UOL Notícias Internacional
 

02/01/2010

Alugar uma ilha particular vira opção para as férias

The New York Times
Jonathan Vatner
Em uma noite de agosto, Debra Dawson e seu namorado, Joe Sinagoga, estavam de férias em Jonathan Island, uma ilha de três acres no litoral de Narragansett, em Rhode Island. Seu barco a motor havia quebrado e eles não tinham como ir para o continente para jantar. Uma crise? De jeito nenhum.

Para Dawson, moradora típica de Manhattan de 48 anos e que descreve a si mesma como uma "garota da cidade", aquela se transformou em uma das noites mais românticas de sua vida. Ela passou o resto do dia colhendo mexilhões das boias do cais e cavando para encontrar moluscos na praia. Ela colheu tomates e pimentas do jardim e levou tudo para dentro para fazer uma paella. Mais importante, o casal tinha a ilha só para eles naquela semana, por razoáveis US$ 3.250 (R$ 5.664,75), mais US$ 500 (R$ 871,50) pelo uso do barco.

"Foi uma das melhores viagens de férias que já fiz", disse Dawson que, como diretora regional do Body Shop, viaja constantemente e quase nunca se desconecta do trabalho. Ela ficou sabendo da ilha ao procurar na internet lugares para alugar; o casal já tem planos para voltar lá.

Bill Huggins, proprietário da Jonathan Island, não é tipo que alguém normalmente associa com um proprietário de ilha particular. Huggins, um corretor de hipotecas de 51 anos, e sua mulher, Alison, compraram a propriedade em 1998 porque ela ficava perto de sua casa (em Narragansett) e ainda assim parecia totalmente remota.

"Primeiro minha mulher não ficou nem um pouco interessada", disse Bill Huggins. "Um dia eu a levei para lá, e ela disse: 'Meu Deus, esse lugar é lindo. Por favor compre essa casa e essa ilha para mim'."

Agora, Huggins e caras como ele estão compartilhando seus tesouros com turistas, à medida que o aluguel de ilhas particulares se tornou acessível para os que viajam com um orçamento mais modesto.

Ainda há, é claro, ilhas luxuosas disponíveis para aluguel, de propriedade de celebridades e magnatas como Richard Branson, cuja Necker Island nas Ilhas Virgens Britânicas é alugada a partir de US$ 36 mil por noite.

No outro extremo, a Jonathan Island começa com US$ 375 por noite (R$ 650), e a Melody Key, uma ilha em Florida Keys que desde 2003 é propriedade de Nick Hexum, vocalista da banda 311, cobra US$ 1.400 (R$ 2.440) por noite para até seis pessoas. E a Forsyth Island, um refúgio de 1.744 acres na Nova Zelândia, custa cerca de US$ 1.400 (R$ 2.440) por noite.

"Cada ilha é diferente", diz Chris Krolow, diretor executivo da Private Islands Inc., uma imobiliária especializada na venda e aluguel de ilhas. "Temos algumas ilhas que ficam no meio do nada, onde você leva a própria comida, até a super luxuosa Rania Experience, que sete funcionários por pessoa", disse ele, referindo-se a um pacote nas Maldivas.

Ao contrário do que se pode imaginar, a tendência de aluguel de ilhas pode ter suas raízes na recessão. Em uma economia em baixa, os donos das ilhas não querem arcar com os altos custos de mantê-las. "Ter uma ilha é um hobby caro", diz Huggins. Ele paga um seguro tanto para reparos e combustível, e quando sua corretora de hipotecas começou a ir mal em 2007, ele anunciou a ilha na internet.

Como os locadores urbanos, alguns donos de ilhas ficam felizes só em cobrir as despesas. "A ideia não é fazer muito dinheiro", diz Farhad Vladi, fundador da Vladi Private Islands, outra imobiliária especializada em ilhas, e dono da Forsyth Island. "A ideia é cobrir os gastos correntes e manter as rodas girando."

Para o locatário, o apelo é óbvio. As ilhas por definição oferecem a atração mais valiosa: a privacidade. Durante as poucas semanas do ano que ele e sua família vão para a Melody Key, Hexum pesca seu jantar e escreve músicas ao ar livre, só de cuecas - nada disso é fácil de fazer em sua casa em Los Angeles. "Tem sido bom para espairecer meu espírito", disse ele. "Ficar numa ilha é um contraste incrível em relação a Los Angeles."

O aluguel de ilhas particulares também pode ser um antídoto à típica ilha-resort, com um grande volume de hóspedes.

"Acho que estamos um pouco cansados dos hotéis tradicionais", disse Ron Kilius, dono de uma empresa de assistência médica em Toronto, que viajou de férias para a Royal Belize, uma ilha em Belize com três casas que passaram a ser alugadas em 2009. Quer os hóspedes aluguem apenas uma das casas por US$ 600 (R$ 1.045) por noite, ou todas elas por US$ 2.115 (R$ 3.686), eles podem ter certeza de que não haverá nenhum outro turista por perto. "Minha mulher e eu estamos perto dos 60, então não gostamos de muita algazarra."

Durante maior parte do tempo de suas férias, eles ficam deitados e leem. "Acho que depois de 30 anos de casamento, o que você faz?", disse Kilius.

Para casais sem muitos convidados, o casamento em ilhas particulares também se tornou popular. Molly e Kurt Pitts fizeram seu casamento em novembro no Melody Key, em parte para limitar o número de convidados. "Nós queríamos algo bem pequeno, e nós dois amamos a água", diz Molly Pitts, assistente de aluguel em Tifton. Depois da cerimônia, o casal ficou na ilha uma semana. "Foi tão tranquilo; não tem ninguém para atrapalhar", disse. "Se você aluga um apartamento convencional em algum lugar, sempre há gente por perto, gritando e fazendo barulho."

As ilhas particulares não são para todo mundo. Os que querem museus e boates e farmácias 24 horas devem buscar outra coisa. E em algumas ilhas - inclusive em Jonathan Island - os hóspedes precisam regular o uso de água e energia. Dawson admitiu que ficar presa na ilha poderia ter sido um pesadelo. Mas, disse ela, "você tem uma atitude mental para descobrir como transformar aquilo numa boa situação."

Outros donos de ilhas tiveram uma abordagem mais ativa no que diz respeito à conservação. A Melody Klein, por exemplo, é "praticamente autossuficiente", de acordo com Hexum. A casa tem painéis solares e uma cisterna, mas tem também um gerador a gás e água extra para os hóspedes que querem tomar banhos longos e deixar as luzes acesas.

Como diz Dawson, é melhor se preparar mentalmente para a experiência de ficar numa ilha particular. Até os solitários podem achar o isolamento hermético um tanto assustador. "O tempo em uma ilha é muito diferente do tempo no continente", diz Krolow da Private Islands Inc. "Dois ou três dias podem parecer uma semana". Por isso, ele recomenda que os visitantes de primeira viagem limitem sua aventura a poucos dias, e passem o resto das férias em um resort.

Mas a solidão está nos olhos de quem vê. Jim Arthur, dono de uma confecção, e sua mulher, Iner Pettersson, donos de uma ilha de 26 acres na Polinésia Francesa, alugarão a propriedade a partir de 2010 - na esperança de conhecer pessoas interessantes. Por US$ 2.500 (R$ 4.357) por noite, com tudo incluído, o aluguel não é barato, mas a área é notoriamente cara, e o objetivo de Arthur não é fazer dinheiro. O casal planeja estar tanto presente quanto ausente de acordo com o desejo dos hóspedes, mas esperam encontrar, em meio à toda tranquilidade, um tipo de comunidade.

"Minha mulher e eu viajamos o mundo, e gostamos de conhecer pessoas novas", disse. "Esta é uma das principais razões para fazer isso."

Sozinho no mundo
Ilhas para alugar estão disponíveis na Private Islands Inc.(647-477-5581; www.privateislandsforrent.com) e Vladi Private Islands (49-40-33-00-00; www.vladi-private-islands.de).

A Jonathan Island, em Rhode Island (401-574-0999; vrbo.com), cobra US$ 375 (R$ 653) por noite, de 1º de maio a 15 de junho, mínimo duas noites; US$ 3.250 (R$ 5.664) por semana para duas pessoas, de 16 de junho a 15 de setembro, mínimo uma semana. Mais duas pessoas podem ficar na ilha por US$ 100 (R$ 174) por pessoa por noite.

A Forsyth Island, New Zealand (49-40-33-00-00; www.forsyth.co.nz): 1.000 euros, ou US$ 1.400 (R$ 2.440) por noite, para até oito convidados, mínimo duas noites, aberta o ano todo.

Melody Key, Florida Keys (305-942-9197; www.melodykey.com): US$ 1.400 (R$ 2.440) por noite, ou US$ 8.000 (R$ 13.944) por semana, para até seis convidados, mínimo quatro noites, aberta o ano inteiro.

Royal Belize, Belize (305-675-4660; www.royalbelize.com): US$ 600 (R$ 1.045) a US$ 2.115 (R$ 3.686) por noite para até seis convidados, mínimo três noites, aberta o ano todo.

Motu Moie, Polinésia Francesa (562-426-5825; www.mytahitiisland.com): US$ 2.500 (R$ 4.357) por noite (ou US$15.000 por semana - R$ 26.145) para o primeiro casal, US$ 250 (R$ 435) por noite para cada convidado adicional, até 12 no total, mínimo três noites.

Necker Island, British Virgin Islands (877-577-8777; www.neckerisland.virgin.com): US$ 36.000 (R$ 62.748) a US$ 53.000 (R$ 92.379) por noite (dependendo do número de convidados) para até 28 convidados, mínimo três noites, disponível o ano todo.

Tradução: Eloise De Vylder

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h19

    -0,27
    3,170
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h22

    0,37
    68.230,19
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host