UOL Notícias Internacional
 

07/12/2009

Astrologia já era. Agora é a vez da numerologia

The New York Times
Vikas Bajaj
Em Mumbai (Índia)
Sanjay B. Jumaani sabe o seu número - e por uma taxa ele pode oferecer-lhe um "upgrade".

Jumaani é um dos numerólogos mais famosos desta movimentada cidade. Ele estuda as datas de nascimento e outros números associados a seus clientes - que incluem astros de Bollywood, famosos jogadores de cricket e até companhias - e então sugere mudanças nos nomes, guarda-roupas ou joias para melhorar sua sorte.
  • Kuni Takahashi/The New York Times

    Sanjay B. Jumaani é um dos numerólogos mais famosos de Mumbai. Ele estuda as datas de nascimento e outros números associados a seus clientes - que incluem astros de Bollywood e até companhias - e então sugere mudanças nos nomes e guarda-roupas para melhorar a sorte


Depois de buscar ajuda com ele e outros numerólogos, os atores acrescentam ou retiram letras de seus nomes - o ator Ajay Devgan recentemente se transformou em Ajay Devgn. Diretores de cinema erram propositalmente os títulos de seus filmes - "Singh é Kinng" [algo como "Singh é Reei"] foi um sucesso recente. E as companhias redesenham suas marcas e logos.

Recentemente, uma companhia de viagens inaugurou o luxuoso serviço de trem "The Indian Maharaja - Deccan Odyssey". Foi Jumaani que recomendou acrescentar o artigo "The" e colocar um hífen no nome. Sajivv Trehaan, que administra a agência de turismo Travel Corporation (Índia), disse que vendeu todos os lugares para a primeira viagem e acredita que a mudança das palavras proposta por Jumaani ajudou. Ele diz que o conselho de Jumaani foi a chave de muitos de seus sucessos nos negócios.

"O mundo mudou para mim desde então", disse Trehaan sobre o momento, há sete anos, em que Jumaani sugeriu que ele mudasse seu nome, Sajiv Trehan. "Éramos uma empresa pequena na época. Agora temos sete escritórios em outros países. E eu moro na Suíça."

Além dos ricos e famosos, muitos indianos comuns também consultam Jumaani e seus colegas numerólogos - e existem muitos deles. As informações que esses conselheiros da Nova Era oferecem não são baratas. Jumaani cobra 4.200 rúpias de seus clientes individuais, o que equivale a US$ 90 (R$ 155), ou mais ou menos o salário mensal de uma empregada doméstica na Índia. As companhias pagam bem mais que isso. Jumaani não quis dizer quanto.

Num país onde a privação é a regra, as pessoas sempre procuraram conforto e esperança em astrólogos e gurus de vários tipos. Hoje, os indianos modernos que desejam uma fatia maior da economia em crescimento estão se voltando para uma nova geração de adivinhos que são diferentes dos gurus da geração de seus pais. Mudar os nomes ou encomendar placas de carros com determinados números auspiciosos se tornaram práticas comuns nos últimos anos.

Lá se foram os complicados mapas astrológicos consultados pela antiga geração de conselheiros. Os novos adivinhos oferecem conselhos que usam fórmulas matemáticas, divulgam seu trabalho em informerciais na TV, escrevem colunas em jornais e montam sites atraentes na internet. Alguns dos conselhos lembram o movimento do "pensamento positivo" nos Estados Unidos. Por exemplo, Niraj Mancchanda, outro famosos numerologista de Mumbai, oferece análises de caligrafia e promete que "se mudarmos nossa forma de escrever, nosso pensamento mudará."

Os críticos dizem que a numerologia e outras práticas afins são distrações caras que seduzem as pessoas com promessas de um futuro melhor.

"Essa prática explora o desejo das pessoas de saberem, modificarem ou melhorarem seu futuro", disse Prabir Ghosh, autor que já debateu com astrólogos e numerólogos na televisão indiana. "Nessa era de competição cruel, intensificada pela recessão global, as pessoas fazem qualquer coisa antes de começarem uma nova empreitada."

Ghosh, que é secretário geral da Associação de Ciência e Racionalistas da Índia, disse que seu grupo pagará 2 milhões de rúpias (US$ 43 mil) aos numerólogos, astrólogos e outros guias espirituais que conseguirem provar que suas práticas funcionam conforme alegam. Até agora eles não fizeram nenhum pagamento.

Os defensores da numerologia argumentam que a prática, assim como a religião, não exige provas porque é baseada na fé.

"Se você tem fé, você acredita nela", disse Vipul Amrutlal Shah, produtor de "Singh is Kinng". "Nós do mundo do cinema somos apostadores. Não sabemos se ganharemos dinheiro com nossas apostas. Isso nos torna um pouco supersticiosos."

De acordo com Jumaani, as personalidades e destinos das pessoas são moldados pela interação entre vários números. Entre os mais importantes estão os números derivados das datas de nascimento, como a soma dos dígitos que formam o dia do nascimento. Considera-se que os bebês nascidos no dia 28 do mês, por exemplo, terão uma vida boa à frente porque 2 mais 8 é igual a 10, e 1 mais 0 é igual a 1.

Um, três, cinco e seis são considerados números auspiciosos: Jumaani observa que Bill Gates nasceu em 28 de outubro de 1955.

Os números correspondem ao sol, à lua ou a um planeta; um é o sol, dois é a lua, três é Júpiter e assim por diante.

Mas as pessoas que não nasceram num dia afortunado não precisam se desesperar. Embora elas não possam mudar suas datas de nascimento, Jumaani diz que os clientes podem se beneficiar mudando seus nomes. (Ele não revelou como os números correspondem às letras.) Usar pedras preciosas e cores apropriadas também pode mudar a sorte.

"Não posso dar a você a data de nascimento de Ambani", disse referindo-se ao industrial indiano Mukesh Ambani, cuja soma da data de nascimento equivale a 1. "Mas posso ajudá-lo com o seu nome."

Ele deverá embarcar na viagem de trem "The Indian Maharaja - Deccan Odyssey" e oferecer consultas para os passageiros que pagaram de US$ 525 a US$ 1.120 (R$ 907 a R$ 1.935) por noite para a viagem de sete dias de Mumbai até Déli, com paradas no Taj Mahal e outros pontos turísticos ao longo do caminho. Jamaani, 41, aprendeu numerologia com seu pai, Bansilal M. Jumaani, e diz que ela o ajudou a deixar uma carreira de 17 anos sem futuro como distribuidor de bebidas alcoólicas. Ele atribui seu sucesso à sugestão de seu pai de que ele começasse a usar a inicial do seu nome do meio. O pai de Jumaani morreu em 2006.

Jumaani trabalha com sua irmã, Swetta Jumaani. Sua mulher, Jhernna S. Jumaani, vende pedras preciosas e joias para seus clientes. O nome de sua marca é Gemz Bonnd Jewelz.

Algumas pessoas que mudaram seus nomes dizem que suas vidas continuam iguais. Shobhaa De, escritora e colunista, acrescentou um "a" a mais a seu primeiro nome a pedidos do pai de Jumaani, que enviou-lhe uma carta depois de ela ter zombado de um ator que havia mudado o nome.

"Tomei isso como um desafio, e acrescentei um 'a'", disse ela numa mensagem de e-mail. "Minha assinatura ficou com um visual muito melhor. Acabei adotando. Mas ainda não entrei na lista de bilionários da Forbes."

Tradução: Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host