UOL Notícias Internacional
 

07/12/2009

Saiba o quanto vale a pena pagar pelas vitaminas

The New York Times
Lesley Alderman
Quando renovo meu estoque de ibuprofeno (meu analgésico preferido), normalmente compro um vidro de 500 comprimidos genéricos de alguma rede de lojas como Kirkland ou Rite Aid. Afinal, ibuprofeno é ibuprofeno. Cada comprimido custa cerca de 3 centavos - ou apenas um terço do valor das pílulas Advil, de 9 centavos cada.

Mas, quando o assunto é vitaminas - que eu tomo somente quando me sinto cansado - procuro marcas de nome como Centrum ou Nature Made. Costumava pensar assim: por que brincar com a qualidade das vitaminas essenciais?

Mas agora que fiz um pouco de pesquisa, pode ser que logo mude meu jeito de comprar vitaminas. Continue lendo para descobrir por quê.
  • Chester Higgins Jr./The New York Times

    Cerca de 42% dos consumidores compram suas vitaminas em lojas naturais e especializadas, como a GNC e Whole Foods, de acordo com a publicação, enquanto apenas 23% procuram economizar e comprar seus produtos em supermercados e lojas de descontos. Os outros 35% compram pelo correio ou em algum fornecedor de serviços de saúde.


Os norte-americanos adoram vitaminas. Cerca de metade dos adultos tomam um suplemento multivitamínico diariamente, de acordo com dados da indústria. E segundo algumas teorias, a crise econômica inspirou-os a tomarem mais vitaminas ainda, para ficarem mais fortes.

As vendas ao longo da última década cresceram cerca de 4% por ano. Mas este ano, à medida que mais pessoas estão assumindo a responsabilidade pela própria saúde, talvez esperando economizar na conta do médico, as vendas de vitaminas devem crescer 8% para um total de US$ 9,2 bilhões (R$ 15,89 bilhões), de acordo com o Nutrition Business Journal, uma publicação de pesquisa de mercado.

Cerca de 42% dos consumidores compram suas vitaminas em lojas naturais e especializadas, como a GNC e Whole Foods, de acordo com a publicação, enquanto apenas 23% procuram economizar e comprar seus produtos em supermercados e lojas de descontos. Os outros 35% compram pelo correio ou em algum fornecedor de serviços de saúde.

É claro, há controvérsias sobre se deveríamos tomar vitaminas ou não. Estudos recentes indicaram que tomar um complexo vitamínico não protege das doenças do coração ou do câncer. E especialistas sustentam que, se você se alimenta bem, não precisa de suplementos vitamínicos.

"As pesquisas mostram que uma dieta saudável e exercícios são a melhor forma de evitar as doenças; uma vitamina não pode substituir esses benefícios", diz Eric Rimm, professor associado de epidemiologia e nutrição na Escola de Saúde Pública de Harvard.

Mas e se você não se alimenta bem ou sofrer de estresse crônico? Então, diz Rimm, pode haver algum benefício em tomar um complexo multivitamínico. "Alguns subgrupos, incluindo mulheres que estão tentando engravidar, podem precisar de suplementos específicos, como de ácido fólico e ômega-3", acrescentou.

Em relação ao custo: se você toma apenas uma pílula multivitamínica por dia como uma espécie de seguro de saúde, com certeza isso não fará mal - desde que você não consuma muitos alimentos fortificados. E poderá ajudar sua saúde. Mas será necessário gastar algum dinheiro. E se você tomar um complexo multivitamínico e algumas vitaminas e minerais isolados, é melhor ainda se certificar de que não está pagando mais do que precisa.

Eis como pagar menos pela maior quantidade de vitaminas.

Só use aquilo de que você precisa
Tomar muitas vitaminas não é apenas um desperdício de dinheiro mas pode ser ruim para sua saúde. Converse com seu médico sobre quais são as vitaminas ou minerais de que você precisa; você pode pedir um exame de sangue para descobrir o que está faltando.

Por exemplo, se você não absorve vitamina D suficiente - muitas pessoas que vivem em lugares com pouco sol ou que usam bloqueadores solares diariamente têm taxas baixas dessa vitamina tão essencial - então compre apenas um suplemento de vitamina D. Os complexos multivitamínicos comuns provavelmente não terão os níveis de vitamina D de que você precisa (muitos médicos sugerem tomar de mil a 2 mil unidades internacionais por dia).

Se o seu médico recomendar um suplemento específico, como o ômega-3, pergunte sob que forma você deve tomá-lo.

Encontre um fornecedor confiável
As vitaminas e minerais são uma matéria-prima, e todos os fabricantes têm acesso aos mesmos ingredientes. Por esse motivo, os pesquisadores e cientistas dizem que pagar mais por uma marca de renome não significa necessariamente que você terá vitaminas melhores.

"Quando medimos os níveis de vitaminas no sangue, descobrimos que eles são os mesmos, quer a pessoa tome uma marca genérica ou uma de renome", diz Rimm, que vem estudando os efeitos das vitaminas há 20 anos.

Por outro lado, também não queira economizar muito. Compre suas vitaminas em lojas conhecidas, que tenham rotatividade de estoque, como a Costco ou a Drugstore.com. As vitaminas perdem seu potencial com o tempo e precisam ser guardadas à temperatura ambiente ou inferior. Se os vidros estiverem numa prateleira num ambiente quente ou sob incidência da luz do sol, as vitaminas podem se degradar antes mesmo que data de validade expire.

Preço não significa qualidade
Embora o FDA (agência norte-americana de controle de medicamentos e alimentos) regule as vitaminas como parte do setor de suplementos nutricionais, ele não as testa antes de serem comercializadas. O FDA responsabiliza os fabricantes por garantir que seus produtos de suplemento alimentar sejam seguros antes de serem comercializados. Tudo isso significa que, independentemente do preço, a qualidade não é garantida.

A ConsumerLab.com, uma companhia de White Plains que testa centenas de vitaminas todos os anos, descobriu que 30% dos complexos multivitamínicos têm um problema de qualidade: as pílulas podem ter um ingrediente a mais ou a menos do que o que informa o rótulo, ou podem não se dissolver adequadamente.

"Não encontramos nenhuma marca com uma grande linha de produtos que mantenha a qualidade em todos", disse o Dr. Tod Cooperman, presidente da companhia.

O Conselho para a Nutrição Responsável, grupo que reúne companhias do setor de vitaminas, discorda dessas afirmações. Em resposta a perguntas, o conselho divulgou uma declaração de Andrew Shao, vice-presidente para assuntos científicos e regulatórios.

Shao disse que o FDA permite uma "quantidade razoável de variação" - que segundo ele pode ser de até 15% a mais de um determinado ingrediente em relação ao que indica o rótulo. Shao disse que os produtores frequentemente acrescentam um pouco mais de um ingrediente para assegurar que a quantidade esteja pelo menos no nível especificado no rótulo à medida que o produto chega perto da data de validade.

Em todo caso, o ConsumerLab.com diz que descobriu alguns padrões que podem ajudar os consumidores. Produtos vendidos por lojas de vitaminas tendem a ser mais confiáveis do que as marcas das farmácias, e as linhas de vitaminas do Wal-Mart e do Costco costumam ser dignas de consideração. Num teste recente com complexos multivitamínicos, o ConsumerLab.com descobriu que o Equate-Mature Multivitamin 50(PLUS) vendido pelo Wal-Mart era tão bom quando a marca de renome Centrum Silver, mas custa metade do preço.

A Puritan's Pride, que vende por catálogo e na internet, também tem preços muito bons, e Cooperman diz que seus produtos em geral são bons.

Consumidores curiosos podem pagar US$ 30 (R$ 51,8) por ano para se inscrever no ConsumerLab.com e descobrir como outras marcas de suplementos se saíram em seus testes de laboratório.

Um teste de qualidade que você pode fazer, apesar de não ser uma avaliação perfeita, é ver se um produto é certificado por uma das várias organizações sem fins lucrativos que checam a pureza e qualidade dos suplementos.

Os dois grupos mais comumente usados são o U.S. Pharmacopeia (www.usp.org) e o NSF International (www.nsf.org), de acordo com Shao. Os fabricantes voluntariamente submetem seus produtos para análise e, se passam, podem usar um selo de aprovação, como o USP ou NSF. Como o processo é voluntário, diz Shao, a ausência do selo não significa necessariamente que o produto tenha qualidade ruim.

Mas pelo menos o selo deveria indicar que você sabe o que está comprando. E no caso das vitaminas, talvez não valha a pena comprar qualquer coisa que não tenha essa simples garantia.

Tradução: Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,22
    3,142
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,67
    70.477,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host