UOL Notícias Internacional
 

22/12/2008

Aprenda a se relacionar em rede, mesmo que não goste

The New York Times
Phyllis Korkki
P. Todo mundo está dizendo é preciso se relacionar em rede para encontrar um novo emprego. Mas mesmo quem detesta networking é obrigado a fazer isso?

R. Infelizmente, é provável que sim. Poucas pessoas conseguem um emprego simplesmente mandando o currículo por e-mail para um departamento pessoal - especialmente nesses tempos difíceis.

É um velho ditado, mas é verdade: É mais provável encontrar um novo emprego por meio de alguém que você conhece. Quanto maior o círculo de pessoas, e quanto mais você o cultiva, melhor você estará.

P. Mas isso não significa que você usa as pessoas para atingir objetivos egoístas, ou para pedir ajuda de uma forma patética?

R. De jeito nenhum: relacionar-se em rede pode ser feito com honestidade e respeito, e isso pode ajudar outras pessoas da mesma forma que ajuda a você. Se for feito de forma correta, relacionar-se em rede é "uma questão de ensinar e aprender em vez de tentar impor algo a alguém", diz Anne Baber, co-fundadora da Contacts Count, uma empresa de treinamento em networking "que presta consultoria no processo de fazer conexões para o benefício mútuo". Em vez de pensar "O que posso conseguir com isso", pense, "Como posso contribuir com isso?", diz ela. A reciprocidade é intrínseca ao processo.

Quando você pede ajuda a alguém, solicita um conselho específico ou informações, em vez de dicas de empregos, ambos os lados sentem-se mais confortáveis. É arriscado dar uma dica de emprego ou apresentar alguém que você acabou de conhecer porque isso pode colocar sua reputação em jogo, disse Barber.

Se você evitar colocar as pessoas em situações constrangedoras e for paciente e generoso, as oportunidades de emprego surgirão naturalmente de pessoas que aprenderam que podem confiar em você.

P. Se você conclui que deveria ter se relacionado mais em rede, mas não o fez, e agora está desempregado. Como pode começar a construir uma rede? É tarde demais?

R. Na verdade, você já tem uma rede, pode ser "maltrapilha e mal-cuidada", diz Liz Ryan, líder do fórum online AskLizRyan, dedicado a assuntos do mundo corporativo. "Não há um estatuto dos limites do networking", diz.

Então faça uma lista de todas as pessoas que você conhece, mesmo que não tenha falado com elas durante anos. Ex-colegas de trabalho são um ótimo lugar para começar. Outros contatos podem variar entre amigos de faculdade a pais dos colegas de futebol do seu filho, até o professor que o dirigiu no musical do colégio, diz Ryan.

Então retome o contato e, se você estiver na mesma cidade, sugira tomar um café. Se parecer apropriado, diz ela, peça conselho e apoio moral.

Não se esqueça de incluir sua família, amigos e vizinhos em sua rede, diz Baber. E certifique-se de que essas pessoas - assim como as outras - entendam exatamente o que você já fez em sua carreira e o que está procurando agora.

Você ficará surpreso: sua sogra pode não saber exatamente o que você faz, diz Baber. Você precisa conseguir contar uma história viva, clara e interessante sobre você mesmo para que as pessoas pensem em você quando souberem de um emprego que se adéqüe às suas habilidades.

P. Como você expande sua rede?

R. Comece por entrar numa associação profissional na área em que você quer ser contratado, diz Baber. Também considere entrar para um clube de busca de empregos em sua região; você pode compartilhar estratégias e se conectar com mais pessoas que não estão no seu círculo usual, diz ela. Outros lugares para fazer contatos incluem associações de ex-alunos, clubes e cursos.

P. Você decidiu comparecer a um evento de networking profissional. Como você pode aproveitá-lo ao máximo?

R. "Você vai a um evento de networking para ampliar o círculo de pessoas que conhece", diz Ryan. A pior coisa que você pode fazer é levantar a mão e dizer: "Oi, estou procurando um emprego", porque as pessoas não sabem responder a isso. Primeiro, você precisa conquistar a simpatia das pessoas.

Primeiro, simplesmente comece a conversar como uma forma de identificar interesses mútuos, diz ela, e perceba que "você não está tentando resolver um problema naquele dia ou naquele momento". Se perguntarem sobre seu trabalho, mencione casualmente que você está procurando, mas não faça muito alarde disso.

P. Como a tecnologia mudou o processo de se relacionar em rede?

R. A tecnologia não é mais opcional para procurar emprego, diz Ryan.
Sites de redes sociais como LinkedIn, Facebook e Twiiter oferecem maneiras eficazes de pesquisar pessoas e companhias, para descobrir se você conhece alguém dentro de uma companhia, para reconectá-lo com possíveis contatos e estabelecer uma presença online.

Ter um perfil num site de rede profissional como o LinkedIn pode ser bastante útil, diz Liz Lynch, fundadora do Centro para Excelência em Networking em Nova York. Também pode valer à pena ter um perfil no Facebook para comunicar o seu lado pessoal, diz ela.

Ainda assim, "não basta você colocar o seu perfil lá e esperar que mágica aconteça", diz.

Tanto Lynch quanto Ryan alertam contra passar muito tempo online. Em vez disso, use suas pesquisas e conexões online para abrir o caminho para encontros offline - porque o encontro face a face ainda é mais importante para fechar o negócio. Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h00

    -0,48
    3,267
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h02

    1,25
    64.018,09
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host