PUBLICIDADE
Topo

China usa DNA para monitorar minoria uigur e conta com a ajuda de americanos

Tahir Hamut, um uighur que teve o sangue colhido pela polícia chinesa em Xinjiang, em sua casa na Virgínia (EUA) - Kate Warren/The New York Times
Tahir Hamut, um uighur que teve o sangue colhido pela polícia chinesa em Xinjiang, em sua casa na Virgínia (EUA) Imagem: Kate Warren/The New York Times
Exclusivo para assinantes UOL

Sui-Lee Wee

Em Pequim (China)

23/02/2019 00h01

As autoridades diziam ser um exame médico gratuito. Tahir Imin tinha suas dúvidas.

Eles coletaram sangue do muçulmano de 38 anos, escanearam seu rosto, gravaram sua voz e colheram suas impressões digitais. Eles não se deram ao trabalho de checar...