Havaí quer estar preparado para ataque da Coreia do Norte

Christine Hauser

O último conselho de verão para o Havaí vai além de usar filtro solar adequado e saber enfrentar uma tempestade tropical.

As autoridades de gestão de emergências do Estado americano divulgaram recentemente diretrizes oficiais sobre como sobreviver a uma explosão nuclear: busque abrigo em uma estrutura resistente a explosões, e faça isso em poucos minutos. Também tome nota: a luz da explosão pode ferir seus olhos.

Mas por que agora?

O aumento das tensões com a Coreia do Norte colocou a possibilidade de destruição total no radar dos mais de 1,4 milhão de habitantes do arquipélago. Em 5 de julho, os EUA endureceram sua pressão militar e as denúncias contra o país comunista, depois que a Coreia do Norte realizou um teste bem sucedido de um míssil balístico intercontinental que parecia capaz de atingir os dois Estados mais ocidentais dos EUA, Alasca e Havaí.

Os EUA descreveram o teste como "uma escalada perigosa" no que se tornou uma crise para o governo Trump.

Três semanas depois, na sexta-feira (21), a Agência de Gestão de Emergências do Havaí divulgou diretrizes sobre as medidas que podem ajudar a sobreviver a uma explosão nuclear que atinja uma cidade ou uma comunidade litorânea. Escute as instruções no rádio, diziam. Escolha seu abrigo o melhor que puder, de preferência um feito de concreto; não há abrigos específicos para explosões ou seus efeitos secundários no Havaí, diziam.

Então, preparem-se para ficar lá durante 14 dias ou até que seja dado um aviso de liberação.

No final da segunda-feira (24), o governador do Estado, David Ige, realizou sua primeira sessão oficial no Facebook Live. O evento foi decididamente um assunto casual, com autoridades de camisas floridas e grandes sorrisos. Houve pedidos de desculpas pela conexão Wi-Fi lenta, e membros da equipe acenaram para a câmera ou se debruçaram sobre o ombro de Ige para ajustar a transmissão enquanto milhares de pessoas assistiam.

"O tema de hoje é realmente gestão de emergências e preparativos para emergências, incluindo o assunto da semana, que é realmente sobre a Coreia do Norte", disse Ige, apesar de afirmar que a ameaça é "improvável".

Após alguns minutos de amenidades e informações sobre a temporada de furacões no Pacífico, o governador e seu coanfitrião, Vern Miyagi, o administrador da Agência de Gestão de Emergências, fizeram uma pausa para analisar na tela o texto da primeira pergunta do público.

"Temos uma pergunta", disse Ige, que aparentemente era novo nisso. Então ele leu:

Entenda o programa de mísseis norte-coreano

"Se a Coreia do Norte mandar uma bomba, nós temos uma bomba para mandar de volta?"

Os dois riram nervosamente, ao que parecia.

"É uma pergunta muito, muito boa", disse Miyagi. "Meu emprego neste momento... não estou nas Forças Armadas", disse ele, acrescentando: "Eu enviaria essa pergunta aos militares na ativa".

Ige apartou, referindo-se a suas conversas recentes com o almirante Harry Harris Jr., no quartel-general do Comando do Pacífico em Oahu. "Como vocês sabem, estamos trabalhando com o Departamento da Defesa para garantir a defesa do Havaí em geral", disse ele. "Há definitivamente muita conversa. Estamos avaliando a posição específica de defesa do Havaí, e, como vocês sabem, há muitos ativos aqui no Havaí que o departamento está interessado em proteger.

"A possibilidade de um míssil ou bomba da Coreia do Norte é muito, muito baixa", acrescentou ele. "É um acontecimento muito improvável. O nosso enfoque é todo para garantir que estejamos preparados."

As autoridades vêm trabalhando sobre as ideias e as novas diretrizes desde o final do ano passado, depois de diversos testes de mísseis na Coreia do Norte, mas antes do disparo bem sucedido deste mês. As novas medidas incluem exercícios nucleares em escolas públicas, que começarão em 7 de agosto.

Depois dos furacões, tsunamis, terremotos e enchentes, a ameaça de um míssil da Coreia do Norte não assusta muito. "É muito baixa, comparada com a ameaça potencial de um furacão", disse em entrevista por telefone o tenente coronel Charles Anthony, porta-voz do Departamento da Defesa. "Mas ainda temos de nos preparar para todos os riscos."

Em 2009, quando o governo Obama anunciou que a Coreia do Norte poderia lançar um míssil balístico na direção do Havaí, os militares americanos reforçaram as defesas lá. O Departamento da Defesa disse que interceptadores antimísseis estão de prontidão, e os havaianos assistiram ao espetáculo de um radar gigantesco, conhecido como bola de golfe, ser enviado ao mar da base onde fica ancorado.

EUA e Coreia do Sul testam mísseis após disparo norte-coreano

Miyagi disse que os gerentes da defesa civil estão trabalhando para coordenar um plano para todas as ilhas do Estado.

Os moradores foram aconselhados a manter suprimentos de remédios em dia e acessíveis. As autoridades estão testando novas sirenes de alerta de ataque. Mas as duas autoridades disseram e repetiram que um evento nuclear é improvável, acrescentando que a nova campanha de segurança pública representa um excesso de cautela.

"Perguntaram-me: por que agora? É que eles estão testando, testando, testando", disse Miyagi, referindo-se à Coreia do Norte, que fica a cerca de 8.000 km de distância. "Embora as chances de isso acontecer sejam remotas, a probabilidade é muito baixa e improvável, nós temos de nos antecipar e responder à pergunta: o que o Havaí está fazendo?", disse Miyagi. "A ameaça é baixa. O Havaí está seguro."

O jornal "Hawaii Tribune Herald" relatou na terça-feira (25) que o Havaí é o primeiro Estado a realizar uma campanha de emergência para se preparar para um possível ataque nuclear da Coreia do Norte.

"De certa maneira, a crescente ameaça nuclear representada pelo país do Sudeste Asiático parece mais perto que nunca das praias do Havaí", disse o jornal.
Muitas pessoas que assistiram ao governador no Facebook Live pensavam em desastre.

"Não há lugar onde as pessoas destas ilhas possam procurar segurança, estamos todos MORTOS", escreveu uma pessoa nos comentários em streaming.

Tradutor: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos