UOL Notícias Internacional
 
28/08/2010 - 00h06

Netanyahu procura ter reuniões regulares com Abbas, diz autoridade

The New York Times
Isabel Kershner
Jerusalém (Israel)
  • O premiê israelense, Benyamin Netanyahu

    O premiê israelense, Benyamin Netanyahu

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse esperar que as negociações de paz que começam na próxima semana incluam reuniões a cada duas semanas entre ele e o presidente palestino, Mahmud Abbas, segundo afirmou na sexta-feira um membro do governo israelense.

Essa autoridade, que falou sob a condição de anonimato porque não tem autorização para discutir a questão em público, disse que "é claro que haveria contribuições de níveis mais baixos". Ele acrescentou que Netanyahu havia indicado o advogado Yitzhak Molcho, seu antigo confidente, como principal representante de Israel nas negociações, que começam com um jantar na quarta-feira em Washington e formalmente se iniciam na quinta.

O principal negociador palestino é Saeb Erekat, um veterano do processo de paz. Erekat disse na sexta-feira que é "prematuro falar nesta etapa sobre a estrutura" de como serão conduzidas as negociações. A prioridade, ele disse por telefone, é que Netanyahu escolha a paz e não os assentamentos; uma moratória parcial israelense à construção nos assentamentos está marcada para expirar em 26 de setembro.

Os palestinos disseram que não podem continuar negociações se Israel prosseguir com a construção nos assentamentos.

"Realmente queremos que ele seja um parceiro", disse Erekat sobre Netanyahu. Ele acrescentou que havia trabalhado frente a frente com Molcho, "com respeito e honra no passado".

Molcho, que não detém um cargo no governo, negociou com os palestinos em nome de Netanyahu durante o primeiro mandato deste no final da década de 1990 e teve um papel importante nas negociações que levaram aos acordos de Hebron e Wye, no quadro do processo de Oslo.

Dennis Ross, que foi enviado americano ao Oriente Médio de 1988 a 2000, escreveu em seu livro de 2004 "The Missing Peace – The Inside Story of the Fight for Middle East Peace" [A paz ausente - a história interna da luta pela paz no Oriente Médio] que, como negociador de Netanyahu na década de 90, Molcho era "a única pessoa em quem Bibi confiava completamente" -- ele se refere ao primeiro-ministro de Israel por seu apelido popular.

Ross acrescentou que Molcho não era membro do Partido Likud (de direita) de Netanyahu, e em sua política pessoal tendia à centro-esquerda, o que fazia dele "provavelmente a única pessoa em torno de Bibi que podia lhe dizer o que ele não queria escutar".

Ross mudou do Departamento de Estado para o Conselho de Segurança Nacional em junho de 2009.

Desde que Netanyahu reassumiu o cargo de primeiro-ministro, no ano passado, Molcho novamente agiu como seu emissário de confiança, reunindo-se com membros do governo Obama, entre outras coisas, para tentar alcançar um entendimento sobre a construção nos assentamentos.

Nos últimos meses, Israel e os palestinos estiveram envolvidos em negociações indiretas mediadas por George Mitchell, o representante especial dos EUA na região.

As últimas negociações diretas entre os palestinos e o governo israelense anterior, liderado por Ehud Olmert, foram interrompidas no final de 2008. Olmert, que liderava um governo de centro, reunia-se com frequência com Abbas para tentar chegar a um acordo de princípios para uma posição final com base no estabelecimento de um Estado palestino independente ao lado de Israel, enquanto equipes de negociação trabalhavam os detalhes.

Essas conversas terminaram quando Israel iniciou uma ofensiva militar contra o Hamas, o grupo militante islâmico, depois de anos de disparos de foguetes de Gaza contra o sul de Israel.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host