PUBLICIDADE
Topo

Meninas sequestradas pelo Boko Haram se recusam a usar cinturão explosivo e sobrevivem na Nigéria

Aisha, 15, foi enviada para explodir um quartel, mas acabou convencendo os soldados a removerem o seu cinturão de bombas - ADAM FERGUSON/NYT
Aisha, 15, foi enviada para explodir um quartel, mas acabou convencendo os soldados a removerem o seu cinturão de bombas Imagem: ADAM FERGUSON/NYT
Exclusivo para assinantes UOL

Dionne Searcey

Em Maiduguri (Nigéria)

27/10/2017 00h01

As meninas não queriam matar ninguém. Elas caminharam em silêncio por um momento, com o peso dos explosivos em torno de suas cinturas as atrapalhando, com os dedos nos detonadores e tentando encontrar uma forma de escapar daquilo.