Exclusivo para assinantes UOL

Vilarejo indonésio "Elefante Próspero" está perdendo sua população de elefantes

Jon Emont

Em Gajah Makmur (Indonésia)

  • Kemal Jufri/The New York Times

    Barokah, um cuidador de elefantes, faz um exame médico em Nelson, no Centro de Conservação de Elefantes Seblat, em Bengkulu, na Indonésia

    Barokah, um cuidador de elefantes, faz um exame médico em Nelson, no Centro de Conservação de Elefantes Seblat, em Bengkulu, na Indonésia

Esse pequeno vilarejo rural nas colinas da ilha de Sumatra, na província de Bengkulu, é prova de que já houve dias melhores nas relações entre humanos e elefantes: quando o vilarejo, cujo nome pode ser traduzido como “Elefante Próspero”, foi fundado em 1991, moradores cuidaram de um elefante selvagem machucado até sua recuperação, até que um dia ele desapareceu na floresta e nunca mais foi visto.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos