UOL Notícias Internacional
 

27/08/2008

Batida da imigração prende centenas de operários de fábrica

The New York Times
Adam Nossiter
Em Laurel, Mississippi
Em outra ação em grande escala em locais de trabalho pela imigração, autoridades federais realizaram uma batida em uma fábrica daqui na segunda-feira(25), detendo pelo menos 350 operários que elas disseram estar no país ilegalmente.

Vários agentes do Serviço de Imigração e Alfândega (ICE, na sigla em inglês) foram à fábrica pertencente à Howard Industries Inc., que fabrica transformadores elétricos entre outros produtos.

Até o final da tarde de segunda-feira, não tinha ocorrido nenhum indiciamento criminal, disse Barbara Gonzalez uma porta-voz do ICE, mas ela disse que dezenas de operários foram "identificados, tiveram suas impressões digitais colhidas, fotografados e processados para deportação dos Estados Unidos".

A batida ocorre após uma operação semelhante realizada em maio em uma fábrica de processamento de carne em Potsville, Iowa, quando quase 400 trabalhadores foram detidos. A ação representou uma escalada significativa por parte do governo Bush, porque os detidos não foram simplesmente deportados, como em batidas anteriores, mas ficaram aprisionados por meses sob acusação criminal de uso de documentos falsos.

Essas audiências em massa ocorreram em um tribunal temporário no terreno do Congresso Nacional do Gado, em Waterloo, Iowa. Um intérprete criticou seriamente o procedimento, dizendo que os imigrantes não entendiam as acusações apresentadas contra eles.

Um grupo de direitos dos imigrantes em Jackson, a capital do Estado do Mississippi, criticou a batida de segunda-feira, dizendo que famílias com crianças estavam envolvidas.

"É horrível o que o ICE está fazendo a estas famílias e estas comunidades", disse Shuya Ohno, um porta-voz da Aliança dos Direitos dos Imigrantes do Mississippi. "É difícil imaginar que estes sejam os Estados Unidos da América."

Em Laurel, na tarde de segunda-feira, várias dezenas de parentes de imigrantes esperavam por notícias de seus entes queridos na Igreja Católica da Imaculada Conceição. Havia várias crianças pequenas. Um padre da igreja, que se identificou apenas como Sergio, se recusou a permitir entrevistas com as famílias ou responder quaisquer questões, dizendo apenas: "As pessoas estão com medo. Nós precisamos acalmá-las. Há mães e crianças envolvidas".

As entradas para a vasta fábrica da Howard Industries, em um área industrial no sul da cidade, foram bloqueadas pelos agentes do ICE. Um restaurante de fast food próximo estava cheio de agentes de camisa azul, com um deles dizendo que apenas uma "pequena inspeção" estava em andamento na fábrica.

Uma mulher que entrava na igreja com quatro crianças pequenas disse que vários dos pais dos pequenos foram detidos. A mulher, Mary Troyer, disse que era tradutora para muitas das famílias. "Eu não gosto disso", disse Troyer. "Eu não entendo. Eles vieram aqui para trabalhar. É muito triste."

A porta-voz do ICE, Gonzalez, disse que os trabalhadores seriam levados para um centro de detenção do ICE para "aguardar o resultado de seus casos". Ela disse que 50 seriam "devolvidos à comunidade" em vez de enviados ao centro, por "motivos humanitários", incluindo dificuldades médicas ou a necessidade de cuidar dos filhos.

Ela disse que nenhum advogado esteve presente enquanto os trabalhadores eram interrogados. "Todos terão o devido processo segundo a lei", disse Gonzalez.

No final da tarde de segunda-feira, trabalhadores com expressão séria, alguns deles algemados, foram colocados em fila perto de ônibus brancos e prateados sob a chuva.

Em uma declaração emitida após a batida, a Howard Industries, uma das maiores empregadoras da região, reconheceu que foi "visitada" por agentes da imigração, que tentavam determinar se seus funcionários eram cidadãos ou estavam legalmente autorizados a trabalhar no país.

"A Howard Industries realiza toda a checagem permitida para assegurar o status de imigração de todos os que candidatos a empregos", disse a declaração. "É a política da empresa contratar apenas cidadãos americanos e imigrantes legais."

Bill Chandler, diretor executivo do grupo de direitos dos imigrantes do Mississippi, chamou a batida em Laurel de uma violação dos direitos humanos.

"Nós estamos muito perturbados com o que aconteceu", disse Chandler. "É uma verdadeira contradição entre nossos valores proclamados no Mississippi de trabalho árduo e família e as ações das autoridades locais e do ICE. Eu acho que é uma verdadeira afronta aos nossos valores. Eles estão criando seu próprio terrorismo ao caçar os trabalhadores."

Após a batida em Iowa, o intérprete federal disse que muitos dos imigrantes não entenderam as acusações das quais se declararam culpados. Mas as autoridades federais disseram que os juízes nos casos acreditavam que as declarações de culpado foram feitas de forma livre e voluntária. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h59

    -0,57
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h06

    -0,45
    75.261,83
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host