UOL Notícias Internacional
 

27/11/2008

Em tempos magros, cupons de desconto online estão em alta

The New York Times
Claire Cain Miller
Em San Francisco
Na Internet, nada corre mais rápido do que uma dica sobre como obter uma oferta. Especialmente durante uma recessão econômica.

Com as vendas no varejo online em queda neste mês pela primeira vez, os comerciantes pela Internet estão oferecendo grandes descontos para qualquer um disposto a inserir um código secreto de cupom ou visitar um site de desconto para uma "indicação" antes de encher sua cesta de compras virtual.

Os compradores obcecados em encontrar essas pechinchas compartilham a mais recente informação em dezenas de sites com nomes curiosos como RetailMeNot.com, FatWallet.com e o Budget Fashionista. E mais consumidores do que nunca estão pesquisando preços antes de comprar em seu site favorito.

Alguns compradores online são tão bons neste jogo que quase nunca compram algo pelo preço integral, os transformando nos caçadores de ofertas da era digital, que costumavam passar horas reunindo cupons para reduzir sua conta no mercado.

Tavon Ferguson, uma estudante de pós-graduação de 25 anos em Atlanta, ficou obcecada por encontrar ofertas online no início do ano, enquanto planejava seu casamento em julho. Ela revirou a Internet em busca de cupons e conseguiu pré-convites gratuitos, braceletes de US$ 8 para suas damas de honra e frete grátis para os filés congelados para o jantar de ensaio.

"Eu consegui fazer meu casamento a um preço que ninguém imaginaria" -US$ 6 mil, com tudo incluso- "porque tudo, dos convites ao álbum de fotos, eu obtive a preços ridiculamente baixos com códigos de cupons online", disse Ferguson.

Seus sites favoritos incluem o RetailMeNot.com, que possui uma das listas mais abrangentes; o CouponMom.com, que inclui cupons para lojas físicas; e o CouponCode.com, que é organizado por categorias.

Ferguson pode ser mais fanática do que a maioria das pessoas, mas navegar à procura de cupons online está crescendo em popularidade. Em outubro, 27 milhões de pessoas visitaram algum site de cupom, segundo a comScore Media Metrix, um aumento de 33% em comparação ao ano anterior.

"Os cupons nunca foram um grande fator online da mesma forma que são offline. Isso é algo novo", disse Gian Fulgoni, presidente da comScore. "Ele tira o poder de estabelecer preço dos comerciantes e dá aos consumidores, porque o consumidor está totalmente ciente de quais são os preços." Os varejistas têm sentimentos ambíguos a respeito dessa mudança.

Geralmente, as empresas preferem descontos limitados, enviados por e-mail para um grupo seleto de clientes ou enviados dentro de pacotes com uma compra. Quando os cupons ganham maior exposição, os varejistas perdem o controle, potencialmente lhes custando mais dinheiro do que esperavam.

Há dois anos, o Sierra Trading Post, um site que vende roupa e equipamento para atividades ao ar livre, enviou um código de cupom junto com 1.000 de seus 50 milhões de catálogos, esperando gerar US$ 2 mil em vendas. Em vez disso, ele levou a US$ 300 mil em vendas, depois que um cliente o postou online.

"Nós certamente apreciamos as vendas, mas as vendas com o código apresentavam uma margem muito baixa", disse David Giacomini, diretor das operações de catálogo da empresa. A Sierra Trading agora envia alguns cupons diretamente para os sites e limita os códigos de catálogo a três usos.

Alguns varejistas tentam combater os sites de cupons. Harry & David, um comércio de cestas de frutas, ameaçou impetrar uma ação legal contra o RetailMeNot.com neste ano após publicar seus descontos, o que levou o site de cupons a encaminhar os visitantes a outras empresas de cestas de presentes. William Ihle, um porta-voz da Harry & David, disse que todas as suas ofertas estavam disponíveis em seu próprio site e que o site de cupons "dissimuladamente enganava o consumidor" postando descontos não verificados e com prazo expirado.

Outros varejistas usam os sites de cupom como ferramentas de marketing. Por exemplo, quando Scott Kluth fundou o CouponCabin em 2003, ele contava com descontos de apenas 180 lojas, e muitas delas não gostavam disso. Hoje, 1.300 empresas, incluindo Dell, Target, Home Depot e Victoria's Secret, enviam para ele códigos de desconto - totalizando cerca de mil por semana.

"Elas perceberam o poder de um cupom, principalmente nesta economia, e estão totalmente nos abraçando", disse Kluth.

A maioria dos sites lista códigos de cupom submetidos por leitores e varejistas. Os compradores podem comentar se o cupom funcionou e compartilhar dicas em fóruns de usuários. Alguns sites enviam listas de cupons por e-mail para os assinantes. O RetailMeNot.com vai mais longe, com um add-on para o browser Firefox que alerta os usuários quando um site de comércio eletrônico que estão visitando tem um desconto.

Muitos dos sites de cupons são dirigidos por empreendedores de Internet que vêem uma oportunidade de negócio em reunir os códigos de desconto online em um site. Eles ganham uma comissão do varejista quando um cliente faz uma compra. Sites como FatWallet.com e Ebates oferecem aos compradores dinheiro de volta nas compras caso façam o login e então cliquem para o site do varejista.

Mas outros sites agregadores de descontos foram iniciados por compradores passionais ávidos em compartilhar sua sabedoria de caça a ofertas. Kathryn Finney iniciou o Budget Fashionista em 2003, quando concluiu o curso de doutorado e se viu falida e interessada por ofertas. Agora "está no meu sangue", ela disse. "Eu não consigo fisicamente pagar o preço integral."

O site de Finney visava originalmente amigos e parentes, mas ele rapidamente desenvolveu um público que saltou 60% desde agosto, para 550 mil visitantes por mês. "Nós estamos obtendo um nível completamente novo de fãs, que talvez não eram caçadores de ofertas no ano passado", disse Finney. Seu site agora ganha dinheiro por meio de publicidade e comissão de recomendação.

Entre suas dicas para caçar cupons: faça uma busca do nome de uma loja online e da palavra "cupom" e compare as promoções, porque sites maiores freqüentemente podem negociar melhores ofertas; se você encontrar um cupom para uma loja offline, entre em contato com o site e peça para igualar o preço; e insista no frete grátis, mesmo que signifique chamar o gerente e pedir por um código de cupom.

Deborah Dockendorf, uma consumidora online de Chicago, tem outro conselho: se você não puder encontrar imediatamente um código de cupom para uma loja específica, simplesmente espere. "Pode demorar duas semanas, mas você terá um código pra ela", ela disse.

Apesar de Dockendorf morar perto das lojas de departamento da Michigan Avenue e das butiques da Oak Street, ela disse que realiza 98% de suas compras online - sempre com desconto. Ela comprou recentemente seis pares de meias compridas Wolford de US$ 45 da Saks Fifth Avenue com 40% de desconto e frete grátis. Ela também conseguiu um edredom de penas de US$ 400 pela metade do preço na Pacific Coast Feather Company.

"Eu antes me sentia um pouco envergonhada de usá-los, como se fosse uma daquelas rainhas dos cupons no mercado", ela disse. "Agora não passa um dia sem que uma amiga me envie códigos por e-mail, e se não tenho um, posso encontrar um para elas em pouco tempo." George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host