UOL Notícias Internacional
 

19/08/2007

Irlanda aprende a se adaptar à explosão populacional

The New York Times
De Eamon Quinn

Em Dublin, Irlanda
Os resultados do censo de abril de 2006 na República da Irlanda, que estão sendo publicados em uma série de informes neste ano, mostraram que nos quatro anos desde o censo anterior, a população irlandesa ganhou 322.645 habitantes, divididos igualmente entre imigrantes e nascimentos. Isto elevou a população total para 4,2 milhões.

 Ross McDonnell/The New York Times 
O estatístico Aidan Punch se aperta entre a crescente documentação do censo; Irlanda ganhou mais de 300 mil habitantes em 4 anos

Nenhum país na União Européia tem uma população mais jovem: estatisticamente, os irlandeses mal envelheceram, com a idade média permanecendo próxima de 33 anos. O país permanecerá jovem por décadas, disseram os especialistas, e escapará do destino 'agrisalhado' do restante da Europa.

Além disso, os demógrafos atualmente prevêem que a população poderá aumentar para mais de 5 milhões em aproximadamente uma dúzia de anos, e para 6 milhões em uma geração. Com o crescimento da população na Irlanda do Norte, a ilha poderá atingir em 2003 sua maior população - mais de 8 milhões - desde a fome devastadora no século 19 que provocou ondas de emigração.

Ross McDonnell/The New York Times
O pastor Lawrence Effrain batiza a pequena Grace Adhiambo em uma igreja de Dublin; a imigração mudou a cara da nova Irlanda
Ross McDonnell/The New York Times
Pedestres caminham em Dublin; em nenhum dos países da União Européia a população é tão jovem quando na Irlanda
As caras da nova Irlanda
Edgar Morgenroth, um membro de uma comissão de especialistas que prevê o crescimento populacional irlandês, disse que a população poderá atingir o patamar do século 19, mas será muito diferente.

Os maiores aumentos da imigração desde 2002 vieram da Polônia, Lituânia e Nigéria. O censo mais recente mostrou que 63.276 poloneses vivem permanentemente na Irlanda, em comparação a 2.124 quatro anos antes. Em alguns pequenos distritos em Dublin, Limerick e Cork, o censo mostrou que 52% dos moradores eram não-irlandeses, disse Aidan Punch, um estatístico sênior do censo.

A Irlanda permite que todos os moradores, não apenas os cidadãos irlandeses, votem nas eleições locais. Isto ajudou os imigrantes a conquistarem cadeiras nos conselhos locais. O prefeito da cidade de Portlaoise, Rotimi Adebari, é da Nigéria.

Para encorajar a assimilação, o governo nomeou recentemente um ministro da Integração, Conor Lenihan. O departamento foi organizado, disse Lenihan em uma entrevista, para mostrar o compromisso da Irlanda em compartilhar e desenvolver sua nova riqueza com os recém-chegados.

"Nós escolhemos um meio termo entre os Estados Unidos e a Europa em termos de nosso sucesso econômico", ele disse. "Eu acho que podemos escolher também um meio termo na integração."

Lenihan disse que seu departamento investigará formas de fornecer amplo ensino da língua para os imigrantes adultos e aumentar o treinamento de trabalhadores locais irlandeses não qualificados.

Mas os representantes dos imigrantes dizem que o governo precisa fazer mais.

"O pior é que nos vemos sem o crescimento de nossos serviços para atender os números", disse Morgenroth. A República da Irlanda é o país pequeno que se repovoa mais rapidamente no mundo George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host