UOL Notícias Internacional
 

25/06/2008

Brasil apreende gado para proteger floresta tropical

The New York Times
Andrew Downie

Em São Paulo
Em uma ação sem precedente contra os criadores de gado que operam de forma ilícita na Amazônia, o governo brasileiro apreendeu gado que pastava lá ilegalmente, anunciou o novo ministro do Meio Ambiente na terça-feira.

As autoridades removeram 3.100 cabeças de gado que disseram estar sendo criadas em uma reserva ecológica no Estado do Pará, em uma operação que visava servir de alerta a outros criadores de gado, que contam com cerca de 60 mil cabeças em terras desmatadas ilegalmente na Amazônia, disse o ministro do Meio-Ambiente, Carlos Minc.

"Acabou a moleza", Minc disse aos repórteres em Brasília. "E quem não respeitar, seu gado vai virar churrasquinho ecológico pro Fome Zero", disse, se referindo ao programa de alimentos para os pobres.

Minc disse que o gado será leiloado em três semanas e o dinheiro arrecadado irá para o Fome Zero, assim como para programas de saúde para os povos indígenas e para financiar as operações de remoção de gado.

Apesar de Minc ter anunciado a estratégia na terça-feira, a apreensão ocorreu em 7 de junho pela polícia federal e agentes do Ibama, o órgão de meio ambiente do governo. O proprietário do gado foi multado em R$ 3 milhões em 2005 por desmatamento ilegal e ignorou a ordem judicial para remoção do gado.

O temor com o futuro da maior floresta tropical do mundo está crescendo. Apesar dos números anuais de desmatamento terem caído ao ponto mais baixo em 16 anos, 11.224 quilômetros quadrados em 2007 -em comparação a 27.400 quilômetros quadrados em 2004- os órgãos do governo informaram neste ano que o desmatamento estava aumentando de novo, e os criadores de gado eram culpados por grande parte do aumento.

Um recente relatório do grupo ambiental Amigos da Terra disse que o crescente domínio do Brasil no mercado mundial de carne bovina se devia em grande parte à sua expansão na Amazônia, onde a terra é barata.

O Brasil superou a Austrália e os Estados Unidos para se tornar o maior exportador de carne bovina em 2004, e tem mais de 200 milhões de cabeças de gado. O relatório disse que um terço das exportações de carne bovina fresca do Brasil no ano passado veio da Amazônia, e três entre quatro cabeças de gado adicionadas ao rebanho brasileiro desde 2002 foram adicionadas na região.

Minc disse que graças a operações como a anunciada na terça-feira, os criadores com gado em áreas protegidas ou sob embargo, como reservas indígenas e reservas florestais, estão começando a remover seus rebanhos por temerem ter seus animais apreendidos. Ele também anunciou que o Ibama deu início aos procedimentos legais para apreender outras 10 mil cabeças de gado que estão pastando em terra desmatada ilegalmente no Estado de Rondônia.

Defensores do meio ambiente aplaudiram a medida, mas alertaram que deve ser a primeira de muitas caso o Brasil queira ter alguma chance de conter seriamente o desmatamento.

"Esta pode ser uma boa forma de pelo menos mostrar que o governo está preocupado com a contribuição dos criadores de gado ao problema do desmatamento", disse Peter May, diretor associado da Amigos da Terra -Brasil. "É uma estratégia importante, mas se fizerem apenas uma vez e nunca mais fizerem de novo, será visto como um evento para a mídia." George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h29

    0,94
    3,288
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h32

    -1,87
    61.470,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host