UOL Notícias Internacional
 

28/08/2007

Macau prepara seus hotéis para desafiar Las Vegas

The New York Times
Keith Bradsher
Em Macau
Os dias de Las Vegas como capital do excesso podem estar contados.

O Venetian Macau Resort, de US$ 2,4 bilhões (cerca de R$ 4,8 bilhões), cuja inauguração está marcada para esta terça-feira (28/9), dará à Cidade do Pecado mais do que um simples concorrente. O Venetian tem mais área construída do que quatro prédios do Empire State. Os caça-níqueis do hotel, as mesas de bacará e outros jogos de azar espalham-se por um cassino com três vezes o tamanho do maior cassino de Las Vegas. A arena esportiva com 15.000 cadeiras quase supera o Madison Square Garden; o centro de convenções tem um salão de banquetes com 6.000 assentos. O shopping de luxo tem gondoleiros que cantam em três canais; o Venetian de Las Vegas só tem um.

O que é ainda mais surpreendente sobre o projeto de 3.000 suítes é que é meramente o primeiro de 14 hotéis interconectados que estão sendo construídos aqui pela Las Vegas Sands Corp. Quando terminado, o complexo incluirá um St. Regis, um Shangri-la, um Raffles, um Conrad, um Intercontinental e um Sheraton, com seus próprios cassinos, bares e restaurantes. Além disso, o projeto, que custará entre US$ 10 e US$ 12 bilhões (entre R$ 20 bilhões e R$ 22 bilhões), é apenas o primeiro de uma série de complexos gigantes para jogos sendo construída aqui em Macau, na ponta sudoeste do rio das Pérolas.

Timothy O'Rourke/The New York Times 
O Venetian Macao Resort ocupa área equivalente a mais de quatro prédios do Empire State

A China já ultrapassou os EUA na manufatura de tudo, desde aço e cimento até aparelhos de DVD e fornos de microondas. Agora, a China está a caminho de se estabelecer como líder global em uma indústria de serviço: o jogo.

Por quê? Dinheiro, naturalmente. Quando o primeiro cassino operado por americanos aqui, o Sands Macau, abriu suas portas, há três anos, os lucros no primeiro ano excederam o custo total do projeto, de acordo com a empresa e com analistas da indústria. Graças à paixão nacional pelo jogo na China, onde é ilegal, Macau ultrapassou Las Vegas no ano passado no total de dinheiro apostado.

Alguns especialistas, entretanto, acreditam que, apesar de a indústria de jogo continuar crescendo fortemente por aqui, talvez não se expanda tão rapidamente quanto a oferta, com os novos cassinos e hotéis a ser inaugurados, resultando em margens de lucro mais estreitas para as grandes operadoras americanas vindo para Macau e também para as empresas nacionais.

"A margem terá que cair", particularmente para cassinos mais velhos, diz Gavin Ho, analista de jogo do Clsa, banco de investimento da Ásia. "Acho que alguns dos piores serão tirados do ramo".

Atualmente, Macau parece Atlantic City, ou seja, atrai na maior parte residentes de cidades próximas, em nada glamourosos. O Venetian representa a maior aposta do território para se transformar em uma atração como Las Vegas, com clientes de toda a Ásia e do mundo.

Haverá, contudo, altos apostadores suficientes para todos? Macau atualmente tem 4.800 quartos em hotéis de cinco estrelas e 4.000 em hotéis de quatro estrelas. Só o projeto Sands acrescentará 2.500 quartos de cinco estrelas e 17.500 em hotéis de quatro estrelas, incluindo o Venetian. A Wynn Resorts abriu um cassino e um hotel aqui no final do ano passado, e a MGM Mirage vai abrir um hotel de cinco estrelas com 600 quartos no final deste ano.

Até Portugal devolver Macau ao governo chinês, em 1999, a ilha era famosa pela violência, gangues, prostituição, casas de penhor e jogatina. Para mudar isso, Pequim quebrou o monopólio da Sociedade de Jogos de Macau, controlada por Stanley Ho, bilionário de Hong Kong e proprietário de grandes terras e outros investimentos em Macau.

O jogador médio de Macau, entretanto, ainda é uma pessoa que faz uma viagem de um dia de Hong Kong ou de cidades chinesas próximas ao delta do rio das Pérolas. Esses visitantes são tão frugais que, freqüentemente, trazem sua própria comida e não alugam quartos de hotel. Eles passam apenas 1,26 dia em média no território - e mesmo essa média é inflada por muitos residentes de Hong Kong que trabalham em Macau de segunda a sexta-feira e voltam para casa nos finais de semana.

Por contraste, o visitante médio de Las Vegas fica na cidade 3,4 dias.

"Se você olhar para Macau, não há virtualmente nenhuma renda de fontes diferentes dos jogos", enquanto a renda externa aos jogos excede o arrecadado com os jogos em Las Vegas, disse William P. Weidner, presidente e operador da Las Vegas Sands.

Houve alguns sucessos na expansão das atrações de Macau. Os ingressos para um jogo de tênis na arena do Venetian, entre Pete Sampras e Roger Federer, esgotaram-se em menos de um dia; em breve irão à venda ingressos para dois jogos das equipes da Associação Nacional de Basquete.

O Venetian está oferecendo a tarifa básica de US$ 140 (em torno de R$ 280) por noite para uma suíte de 60 metros quadrados. Além disso, está fazendo forte propaganda para convencer os moradores de Hong Kong que Macau está mudando. "Eles ainda vêem Macau como um local de jogatina e pecado", disse Billy Ng, analista de jogos asiático da JPMorgan.

Na tarde de quarta-feira, o Hotel Lisboa de Ho, que está ficando velho, e os cassinos próximos Wynn e Sands Macau estavam atraindo multidões significativas - apesar de cada um parecer ter seu nicho. Chineses mais jovens pareciam gravitar para o Sands. No Wynn, onde cada suíte inclui uma sala de massagens privada, chineses de meia idade ocupavam a maior parte das mesas, junto com meia dúzia de ocidentais. No Hotel Lisboa, homens mais velhos pareciam predominar, com poucas jovens em mini-saias extremamente pequenas e saltos muito altos.

Gavin Ho disse que talvez a SJM tenha que fechar alguns de seus cassinos mais velhos, mas o Hotel Lisboa provavelmente sobreviveria porque é conhecido. A SJM também está comprando novos cassinos. Funcionários da SJM não retornaram ligações para comentários.

A MGM Mirage levantou mais de US$ 5 bilhões (cerca de R$ 10 bilhões) na semana passada vendendo uma participação de 9,5% no Dubai World junto com metade de um projeto em Las Vegas, em uma transação considerada uma tentativa para reforçar o balanço da MGM em uma época de instabilidade nos mercados financeiros.

Weidner disse que o Las Vegas Sands tinha muito crédito disponível e não tinha sido afetado pelos problemas nos mercados de crédito.

Atrair estrangeiros pode se tornar mais importante porque as autoridades em Pequim periodicamente reforçam as exigências para emitir vistos de saída para moradores do continente. Uma recente restrição na emissão de vistos para a província adjacente de Guangdong diminuiu o crescimento anual em visitantes da província para 11% em julho, apesar do crescimento total de visitantes em Macau ainda estar acima de 20%, por causa do forte interesse de Hong Kong e do sudeste asiático.

O sucesso a longo prazo da indústria de jogos, entretanto, vai depender da capacidade do governo de melhorar o ambiente desordenado da cidade.

O Las Vegas Sands vem trabalhando de perto com a polícia para evitar uma repetição do fiasco da abertura do Sands Macau. Atraída por reportagens falsas de jornais de que seriam distribuídas fichas de US$ 25 gratuitas para os primeiros jogadores, uma multidão de 20.000 pessoas, segundo a polícia, derrubou barreiras e portas em uma corrida para entrar; ninguém se feriu seriamente.

Há quatro meses, um policial que enfrentava manifestantes pegou sua pistola e atirou cinco vezes para o alto, para atrair a atenção da multidão. Ele quase atingiu espectadores que estavam assistindo de uma passarela acima, e uma bala do mesmo calibre que a sua feriu gravemente um homem que estava andando de moto há quarteirões de distância.
Koc Soi Leng, inspetora do Departamento de Polícia de Macau, disse que a polícia vinha trabalhando de perto com o Venetian para organizar a inauguração de terça-feira. "A situação naquele dia será monitorada cuidadosamente e policiais de reserva serão chamados se necessário", disse ela.

Ron Reese, porta-voz do Venetian, disse que o tamanho do hotel e suas enormes entradas e saídas evitariam problemas.

Efetuando uma série de prisões na última década, a polícia teve mais sucesso em reprimir a violência que costumava ser crônica entre as gangues locais, chamadas de tríades. Os homicídios eram tão comuns no final dos ano 90 que um policial antigo tentou acalmar os visitantes dizendo que a polícia tinha "assassinos profissionais que não erram seus alvos".

Brad Stone, vice-presidente executivo da empresa, disse que o Venetian Macau contava com um esquema de segurança similar aos dos cassinos de Las Vegas, incluindo detectores de metais nas entradas.

Os problemas do governo são piores. A administração de Macau lentamente expandiu os postos de imigração para acompanhar a torrente de visitantes. Os cassinos do território são mais procurados nos finais de semana, mas, mesmo no horário de almoço na quarta-feira, havia uma espera de 35 minutos em meia dúzia de filas para carimbar o passaporte no principal terminal de balsas chegando de Hong Kong e do continente.

O Venetian Macau está comprando suas próprias balsas para um segundo terminal que está sendo construído, com mais filas para a verificação de passaportes.

"Como no mundo você não cria mais filas para deixar as pessoas passarem?", disse Weidner. "Como empresário, fico coçando a cabeça". Deborah Weinberg

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host