UOL Notícias Internacional
 

01/02/2009

E-mail de Obama torna-se novo símbolo de acesso da elite

The New York Times
Peter Baker
Em Washington
Anthony Lake foi um dos principais conselheiros de assuntos internacionais de Obama durante a campanha eleitoral e trocou mensagens de e-mail com ele regularmente. Mas agora que Obama é presidente, Lake não tem mais seu endereço de e-mail.

"Não", ele disse quando perguntaram se ele tinha. "Tinha. Não tenho."

Tampouco Nancy Pelosi, porta-voz da Câmara, nem Steny H. Hover, o líder da maioria, mas eles não usam muito e-mail, de qualquer forma.
Mitch McConnell, líder republicano no Senado, é um viciado em BlackBerry, mas não tem o e-mail de Obama. Nem vários outros membros do Gabinete, incluindo o Secretário de Defesa Robert M. Gates.

O vice-presidente Joe Biden tem, junto com seu novo super secreto BlackBerry, o endereço de e-mail. Assim como o chefe de equipe de Obama, seus principais conselheiros e alguns de seus amigos mais antigos de Chicago.

O senador Richard J. Durbin, um colega democrata de Illinois, provavelmente tem o e-mail de Obama, mas se recusa a dizer. "Não vamos discutir isso", disse o assessor de imprensa Joe Shoemaker. Questionado por que, ele disse: "É muito óbvio, não é?"

Este é o mais novo símbolo de status numa cidade obcecada pelo status.
Obama foi visto na semana passada experimentando seu novo BlackBerry - na verdade uma versão mais sofisticada, criptografada - e os assessores dizem que ele usa um computador no escritório anexo ao Salão Oval, mas concordou em limitar o número de pessoas com quem trocaria e-mails. No processo, ele criou uma nova medida para Washington avaliar quem de fato tem os ouvidos, ou o polegar, do presidente.

Durante décadas, a capital removia as listas de convidados e os registros de visitantes em Camp David para eliminar pistas de quem estava dentro e quem estava fora. O ex-presidente Bill Clinton estabeleceu uma nova classe de convidados com as estadias no Quarto Lincoln, apesar de estas normalmente acontecerem com uma etiqueta de preço implícita, uma vez que ele tentava levantar dinheiro para campanha. O ex-presidente George W. Bush ofereceu poucas oportunidades para a elite demonstrar seu elitismo praticamente abandonando os jantares de Estado, mas havia convites para seu rancho no Texas para cortar o mato, uma distinção dúbia, talvez, levando em conta os verões de 40 graus.

Agora existe o e-mail de Obama, e é a primeira vez que um chefe do executivo usa e-mail enquanto está no poder. "Esta é a versão século 21 do mesmo tipo de acesso especial ao presidente que certas pessoas conseguem", disse Joel P. Johnson, um conselheiro sênior da Casa Branca na gestão de Clinton. "Na Casa Branca de Roosevelt, haviam Harry Hopkins e Harold Ickes. Da mesma forma, haverá alguns poucos selecionados nessa gestão na Casa Branca".

Esses poucos selecionados que têm o e-mail de Obama, de acordo com pessoas a par do assunto, incluem Rahm Emanuel, o chefe de equipe da Casa Branca; David Axelrod e Valeria Jarrett, ambos conselheiros; e Robert Gibbs, secretário de imprensa.

Mas membros do gabinete como o secretário de Interior, Ken Salazar, disseram que não têm o e-mail. A Secretária de Estado Hillary Clinton é usuária frequente de BlackBerry, mas um assessor disse que não sabia se ela tinha o endereço do presidente.

Gates não usa e-mail para trabalhar, disse Geoff Morrell, secretário de imprensa do Pentágono, e além disso, ele vê o presidente com frequência suficiente para não precisar se comunicar de outra forma. "Se você é secretário da agricultura, interior ou algo assim, pode ser mais útil", disse Morrell. "Mas tempo face a face não é um problema para ele".

A exclusividade não é apenas uma questão de salvaguardar o tempo escasso do presidente ou de protegê-lo de spams. Obama provavelmente sabe que não deve mandar o número de sua conta bancária para os empresários nigerianos que entupiram inúmeras contas de e-mail em todo lugar. Mas os responsáveis pela segurança temem que, quanto mais seu endereço estiver disponível, maior a vulnerabilidade em relação aos hackers brincalhões, ou pior ainda, a ataques virtuais da Rússia ou China, por exemplo.

Afinal, a governadora Sarah Palin do Alaska descobriu que haviam invadido sua conta de e-mail e suas mensagens foram publicadas na Internet no ano passado quando concorria à vice-presidência. Imagine o e-mail de um presidente colocado à mostra para o mundo inteiro ver - ou talvez apenas para o chefe de um serviço de inteligência de um país hostil.

Para minimizar o risco, os gurus da tecnologia da Casa Branca tornaram impossível encaminhar mensagens do presidente ou enviar arquivos anexos para ele, de acordo com pessoas a par das precauções. Seu endereço também deve ser mudado com frequência. E os amigos do presidente e membros da equipe estão recebendo aulas sobre segurança.

Assim os correspondentes de Obama estão evitando falar sobre o assunto. A reportagem telefonou e enviou mensagens de e-mail para mais de 40 de seus principais assessores, parentes, amigos e associados políticos na semana passada, mas foram poucos os que reconheceram abertamente ter o endereço do presidente.

"Não sei confirmar isso", disse um relações públicas quando questionado se Oprah Winfrey envia e-mails para o presidente.

"Não tenho resposta", disse uma autoridade da Casa Branca quando questionada, recusando-se a ter seu nome revelado até mesmo para dizer só isso.

É há muitos pessoas que se espera que tenham o endereço mas não têm. O ex-vice-presidente Al Gore, usuário de e-mail desde os primórdios, não troca mensagens com o presidente. "Até agora, eu não sei de nada sobre eles trocarem mensagens", disse sua assessora de imprensa, Kalee Kreider.

John D. Podesta comandou a transição de Obama e trocou mensagens com ele praticamente todo dia desde a eleição até a posse. Mas ele não entrou para o governo e não tem o novo endereço. "Algumas coisas são secretas", disse Podesta, apesar de acrescentar: "Acho que a lista vai crescer".

É a primeira vez que esse assunto foi levantado, porque Clinton nunca se interessou por e-mail enquanto era presidente e Bush desistiu de usar no Salão Oval seguindo os conselhos dos advogados, que consideram que os e-mails estão sujeitos ao Ato dos Arquivos Presidenciais.
(Depois de oito anos fora da rede, Bush voltou depois de deixar o poder no mês passado, de acordo com sua ex-assessora Karen Hughes, que recebeu uma mensagem dele esses dias.)

Os presidentes do passado encontraram outras formas de manter contato com o mundo lá fora. Clinton e o primeiro presidente Bush tinham uma linha de fax dedicada a isso, apesar de o número secreto vazar algumas vezes.Pelo menos uma vez durante o primeiro mandato de Clinton, uma organização lobista conseguiu o número e entupiu o Salão Oval de propaganda indesejável, forçando a Casa Branca a mudar o número.

Clinton recebia de 100 a 500 faxes por semana, e eles às vezes faziam com que ele repensasse algum discurso ou abordagem política. Os assessores começaram a temer os faxes. "Era útil para ele", disse Lake, um conselheiro de segurança nacional de Clinton. "Para nós, era ruim, porque ele os mandaria para nós, com uma caligrafia indecifrável e perguntando: 'O que vocês acham?'"

Mas Lake disse que a decisão de Obama de continuar usando e-mail enquanto presidente fez sentido, mesmo que ele mesmo não seja mais um destinatário. "Você pode se tornar um escravo da burocracia, e essa é uma das formas de evitar isso", disse Lake.

Podesta disse que ele incentivou fortemente Obama a manter seu BlackBerry. "Ele precisa ficar conectado com as pessoas", disse Podesta. "Não há nenhuma razão para não fazê-lo".

Ele rejeitou as preocupações da equipe de segurança: "Eles o colocam num conteiner de chumbo se você deixa".

O desafio para os poucos privilegiados que têm o e-mail será saber quando usá-lo. Qual é a etiqueta ao mandar e-mails para o presidente? Vários amigos e assessores disseram que vão apenas apertar o botão de resposta, e não o de envio - em outras palavras, enviar uma mensagem só depois de receber outra.

"Dificilmente eu o chatearia por qualquer coisa séria ou não-séria", disse Alexi Giannoulias, tesoureiro do Estado de Illinois e amigo há longa data. Acho que se ele precisar de mim ou quiser falar comigo num nível social, ele pode me encontrar muito, muito rápido. Os amigos do presidente precisam mudar de mentalidade. Ele não é mais Barack. Agora ele é uma instituição.

Tradução: Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host