UOL Notícias Internacional
 

31/07/2009

Nenhum pedido de desculpas; só uma reunião cordial acompanhada de cervejas

The New York Times
Helene Cooper e Abby Goodnough
Em Washington (EUA)
Eles vieram, se encontraram e beberam. Mas não pediram desculpas.

O muito antecipado encontro acompanhado de cerveja do presidente Barack Obama, do acadêmico Henry Louis Gates Jr. de Harvard, e do sargento James Crowley do Departamento de Polícia de Cambridge, Massachusetts, ocorreu na noite de quinta-feira, com cobertura minuto a minuto do corpo de imprensa da Casa Branca, relógios de contagem regressiva dos canais por assinatura de notícias e um acréscimo de último minuto pela Casa Branca, na forma do vice-presidente Joe Biden.

Após 10 dias de cobertura quase ininterrupta da imprensa de um caso que provocou milhares de artigos e reportagens sobre raça, os protagonistas sentaram-se por menos de uma hora a uma mesa próxima do Escritório Oval.

  • NYT
"O que vocês viram hoje foi dois cavalheiros que concordaram em discordar em um assunto em particular", disse um Crowley equilibrado e sereno durante uma coletiva de imprensa de 15 minutos após a sessão. "Nós não passamos muito tempo tratando do passado e decidimos olhar à frente." Gates disse em uma entrevista: "Eu não acho que ninguém, exceto Barack Obama, teria pensado em nos reunir".

Os dois homens e suas famílias, que os acompanharam à Casa Branca, primeiro se encontraram na biblioteca da Casa Branca enquanto cada grupo era conduzido individualmente por uma visita guiada à residência presidencial na tarde de quinta-feira.

"Ninguém sabia o que fazer", disse Gates. "Então me aproximei, estendi a mão e disse: 'É um prazer vê-lo'. Isso quebrou o clima desajeitado."

Crowley acrescentou que as famílias "prosseguiram a visita como um grupo". Ele descreveu a interação como muito cordial.

Gates concordou, dizendo: "Nós nos demos bem desde o início. Quando ele não está prendendo você, o sargento Crowley é realmente um sujeito agradável".

Quando os dois homens iniciaram seu encontro com Obama, eles já puderam relatar o progresso e disseram ao presidente que fizeram planos para almoçarem juntos em breve.

"Eu agradeço ao professor Gates e ao sargento Crowley por terem se juntado a mim na Casa Branca nesta noite, para uma conversa amistosa e refletida", disse Obama em uma declaração. "Antes mesmo de nos sentarmos para a cerveja, eu soube que os dois cavalheiros passaram algum tempo juntos escutando um ao outro, o que diz muito a respeito deles."

A adição de Biden foi interessante por vários motivos. Biden pôde fazer uso de sua credibilidade junto aos trabalhadores americanos sindicalizados e suas raízes em Scranton, Pensilvânia, para adicionar equilíbrio à foto proporcionada pela Casa Branca: dois homens brancos e dois homens negros, sentados ao redor de uma mesa.

Mais cedo, Obama riu dos repórteres por sua obsessão pela teatralidade do encontro, dizendo estar "fascinado pelo fascínio" com o assunto, que tem fervido desde que Crowley, respondendo a um chamado sobre uma possível invasão de domicílio, prendeu Gates por conduta desordeira apesar de ele ter certificado que estava em sua própria casa.

Obama acrescentou lenha à fogueira uma semana depois, quando disse em resposta a uma pergunta, em uma coletiva de imprensa, que a polícia de Cambridge "agiu estupidamente" ao prender Gates, uma escolha de palavra que ele lamentou posteriormente.

"Eu notei que isto foi chamado de encontro de cúpula da cerveja", disse Obama após um encontro na quinta-feira com a presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo. "É um termo esperto, mas se trata apenas de três pessoas bebendo algo no fim do dia e, com sorte, dando às pessoas uma oportunidade para escutarem umas às outras."

A imprensa foi autorizada a apenas espiar o encontro por cerca de 40 segundos -e de uma distância tão grande que os repórteres não puderam ouvir nenhuma palavra que foi dita.

Todavia, alguns detalhes vieram à tona:

Obama e Biden estavam sem paletó, enquanto Crowley e Gates vestiam ternos.

Os quatro beberam em canecas de cerveja. Obama tomou uma Bud Lite, Crowley tomou uma Blue Moon, Gates bebeu Sam Adams Light e Biden, que não bebe, tomou uma cerveja Buckler sem álcool. (Talvez o motivo para Biden ter uma fatia de limão na sua cerveja. Crowley, por sua vez, manteve a tradição e tinha uma fatia de laranja na sua Blue Moon.)

Os quatro comiam amendoins e pretzels de pequenas tigelas de prata.

Os repórteres e fotógrafos se posicionaram à espera do início do encontro, quando uma família branca de cinco pessoas apareceu. Eram os Crowleys? "Com licença, posso perguntar quem são vocês?" gritou um repórter.

"Não quem vocês pensam", foi a resposta.

Tradução: George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host