UOL Notícias Internacional
 

27/04/2010

Circulação de jornais cai quase 9% nos Estados Unidos

The New York Times
Joseph Plambeck
  • Capas de jornais norte-americanos abordando a vitória do partido Democrata nas eleições legislativas do país

    Capas de jornais norte-americanos abordando a vitória do partido Democrata nas eleições legislativas do país

A realidade diante de muitos editores de jornais americanos continua clara, com os números divulgados na segunda-feira (26) mostrando profundos declínios na circulação, com vendas médias durante a semana caindo quase 9% em comparação ao mesmo período no ano passado. 

No período de seis meses encerrado em 31 de março, o Birô de Auditoria de Circulação informou que as vendas dominicais caíram 6,5% e as vendas nos dias úteis caíram 8,7% em comparação ao mesmo período de seis meses há um ano. Os números se basearam nos informes apresentados por centenas de jornais individuais. 

O declínio foi disseminado, com quase todos os grandes jornais e muitos dos menores perdendo circulação. Entre os 25 maiores jornais, “The San Francisco Chronicle” foi o que mais sofreu, perdendo 22,7% de suas vendas nos dias úteis. 

Entre os 25 maiores jornais em circulação, 10 tiveram declínios de circulação durante a semana de mais de 10%. Os números da circulação aos domingos foram um pouco melhores, mas longe de ser uma boa notícia, com cinco dos 25 maiores jornais apresentando declínios de dois dígitos. 

A circulação de jornais está em declínio há muitos anos, mas a queda acelerou em 2007 e ainda mais rapidamente em meio à recessão. Apesar da Internet ser amplamente citada pela queda, os baixos números de circulação resultaram em parte de uma decisão consciente dos editores de se concentrarem nos leitores mais leais e lucrativos, frequentemente aumentando os preços e limitando os descontos. Alguns editores também limitaram a área de cobertura de seus serviços de entrega. 

“Há uma recalibração em andamento na indústria”, disse Randy Bennett, o vice-presidente sênior de desenvolvimento de negócios da Associação dos Jornais da América, um grupo que representa o setor. “Primeiro ocorreu uma redução de custos para alinhamento com a receita. Agora no lado da receita, há uma recalibração –cobrando mais pelas assinaturas e extraindo mais receita da circulação.” 

No ano passado, a circulação do “New York Times” caiu 5,1% no domingo, para 1,5 milhão de cópias, e 8,5% nos dias úteis, para 950 mil. O “Los Angeles Times” apresentou queda de 7,6% no domingo e 14,7% durante a semana. O “Chicago Tribune” caiu 7,5% no domingo e 9,8% durante a semana. 

Mas há alguns sinais de que a circulação pode ter começado a estabilizar. No “New York Times”, a circulação média durante a semana nos seis meses encerrados em 31 de março subiu ligeiramente em comparação ao período de seis meses encerrado em 30 de setembro de 2009. No “Arizona Republic”, a circulação nos dois períodos subiu de 316 mil para 350 mil. 

Em comparação há um ano, o “Wall Street Journal” teve alta de 0,5%, o único jornal entre os 25 maiores a experimentar um aumento durante a semana. (Ele não é publicado aos domingos.) 

Os números do “Wall Street Journal” foram auxiliados pelos 414 mil assinantes pagos de suas edições eletrônicas, incluindo seu site e outros sistemas como o Kindle, que estão incluídos nos números. A maioria dos jornais não cobra por seus sites e seus leitores online não estão inclusos no cálculo do birô de circulação, apesar de seus assinantes pagos das edições eletrônicas, como aquelas para o Kindle, estarem incluídos. 

O leve ganho do “Wall Street Journal” ajudou o jornal a ampliar sua vantagem sobre o “USA Today” na maior circulação geral, 2,1 milhões contra 1,8 milhão. O “USA Today”, que teve um declínio de 13,6% durante a semana, tem enfrentado dificuldades em parte devido à recessão no setor hoteleiro, já que ele frequentemente é oferecido pelos hoteleiros como um agrado aos seus hóspedes. Ele ocupou o primeiro lugar por muitos anos, antes de perdê-lo para o “Wall Street Journal” no último trimestre do ano passado. 

O “St. Petersburg Times”, que continua oferecendo jornais com grandes descontos para os novos assinantes, foi o único grande jornal a apresentar um aumento no domingo, de quase 1%, para 418 mil. Sua circulação durante a semana caiu cerca de 1,5%.

Tradução: George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h09

    -0,80
    3,257
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h10

    1,05
    63.889,39
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host