UOL Notícias Internacional
 

03/07/2009

Morre na França o chinês Shi Pei Pu, 70, cantor, espião e "Madame Butterfly"

The New York Times
Joyce Wadler
Shi Pei Pu, uma cantor de ópera e espião de Pequim cuja relação amorosa intrincada com um funcionário da Embaixada da França gerou um dos mais estranhos casos da espionagem internacional e serviu de inspiração para o show da Broadway, "Madame Butterfly", morreu em Paris na última terça-feira (30).

Acredita-se que Shi, que em 1986 foi condenado por espionagem na França - juntamente com o seu amante, Bernard Boursicot - , tinha 70 anos de idade. Durante anos acreditou-se ainda que ele fosse mulher, pelo menos para Boursicot, que cumpriu pena de prisão após o caso amoroso e virou alvo de piadas na França.

Boursicot, que tem 64 anos e mora em uma clínica na França enquanto se recupera de um derrame, não demonstrou tristeza quando soube da morte de Shi em uma entrevista por telefone.

"Não estou surpreso", disse ele, em um tom de voz que sugeria impaciência com a atitude teatral de uma ex-amante. "Ele estava doente há muito tempo. Agora são mais de 40 anos".

Ao ser perguntado se sentia alguma tristeza, Boursicot disse: "Ele fez tantas coisas contra mim das quais não sentiu pena que eu acho que seria estupidez da minha parte cair em mais um jogo e dizer que estou triste. Agora o cenário está limpo. Eu estou livre".

Na peça da Broadway de 1988 e no filme de 1993 "Madame Butterfly", Bernard Boursicot foi retratado como um diplomata de alto escalão e Shi Pei Pu como uma bela cantora de ópera que ele conheceu em 1964. Na verdade, Boursicot era um jovem de 20 anos que não concluiu segundo grau e que obteve um emprego como contador na recém-inaugurada Embaixada da França em Pequim. As suas poucas experiências sexuais tinham sido com colegas de escola do sexo masculino, e ele estava determinado a se apaixonar por uma mulher, escreveu Boursicot no seu diário.

Shi Pei Pu tinha 26 anos quando os dois se conheceram, e era uma pessoa delicada e charmosa. Ele vivia como homem e ensinava chinês a mulheres de diplomatas. Shi disse a Boursicot que havia sido cantor e libretista na Ópera de Pequim. Em uma noite perfeita na Cidade Proibida, Shi contou a Boursicot uma história a qual nenhum romântico conseguiria resistir: Shi afirmou que era mulher e que fora forçado a passar a vida como homem porque o seu pai exigia ter um filho. Pouco tempo depois, os dois se apaixonaram, embora as relações sexuais, conforme Boursicot contou mais tarde, fossem rápidas e furtivas, e realizadas sempre no escuro.

Quando a relação foi descoberta pelas autoridades chinesas, Boursicot passou a elas documentos franceses, primeiro da embaixada em Pequim, e mais tarde do seu escritório no consulado em Ulan Bator, na Mongólia.

Boursicot passou a maior parte da vida fora da China e envolveu-se romanticamente com homens e mulheres. Nas suas raras visitas a Shi Pei Pu, os contatos sexuais eram restritos. Durante uma visita, Shi lhe apresentou um garoto de quatro anos, Shi Du Du, que segundo ele era o filho dos dois.

Em 1982, Boursicot - que à época morava abertamente com Thierry Toulet, um companheiro do sexo masculino - conseguiu fazer com que Shi Pei Pu e Shi Du Du viessem morar com ele em Paris. Pouco depois, Boursicot e Shi Pei Pu foram presos. No início Shi disse à polícia que era mulher, mas ele confessou a verdade aos médicos da prisão, mostrando a estes a maneira como ocultava os órgãos sexuais.

Shi Du Du explicou o mistério sobre a sua origem em uma declaração prestada à polícia. Ele era membro da minoria chinesa uighur, e fora vendido pela mãe. "Não é que a minha mãe não me amasse", disse ele. "Nós estávamos passando fome".

Ao saber que Shi Pei Pu era um homem, Boursicot cortou a garganta na prisão com uma navalha.

Em 1986, Shi e Boursicot foram condenados a seis anos de prisão por espionagem. Eles foram perdoados no ano seguinte. Shi Du Du mora em Pequim e, segundo Boursicot, tem três filhos pequenos.

Embora Boursicot e Shi tenham se falado ocasionalmente no decorrer dos anos, a relação entre eles ficou estremecida. Boursicot disse que a última vez que conversou com Shi foi alguns meses atrás, e que este lhe disse que ainda o amava.

Shi ficou famoso, e fez apresentações em público como cantor de ópera. Mas ele não gostava de falar sobre o romance com Boursicot, especialmente no que se referia aos detalhes de natureza sexual.

"Eu costumava fascinar tanto os homens quanto as mulheres", declarou ele em uma rara entrevista em 1988. "O que eu era e o que eles eram é algo que não tem importância".

Tradução: UOL

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h59

    -0,57
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h00

    -0,40
    75.302,54
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host