UOL Notícias Internacional
 

22/12/2007

Na base do desejo ou oração, cresce o negócio de velas nos EUA

The New York Times
Kate Murphy
Os latinos há muito as acendem para entes queridos ou em busca de sorte. Mas as velas votivas são cada vez mais acendidas por qualquer um com um desejo ou uma oração, e como resultado, elas se transformaram em um nicho crescente e lucrativo no mercado de velas de US$ 2 bilhões nos Estados Unidos.

"O motivo para estas velas não pararem nas prateleiras é porque elas têm um trabalho a fazer", disse Neil Foley, professor de história e cultura latina da Universidade do Texas, em Austin. "Se você encontra maconha na gaveta de sua filha, se uma dívida precisa ser paga, se seu filho é preso, você acende uma vela para seu santo favorito para que ele lhe ajude."

As velas votivas não apenas iluminam os altares e oratórios domésticos, mas também se tornam parte integral dos memoriais improvisados para crianças desaparecidas, vítimas de crimes violentos e soldados mortos no Iraque.

Michael Stravato/The New York Times 
Mary Flood Nugent e suas filhas Ann (esq.) e Dorothy acendem uma vela votiva em sua casa em Houston

Particularmente durante momentos de incerteza econômica, disse Foley, "pessoas desesperadas, sejam latinas, anglo-saxões, afro-americanas, católicas, pentecostais, budistas ou judias, acendem velas porque não fazem mal e, quem sabe, podem ajudar".

As velas -também conhecidas como novena ou sete dias- queimam o ano todo em muitos lares, mas são particularmente populares perto das Festas. Seus fabricantes dizem que as vendas estão aumentando anualmente entre 15% e 20% desde 2002.

Mary Flood Nugent, mãe de seis filhos e uma ativista comunitária em Houston, conta com várias velas votivas acesas em sua lareira, com imagens de São Judas ou do Sagrado Coração impressas em seus copos de vidro. "Eu tenho uma bela vela rosada acesa no momento para minha amiga que está iniciando um tratamento para câncer de mama", disse Nugent.

Há apenas um punhado de fabricantes de velas votivas, incluindo a Reed Candle Company, em San Antonio; Bright Glow, em Pomona, Califórnia; a Continental Candle Company, em Compton, Califórnia; e a Indio Products, de Rancho Dominguez, Califórnia, que atendem o que estimam ser um mercado de US$ 100 milhões a US$ 300 milhões.

Empresas na maioria latinas e de propriedade familiar, muitas informaram ter rejeitado recentes ofertas de aquisição de investidores de fora. "Sou procurada toda semana a respeito de venda da empresa", disse Sister Schodts Reed, presidente e executiva-chefe da Reed Candle Company. A empresa, fundada por seu padrasto em 1937, declarou US$ 24 milhões em vendas no ano passado.

A origem das velas votivas é motivo de algumas disputas. Reed disse que seu padrasto, Peter Doan Reed, foi o inventor, ao ter a idéia de encher um vidro de 21,6 centímetros de altura com cera suficiente para queimar sete dias e com imagens de santos impressas nos copos. "As velas seriam uma extensão das orações das pessoas" e queimariam mais tempo do que as velas votivas menores, ela disse.

Mas outros dizem que o crédito é de um monge anônimo na Alemanha, ou dizem que as velas votivas evoluíram de garrafas de leite cheias de cera.

A mais nova empresa no mercado, a Saint Jude Candle Company, em Houston, foi financiada por um grupo de investidores privados e começou a produzir em março. "Nós o vemos como um setor mal-atendido e com tremendo potencial de crescimento", disse William A. Grimsley, o presidente da empresa e diretor financeiro chefe. Ele ajudou a abrir ou recuperar várias empresas, entre elas a Arena Brands, que produz as botas Lucchese e os chapéus Stetson.

A Saint Jude já tomou uma fatia de mercado de suas concorrentes, ele disse, ao assinar vários acordos com mercados regionais como o HEB e distribuidoras como a Associated Wholesale Grocers.

Velas votivas com imagens de santos ou alegando trazer amor, sorte ou dinheiro são distribuídas basicamente por mercearias e lojas de desconto como Wal-Mart e Dollar Stores. Elas também são vendidas em muitas lojas de artigos religiosos de propriedade privada assim como de produtos naturais, que vendem ervas e pomadas assim como velas.

"Grande parte de nosso movimento envolve velas", disse Donna Escamilla, gerente da Stanley Drugs, uma antiga farmácia e agora uma movimentada loja de produtos naturais em Houston que freqüentemente conta com filas saindo pela porta. "As mais populares são as velas para o amor, para causar separação ou para proteção contra seus inimigos."

As lojas de produtos naturais freqüentemente revestem as velas votivas com óleos e ervas especiais para potência adicional. O preço de tais velas varia de US$ 12 a US$ 25, muito mais caras que as velas encontradas nas prateleiras dos mercados, que custam entre US$ 1 e US$ 5, dependendo da sofisticação das imagens, se são aromáticas, quanta cera contêm e conseqüentemente por quanto tempo queimarão.

"Nós nos concentramos nas lojas de produtos naturais e religiosas porque as margens de lucro são bem maiores", disse Martin Mayer, presidente da Indio Products, que disse que suas vendas nacionais no ano passado totalizaram US$ 12 milhões. Uma das velas mais vendidas da empresa é uma com a imagem de Jesus Malverde, um herói folclórico mexicano conhecido como santo do narcotráfico e que supostamente protege os narcotraficantes.

Apesar das margens serem menores para as velas vendidas em mercados e mercearias, as outras grandes fabricantes de velas votivas dizem que ainda representam um negócio lucrativo. Apesar de nenhuma revelar seus lucros, elas dizem que estão se saindo muito bem apesar da alta do preço da cera, que é feita de petróleo.

"As velas religiosas são a categoria Nº 1, vendendo mais que todas as outras que oferecemos", disse Kirk Zehnder, um porta-voz da Mercado Latino, uma distribuidora de itens latinos para mercados como Wal-Mart e Albertsons. Para atender a demanda, a Mercado Latino adquiriu a Continental Candle em 1991 e a transformou de uma fornecedora em dificuldades de velas para restaurantes em uma fabricante de velas votivas, com vendas anuais superando US$ 20 milhões.

As pessoas que compram velas votivas tendem a comprá-las tão rotineiramente quanto leite e papel higiênico. "São itens básicos", disse Reed da Reed Candle. De acordo com o conceito de chama eterna e com a tradição cultural latina, muitas pessoas não permitem que as velas em seus altares domésticos se apaguem antes de acenderem uma substituta, disse Foley da Universidade do Texas. E como a maioria dos altares contam com várias velas acesas que precisam ser substituídas a cada cinco ou sete dias, disse Zehnder, "basta fazer a conta; é um bocado de velas". George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host