UOL Notícias Internacional
 

15/06/2009

E agora, estrelando em West Wing: Ax & Lesser

The New York Times
Por Ashley Parker
David Axelrod parecia um fugitivo.

Entrou às escondidas no escritório onde Jon Favreau escreve discursos na West Wing [ou Ala Oeste da Casa Branca], perguntando se Favreau não tinha visto Eric Lesser, assistente especial de Axelrod. Ele saiu, e alguns momentos depois Lesser apareceu correndo, perguntando: "Onde está Ax? O que ele está fazendo? Ele está se escondendo de mim!"

Rindo, Favreau disse: "O timing dos dois para a comédia é perfeito".

Como acontece no começo de muitos mandatos, a Casa Branca de Obama está cheia de relações que são observadas com mais atenção - Barack e Michelle Obama, Timothy Geithner e Larry Summers, o cão Bo e as filhas de Obama. Mas nenhuma é mais divertida do que o dueto improvável de Axelrod, o conselheiro-chefe de 54 anos do presidente, e seu assistente de 24 anos, Lesser. De fato, apenas a menção de "Ax e Lesser" provoca risos no número 1600 da Avenida Pensilvânia.

  • Doug Mills/The New York Times

    Axelrod é o conselheiro-chefe de 54 anos de Obama; seu assistente de 24 anos é Lesser



"Eles parecem um casal de velhos", disse Katie Johnson, secretária pessoal de Obama.

Lesser censura Axelrod dizendo para ele "parar de bisbilhotar" quando enrola para ir às reuniões, o pressiona para cumprir a agenda e tenta até mesmo controlar sua dieta. Uma vez, a caminho de um retiro dos democratas em Williamsburg, Vancouver, ele ignorou os pedidos de Axelrod para parar no fast-food Dairy Queen - ele não queria fazer os democratas esperarem, explicou mais tarde, porque seu chefe estava com vontade de tomar sorvete - mas parou no caminho de volta, cedendo a chateação incessante de Axelrod.

Lesser faz parte de um círculo de jovens assistentes cujas vidas giram em torno de seus chefes, um fenômeno de bastidores que Aaron Sorkin imortalizou na série de TV "The West Wing", na relação entre Josh e Donna. (Sorkin disse que teve a ideia durante os anos de Clinton no poder, quando a assistente de George Stephanopoulos disse a ele que seu chefe era o seu "nascer e pôr do sol".)

Lesser diz que seu chefe é "uma espécie de Professor Aloprado", e o professor diz que Lesser é um cruzamento entre a enfermeira Ratched de "Um Estranho no Ninho" e Radar O'Reilly de "MASH". O jovem assistente é alegremente neurótico, detalhista e um pouco parecido com um elfo da organização, enquanto seu chefe desorganizado é o que os assistentes descrevem como um "pensador não-linear".

"Isso tudo tem um quê de Oscar e Felix", diz Axelrod. "Meu estilo é do tipo largar tudo por aí, então, no fim do dia, parece que passou um furacão pela minha mesa. O estilo dele é chegar e alinhar os jornais na mesa em sequência, para que as manchetes apareçam. Então existe um conflito de culturas aqui."

Mas por trás do estudo das diferenças existe uma parceria verdadeira. "David é uma pessoa incrivelmente indisciplinada, então eu sempre me perguntei como ele consegue se virar no ambiente super-disciplinado da Casa Branca, onde você tem que chegar todos os dias de terno e gravata na hora certa", diz Sophie McCarthy, ex-assistente de Axelrod que agora trabalha para a firma de consultoria dele em Chicago.

Lesser descreve seu emprego assim: "É como um trabalho de custódia."

Ele acorda cedo, folheia os jornais do dia e às vezes vai encontrar Axelrod no saguão do prédio dele para pegar uma carona com o chefe, que mora há apenas dois quarteirões da república onde Lesser vive em Logan Circle.

De qualquer forma, ele chega no escritório às 7h30, onde faz o "BDA" para Axelrod - o Briefing Diário de Axelrod. Ele considera a si mesmo como um "policial de trânsito" cujo trabalho é "direcionar pessoas, organizar pessoas e certificar-se de que Axelrod faça uma coisa de cada vez."

Ele também pega no pé de Axelrod, falando e contrariando. Assim como o presidente, que gosta da divergência e pede deliberadamente para que as pessoas não concordem com ele, Axelrod diz que aprecia a "abundância de insolência" de Lesser.

"A realidade é que nós brigamos muito também por causa disso", disse Axelrod. "É um tipo de relação de amor e ódio por causa disso, porque ninguém gosta de ser importunado."

Lesser - nativo de Longemeadown, Massachusetts, foi quatro vezes representante discente no colegial (com o slogan de campanha "The Lesser of Two Evils" [algo como "O menor dos dois males"]), e formou-se em Harvard em 2007 - começou a trabalhar na campanha em junho de 2007 como carregador de bagagem. Ele assumiu a tarefa com seu zelo característico, elaborando um sistema de código de cores para identificar as malas. "No fim do dia, eu nunca perdia uma mala", diz ele com orgulho.

Ele também conquistou a confiança de Axelrod durante a campanha, através de conversas longas e da misteriosa habilidade de ajudar Axelrod a encontrar qualquer peça de bagagem que ele houvesse perdido no caminho.

"Pensei que, se ele conseguia trazer as malas na hora, ele podia fazer com que eu chegasse às reuniões na hora", disse Axelrod. "Além disso, quem mais poderia organizar um Seder [tradicional ceia da Páscoa judaica] sem autorização oficial?"

Quando chegou a Páscoa judaica, durante a campanha do ano passado, Lesser organizou um Seder improvisado no porão do hotel em Harrisburgo, Pensilvânia. Este ano, em abril, o presidente pediu para que ele ajudasse a organizar um Seder na Casa Branca. Acredita-se que o evento foi o primeiro Seder presidencial - e uma estratégia particular de Obama, que teve dificuldades de conseguir o voto dos eleitores judeus durante a campanha.

Antecipando todas as necessidade de seu chefe, Lesser guarda "um monte de óculos dele na minha mesa porque ele os perde constantemente". Ele também tem um suprimento de água tônica à mão, porque seu chefe está "sempre derramando coisas sobre si mesmo e criando pequenas emergências, como quando a camisa dele fica de uma hora para outra inutilizável ."

Além disso, há o problema da comida. Mesmo que Lesser admita prontamente que ele e seu chefe se tornaram amigos por causa do "amor pelos quitutes judaicos", as tentativas de o jovem de colocar Axelrod numa dieta têm sido mal sucedidas.

Tome o incidente do mingau de aveia, por exemplo. Toda manhã, Lesser trazia mingau de aveia com açúcar mascavo e uva passa para Axelrod da copa da Casa Branca. Mas um dia, decidiu que seu chefe "não precisava de açúcar mascavo, as uvas passas já tinham sabor suficiente". Axelrod estava no meio de uma reunião quando ele e Lesser começaram a discutir se ele de fato "precisava" do açúcar mascavo, e se era tarefa de Lesser tomar esse tipo de decisão para começar. (Desde então, o açúcar mascavo voltou.)

"O problema é", explicou Lesser, parecendo muito mais um pai protetor do que um jovem recém saído da faculdade com um emprego excitante, "não há mais ninguém na Casa Branca para tomar conta de Ax."

Tradução: Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host