UOL Notícias Internacional
 

23/07/2008

Cidades americanas são alvo de ladrões de tampas de bueiros

The New York Times
Ian Urbina
Em Filadélfia
Francis McConnell é supervisor do Departamento de Água da Filadélfia, mas ultimamente ele tem atuado mais como policial disfarçado.

Durante várias horas por dia, cinco dias por semana, ele observa estabelecimentos de comércio de sucata. Fingindo que lê um jornal, McConnell senta-se perto da entrada desses estabelecimentos e anota descrições das caminhonetes e dos homens sem camisa que empurram carrinhos de supermercado.

Jessica Kourkounis/The New York Times 
John Mock trava a tampa do bueiro por dentro para impedir roubos

A missão dele é descobrir quem está roubando as tampas de bueiros e galerias pluviais, que são produtos cada vez mais valiosos no mercado de sucata. Mais de 2.500 tampas e ralos desapareceram nos últimos 12 meses.

A média anterior era de cerca de cem tampas roubadas por ano.

Os ladrões agiram com tamanha intensidade em alguns bairros nas zonas norte e sudeste da cidade que alguns quarteirões ficaram parecendo pistas de esqui, cheios de cones alaranjados que alertam motoristas e pedestres para os grandes buracos, alguns com até dez metros de profundidade.

Nos últimos meses dois adolescentes se feriram após caírem em bueiros destapados, os motoristas e ciclistas estão cada vez mais preocupados com a possibilidade de danificar os pneus, e a cidade está gastando centenas de milhares de dólares - US$ 300 mil, segundo a última conta - para substituir as tampas roubadas.

"Costumava-se dizer que as ruas daqui engoliam as pessoas, mas isto era uma referência às drogas e às armas", diz Keith Thomas, 32, levantando um radiador que encontrou sobre uma balança em um ferro-velho de uma região conhecida pelo tráfico de droga no bairro de Kensington, na zona norte da cidade.

Os funcionários da prefeitura parafusaram as tampas com parafusos hexagonais, mas os ladrões responderam com chaves Allen para desaparafusá-los.

A prefeitura pressionou os vendedores de ferro-velho para que estes recusem materiais identificados como patrimônio municipal. Mas os ladrões adaptaram-se novamente, usando maçaricos para retirar ou derreter os emblemas da prefeitura.

Uma coisa ajudou. Fred Feoli, um funcionário do Departamento de Água, encontrou uma maneira de trancar as tampas por dentro. Mas, até o momento, somente 300 das mais de 70 mil tampas de bueiro da cidade foram trancadas dessa forma.

Assim, por ora McConnell continua fazendo vigilância nos ferros-velhos.

"Estou aqui porque a polícia de verdade está muito ocupada com ocorrências graves como tiroteios e assassinatos", explica McConnell, levantando a cabeça para ver o que está dentro de uma van que entra no ferro-velho.

Os ladrões conseguem obter de US$ 5 a US$ 10 por cada tampa de ferro de galeria pluvial. Estas tampas pesam cerca de 18 quilos e cobrem as bocas das galerias na lateral das calçadas. As tampas de bueiro que ficam no meio da ruas pesam o dobro ou o triplo, e valem consideravelmente mais.

O problema também atinge outras cidades norte-americanas.

Phoenix, no Arizona, perdeu mais de 160 tampas de bueiros e galerias pluviais neste ano. No ano passado apenas dez tampas foram roubadas.

Mais de 80 tampas de bueiros e galerias pluviais foram roubadas neste ano em Long Beach, na Califórnia, e pelo menos dois proprietários de veículos que caíram nos buracos destapados processaram a prefeitura.

Desde o ano passado, este tipo de roubo mais do que dobrou, comparado aos anos anteriores, em Cleveland, Memphis, Miami e Milwaukee, embora em Nova York não tenha sido registrado tal aumento.

"Também tivemos a nossa parcela de cobre roubado", diz Michael S. Clendenin, porta-voz da companhia de energia elétrica Con Edison, em Nova York. "Mas os nova-iorquinos estão em alerta, e uma pessoa que passasse por Times Square com uma tampa de bueiro debaixo do braço despertaria bastante suspeitas. Além disso, as tampas de bueiros de Nova York pesam 136 quilogramas".

Na maioria das cidades, o aumento dos roubos começou na primavera do ano passado, à medida que o preço do aço e do ferro disparava devido à demanda da China e da Índia por metais reciclados. Os ladrões têm levado qualquer objeto de metal - esquadrias de portas, canos e fios de cobre - no qual consigam colocar as mãos.

As autoridades municipais de Long Beach estão cogitando usar tampas de plástico, e as de Miami passaram a soldar as tampas nas aberturas. Em Cleveland a prefeitura está selando os bueiros com piche e as autoridades de Phoenix criaram uma equipe de quatro detetives para investigar os roubos.

Várias companhias de água começaram a oferecer recompensas em dinheiro para quem denunciar tentativas de roubo, e o Instituto da Indústria de Reciclagem de Sucata, a maior organização comercial do setor, passou a enviar alertas aos vendedores de ferro-velho todas as vezes que a polícia informa a associação a respeito de um roubo.

Os parlamentares estaduais também estão agindo. Neste ano pelo menos 28 Estados apresentaram projetos para aumentar as penas por roubo de metais ou exigir que os recicladores de metal colham as impressões digitais dos seus clientes e mantenham registros melhores das transações que efetuam.

Desses projetos, 16 tornaram-se leis.

Conrad Stipp, gerente do Coach II Car, um ferro-velho em uma região arenosa do norte de Filadélfia, diz que a culpa não é dos ferros-velhos.

"As pessoas que estão roubando a cidade também estão me roubando", diz ele, apontando para um buraco no teto do seu escritório.

Stipp conta que há duas semanas ladrões abriram um buraco de 1,5 metro de diâmetro no telhado do seu prédio e roubaram todo o cobre que ele possuía, incluindo os canos do banheiro. "Você acha que eu quero atrair esses tipos, aceitando objetos roubados do município?", questiona ele.

Do outro lado da rua, McConnell balança a cabeça ao recordar como deparou-se com dois homens com um carrinho de supermercado cheio de tampas de bueiros entrando no ferro-velho há duas semanas.

Ao serem abordados, os homens disseram ter encontrado as tampas abandonadas a vários quarteirões dali, e já dentro do carrinho.

McConnel diz que o seu departamento faz denúncias à polícia quando alguém vê tampas de bueiros sendo compradas ou vendidas. Até o momento a policia efetuou três prisões.

Ao ouvir a descrição da vigilância feita pelo Departamento de Água e das recentes prisões, John Sargeant, que coleta sucata no norte de Filadélfia, ri.

Ele aponta para um ferro-velho e diz: "Esses caras são capazes de comprar um carro de polícia e derretê-lo. É que atualmente o preço do metal está muito bom". UOL

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h20

    -0,14
    3,143
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    0,64
    65.099,56
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host