Sanders rejeita pressão para conter apoiadores, que ameaçam perturbar a convenção

Alan Rappeport e David M. Herszenhorn

  • Jae C. Hong/AP

Aumentando a perspectiva de rachas duradouros no Partido Democrata, na terça-feira o senador Bernie Sanders rejeitou a pressão para conter seus apoiadores, depois de interromperem a convenção democrata em Nevada, no fim de semana, atirando cadeiras e depois ameaçando a presidente estadual do partido em uma disputa por delegados. O tumulto ocorre enquanto Hillary Clinton está brigando para voltar sua atenção e a do partido para a eleição geral.

Os apoiadores de Sanders não demonstraram sinal de recuar. Em entrevistas, vários ameaçaram perturbar a convenção do partido na Filadélfia, em julho, com protestos e desobediência não violenta contra o sistema de indicação, que disseram ter tratado Sanders de forma injusta. Em e-mails, nas redes sociais e em sites, os apoiadores dele têm trocado conselhos sobre táticas de protesto e serviços legais em caso de detenções em massa.

O senador Harry Reid, o líder da bancada democrata, disse que conversou com Sanders na terça-feira e que o senador por Vermont enfrenta um "teste de liderança" devido às ações de seus apoiadores. Reid, que representa Nevada, disse estar confiante de que Sanders "fará a coisa certa".

Mas Sanders não demonstrou nenhum sinal de que recuará, divulgado uma declaração que, apesar de condenar a violência, acusa a liderança democrata em Nevada de usar "seu poder para impedir um processo justo e transparente".

A briga em Nevada ressaltou a determinação dos apoiadores de Sanders em minar a marcha praticamente certa de Hillary à indicação. Na terça-feira, ela perdeu na primária de Oregon, mas declarou vitória em Kentucky, onde conseguiu uma vantagem de 1.900 votos segundo resultados completos, porém não oficiais.

Hillary passou a segunda-feira fazendo campanha no Kentucky, mostrando como a disputa com Sanders continua distraindo sua campanha, enquanto ela passa a voltar sua atenção para Donald Trump, o virtual candidato republicano. E importantes democratas estão se manifestando de forma cada vez mais veemente sobre a necessidade de unir o partido para a eleição geral, ao mesmo tempo sendo cuidadosos para não enfurecer Sanders ao insistirem para que ele abandone a disputa.

A senadora Barbara Boxer, da Califórnia, disse que conversou com Sanders sobre a necessidade de união.

"Eu liguei duas vezes para o Bernie", disse Boxer. "Ele é meu amigo. É meu amigo há muitos, muitos, muitos anos, mas não tive retorno de Bernie e espero que ele seja um líder e assegure que todos entendam o que está em jogo. E o que está em jogo é o futuro de nossa nação. Nada menos."

Boxer, que esteve em Nevada para a convenção de sábado, quando os apoiadores de Sanders explodiram em fúria, chamou de "terrível" o que testemunhou.

"Não podemos ter uma repetição disso na Filadélfia, porque é perturbador", disse Boxer. "Tenho uma mensagem para o pessoal de Bernie que está planejando desobediência porque o sistema é manipulado. Eles deveriam apoiar o candidato democrata que recebeu a maioria dos votos. Eles deveriam apoiar o candidato democrata que obteve mais delegados. Não há motivo para protestar."

Mas os apoiadores de Sanders permanecem desafiadores, aumentando a possibilidade de distúrbios nas ruas do lado externo da convenção.

"Você verá uma variedade de táticas", disse Elizabeth Arnold, 32 anos, uma ex-funcionária da campanha de Sanders na Filadélfia, que disse que planeja participar das manifestações. "Pessoalmente, não gosto de ser presa. Mas é essencial nos manifestarmos e afirmar nossos direitos segundo a Primeira Emenda. Nosso sistema é terrivelmente falho e injusto, de modo que ações justas com frequência acabam em prisões."

Arnold, que ajudou a fundar o EDGE, um grupo de justiça ambiental com sede na Filadélfia, disse não apoiar violência e espera que as pessoas encontrem uma forma de expressar suas preocupações pacificamente. Mas ela disse que Hillary e outros líderes democratas que estarão presentes na convenção "devem se preocupar com o que está acontecendo".

Nina Turner, uma representante proeminente de Sanders, disse que viu vários e-mails de pessoas planejando atos de desobediência civil e que a conversa de dissensão nas fileiras republicanas em torno de Trump esconde as profundas divisões entre os democratas.

"As pessoas falam sobre os republicanos terem uma convenção intermediada. Eu acho que não estamos prestando atenção nos democratas", disse Turner. "Se os democratas acreditam que isso não acontecerá com eles, então estão tristemente equivocados."

"Serão os progressistas que provocarão a disrupção", ela disse. "E quando falo em disrupção, não falo de uma forma violenta ou terrível, mas falo de tombar o carrinho de maçãs."

April Mellody, uma porta-voz da Convenção Nacional Democrata, disse em uma declaração que a equipe de segurança da convenção trabalhará com a polícia da Filadélfia e com o Serviço Secreto "para garantir a segurança de todos nossos delegados e participantes".

Após o encontro dos democratas de Nevada, no sábado, ter acabado em confusão, quando muitos delegados potenciais de Sanders foram considerados inelegíveis, Roberta Lange, a presidente estadual do partido, disse que recebeu ameaças de morte contra ela e sua família depois que os apoiadores de Sanders divulgaram o número do celular dela online.

"A campanha de Sanders ajudou a incitar tudo o que aconteceu", ela disse. "Em vez de me atacarem, eles deveriam pedir desculpas publicamente pelo papel que desempenharam. Estou realmente decepcionada. Isso faz com que eu sinta que isso não está sendo levado a sério."

Na terça-feira, o Partido Democrata Estadual de Nevada apresentou uma queixa formal ao Comitê Nacional Democrata, em resposta ao comportamento dos apoiadores de Sanders.

Debbie Wasserman Schultz, a presidente nacional do partido, também expressou sua preocupação na terça-feira.

"Nós entraremos em contato com a liderança de nossas duas campanhas e pediremos que apoiem o Partido Democrata na condenação e na adoção de medidas para prevenir o tipo de comportamento exibido no fim de semana em Las Vegas", ela disse.

Tradutor: George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos