Exclusivo para assinantes UOL

O que as pistas deixadas pelo suspeito do ataque em NY podem dizer sobre ligações com o EI

Rukmini Callimachi

Em Nova York

  • Reprodução /CBS News

    Sayfullo Habibullaevic Saipov, uzbeque de 29 anos identificado como suspeito do atentado em Nova York

    Sayfullo Habibullaevic Saipov, uzbeque de 29 anos identificado como suspeito do atentado em Nova York

Mais de dois dias depois de o motorista de uma caminhonete ter atropelado pedestres em uma ciclovia na parte baixa de Manhattan, surgiram pelo menos quatro pistas que mostram a extensão da radicalização do suspeito, Sayfullo Saipov.

Embora ainda não esteja claro se o suspeito tinha contato com o grupo terrorista ou era orientado por ele, alguns papeis e dois celulares encontrados na cena do crime dão uma ideia sobre sua familiaridade com a terminologia do Estado Islâmico (EI).

Invocar um lema

A poucos metros de onde a caminhonete parou na tarde da última terça-feira, a polícia encontrou papeis com uma mensagem escrita em árabe e inglês: "Ele persistirá". Eram palavras em referência ao Estado Islâmico, de acordo com a queixa-crime contra Saipov.

A frase é familiar para seguidores do grupo. Em todo o território que o Estado Islâmico costumava controlar no Iraque e na Síria, ele deixava uma palavra em árabe: "baqiya". Ela aparecia em outdoors e era pichada em prédios tomados por ele. Em qualquer casa antes ocupada por um dos emires do grupo terrorista, você encontrará o termo rabiscado em caneta nas paredes.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos