o governo chinês cassou a licença de exportação da Lee Der.

Em um novo episódio dessa história, as autoridades chinesas confirmaram que um dos proprietários da companhia aparentemente se suicidou.

O proprietário, Zhang Shuhong, aparentemente matou-se no sábado passado, por enforcamento, em um depósito da fábrica na cidade de Foshan, segundo foi noticiado pela mídia estatal chinesa.

Um porta-voz do Birô de Segurança Pública de Guangdong, no sul da China, confirmou na terça-feira que a polícia está investigando o aparente suicídio.

Xiao Bindong, um porta-voz do birô, afirmou: "Agora está confirmado que o senhor Zhang Shuhong se suicidou na tarde de 11 de agosto".

A China insiste que a grande maioria das suas exportações é segura e de alta qualidade. Várias membros da indústria internacional de brinquedos também disseram que embora os recalls sejam um fato sério, o problema relativo aos brinquedos defeituosos da China está sendo excessivamente exagerado.

"Existem cerca de 30 mil tipos diferentes de brinquedo que estão sendo vendidos simultaneamente", afirma Ian J. Anderson, o diretor para a região da Ásia-Pacífico da SGS, uma companhia de testes de produtos que trabalha junto a Mattel e outros fabricantes de brinquedos na China. "Quantos produtos foram retirados do mercado ultimamente? Alguma coisa sempre pode sair errada para qualquer um. É difícil ser perfeito em relação a tudo". UOL

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    -0,44
    3,130
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h42

    -0,72
    75.058,09
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host